quinta-feira, 28 de outubro de 2021

L'Immortelle (1963), de Alain Robbe-Grillet

N viaja para Istambul para assumir um trabalho de professor. Tomando um mês de descanso para se familiarizar com o país e acaba se perdendo.

Ele encontra L e pede para que o ajude. Ele se apaixona por ela e fica obcecado pela misteriosa conexão dela com M, um homem estiloso de óculos de sol, acompanhado por cães dobermann por todos os lugares. L desaparece e N começa uma busca desesperada por ela. Ele a encontra, mas a perde de novo. É possível que o nome de N seja André; é menos certo se o nome real de L é Lucille ou Lane. Se isso não for confuso o suficiente, tem uma enredo sobre escravidão em Istambul. Ou talvez não.

Foi o primeiro filme de Alain Robbe-Grillet, o roteirista do filme de Alain Resnais, Last Year in Marienbad. Mais uma vez, ele subverte as narrativas convencionais de um filme, interrompendo o fluxo da narrativa com descrições repetitivas de objetos e terminando com uma nota de ambiguidade. Isso pode ser visto no outro filme dele publicado no blog, Trans-Europ-Express.

Legendas em Português e Inglês.

Elenco: Françoise Brion (na imagem acima)  como L. Jacques Doniol-Valcroze como N, Guido Celano como M e Catherine Robbe-Grillet (esposa de Alain na época)
como Catherine.

Veja o filme neste link: 

The Card (Às Voltas com 3 Mulheres), de Ronald Neame (1952)

      

Qualquer coisa com Alec Guinness vale a pena ver.

Aqui ele faz o papel de um filho de uma lavadeira, que aprendeu logo a como ficar de olho em oportunidades e sempre se esforça para se aperfeiçoar de qualquer maneira. 

Guinness em 91 minutos de filme vai de um humilde funcionário para uma posição de poder em sua área na Inglaterra. 

Guinness corteja duas mulheres em sua escalada. Valerie Hobson é uma viúva de um lorde local e Glynis Johns uma instrutora de dança.  Glynis também tenta subir na vida conforme a estória vai se desenrolando. É muito interessante ver como Guinness pode sempre fazer limonada de limões.

O filho de Alec Guinness, na vida real, Matthew Guinness faz o papel dele quando pequeno.

Este filme foi a primeira colaboração entre o diretor Ronald Neame e Guinness. Eles fariam ainda mais três filmes.

No final do filme, a banda da cidade toca a marcha Colonel Bogey. A mesma peça se tornou mais conhecida ao ser tema do filme de Alec Guinness em  A Ponte do Rio Kwai (1957).

Alec Guinness como Edward Henry "Denry". Joan Hickson como Sra Coldleyn, Petula Clark como Nellie, Glynis Johns como Ruth e Valerie Hobson como a Condessa.

Veja  o filme neste link.

https://youtu.be/BKhDOQ1TgJA

                                                       


terça-feira, 26 de outubro de 2021

Pretty Poison (O Despertar Amargo), de Noel Black (1968)

Conforme resumo do IMDb, o enredo mostra Dennis Pitt (Anthony Perkins) foi liberado condicionalmente de um hospital psiquiátrico, onde havia sido internado por um caso que ocorreu quando ele tinha quinze anos. 

A despeito dos médicos acreditarem que ele esteja reabilitado, Dennis tem ainda que sempre passar com um responsável, Morton Azenauer (John Randolph) todas as semanas. Este faz de tudo para ajudar Dennis a sobreviver na vida real. 

Um ano depois de sua liberação, Dennis viola sua condição se mudando sem avisar Morton. 

Ele se muda para Winslow, Massachusetts, onde ele consegue um emprego em uma empresa química. Seu chefe, Bud Munsch (Dick O'Neill) e a vizinhança não sabem de seu problema.

Dennis acredita que  a empresa é parte de uma conspiração estrangeira para envenenar o fornecimento de água. Dennis passa a maior parte do tempo reunindo provas fotográficas para apoiar sua crença. 

Ele também se apaixona por uma garota local de dezessete anos, Sue Ann (Tuesday Weld) e a convence que ele é um agente secreto, o ajudando nas suas investigações.

Veja o filme aqui:

https://youtu.be/L5sYkruFJgs

Trans-Europ Express, de Alain Robbe-Grillet (1966)

A bordo do famoso expresso Trans-Europ está Elias (Jean-Louis Trintignant) um traficante de drogas paranóico a caminho de Antuérpia, vindo de Paris. E em outro compartimento do trem estão os seus criadores, cineastas tendo uma reunião sobre o roteiro, do qual Elias emerge.

Segundo o diretor, a ideia era de  não colocar ordem ou uma interpretação dos acontecimentos. O resultado é um universo paralelo, de um lado Elias tentando agir como um traficante de drogas e, do outro, proceder segundo os caprichos dos seus criadores. Torna-se um replay em tempo real do processo de roteirizar e editar.

Ainda há a atriz Marie-France Pisier com seu grandes e inquisitivos olhos. Ele faz um prostituta improvável, mas será? O roteirista no filme é feito pelo próprio diretor do filme, Robbe-Grillet. Tem um bonita cinematografia em preto e branco, capturando o espírito da época. Haveria mais uns doze anos antes que o conjunto musical Kraftwerk criasse uma homenagem musical ao grande trem expresso.

Legendas em Português e Inglês.

Veja o filme no link abaixo:

https://youtu.be/cVl2WWt3BB0

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Butterfly, de Matt Cinder (1981)

Filme baseado em livro de James M. Cain, que também escreveu "The Postman Rings Twice" e "Mildred Pierce".

Ele mostra Stacy Keach como Jess Tyler, um rancheiro que tem a visita de sua bela filha adolescente, que não a vê há 10 anos.

Ela é Pia Zadora (que ganhou um Globo de Ouro polêmico por este filme), que faz uma lolita de um modo amador, mas suas falas são risíveis, o que acaba tirando a culpa da sua atuação.

Pia faz Kady que procura seduzir seu pai. O autor do livro levanta uma questão para o enredo. Jess é reconhecido como honesto e honrado, mas quando ele percebe que pode ser capaz de consumar o ato, sua honra desaparece rapidamente. Realmente, é fácil reivindicar a honra quando ela nunca é testada para valer ante um supremo desejo.

O filme vale pelas presenças dos astros Stacy Keach, Orson Welles (que bebia tanto que precisa de cartazes para ler suas falas), Stuart Whitman, Lois Nettleton, Ed Albert, James Franciscus, June Lockhart e pela trilha sonora de Ennio Morricone.

Link abaixo para o filme apenas legendado em Inglês. Muito possivelmente, esse filme nunca foi exibido no Brasil.

https://youtu.be/Lx4peoYk3aI



Barquero, de Gordon Douglas (1970)

Jake Remy (Warren Oates) lidera um grupo de foras da lei, fazendo uma fuga em direção ao México após um roubo de sucesso. Mas atrapalhando o caminho deles existe um passagem apenas por barcaça.

O operador da barcaça é Travis (Lee van Cleef) que se recusa a fazer o transporte do bando e atravessa o rio com a maior parte da população local - deixando Remy e sua turma para trás, desesperados para atravessar. E aí começa uma disputa entre o bando e o pessoal local.

Com Lee van Cleef, Warren Oates, Kerwin Mathews como Marquette, Forrest Tucker como Phil e Mariette Hartley como Anna.

Mariette Hartley e Warren Oates trabalharam juntos no clássico filme de Sam Peckinpah, "Pistoleiro do Entardecer", de 1962.

Trilha sonora de Dominic Frontiere.

Link para o filme: https://youtu.be/3zEdF3i7Nm8

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Across the Bridge (A Ponte do Destino), de Ken Annakin (1957)

Eu creio que já havia publicado este filme em um dos meus finados canais do YouTube, mas recebi nova indicação de um inscrito do meu blog e desse meu novo canal 'offline' do YouTube Seleções Revista CineTV.

O filme tem um enredo simples, mas absorvente: como desparecer usando uma identidade trocada.Foi baseado em estória do escritor Graham Greene.

Carl Schaffner está viajando em um trem. Ele está tentando escapar de algo terrível e ameaçador (não especificado) e ele está aterrorizado. Em desespero, ele decide atacar um passageiro, assumir sua identidade e levar seus documentos. Ele pretende deixar o trem até o outro lado, passar pelas formalidades oficiais e desparecer com segurança de quem ou do que esteja perseguindo ele. A sua nova identidade, na chegada, é avisado pelo auxiliar de bagagens que tem algo a pegar. É um cachorro. O resto do filme detalha a criação da relação entre Carl e seu novo amigo canino, uma companhia que ele mantém, na tentativa de sobreviver e escapar da prisão.

Grande atuação de Rod Steiger naquele estilo marcante e característico dele, além do seu método "The Method" de atuar.

O diretor Ken Annakin disse que esse foi seu melhor trabalho.

E também é uma das atuações preferidas de Rod Steiger, embora ele ainda se orgulhe mais do seu papel em O Homem do Prego (1964)..

Os atores ingleses ficaram atônitos pela atuação Método de Rod Steiger. Bernard Lee teve problemas com isso, mas o diretor apreciava as animosidades entre os atores. pois isso encaixaria bem nas caracterizações.

Embora ambientado nos EUA, o filme foi filmado inteiramente na Inglaterra para os interiores e Espanha para as externas, fazendo conta do México.

Rod Steiger insistiu em duas semanas de ensaios, para que ele pudesse entender bem a natureza de seu personagem.

Além de Rod, Marla Landi como Mary, Bernard Lee como Chefe Inspetor Hadden, Dolores como o cão e Stratford Johns como um dos detetives no escritório de Schaffner.

Vejam o filme aqui:

La Moglie più bella (Por Amor ou Por Vingança), de Damiano Damiani (1970)

Baseado na estória verídica de Franca Viola e Filippo Melodia. Na Sicília, quando um chefe da Máfia vai para a prisão, ele aconselha Vito,um jovem que é seu potencial sucessor, para se casar com uma mulher pobre e virtuosa. Os olhos de Vito caem em Francesca, de apenas 15 anos, muito bonita e determinada. Entre suas virtudes são seu amor próprio e falar francamente, e mesmo embora ela se apaixonando por Vito, ela não abaixa a cabeça para ele. Vendo que ele está perdendo respeito, ele contrata seus amigos para sequestrá-la e ele a estupra. Depois, ele diz a ela que ainda vai se casar com ela. Mas, em vez disso, ela faz reclamações legais contra ele. Os pais dela, irmão e vizinhos se recusam a apoiá-la. 

Com Ornella Muti como Francesca, Alessio Orano como Vito, Tano Cimarosa como Gaetano e Amerigo Tot como Antonio.

Trilha sonora do lendário Ennio Morricone.

Filme neste link:

https://youtu.be/oaJHBGu9mlE

The Kremlin Letter (Carta ao Kremlin), de John Huston (1970)

O filme diz respeito ao ex-oficial chamado Charles Ron (Patrick O'Neal)  recrutado em um grupo secreto de espiões. Eles devem recuperar a qualquer custo uma carta que um agente da CIA assinou erroneamente em um documento que promete a assistência americana à Rússia e atacar a China, caso esse país consiga armas nucleares. 

Esse grupo é formado por uim padre (Dean Jagger), uma bela garota (Barbara Parkins) com habilidades de arrombar cofres, um homem inescrupuloso, chamado de "A Prostituta" (Nigel Green), um inteligente e astuto espião (Richard Boone) e até uma drag (George Sanders). Eles vão até a Rússia para encontrar a carta misteriosa. Irão confrontar o esperto chefe do Politburo soviético (Orson Welles) e uma agente da KGB (Max von Sidow), cuja esposa (Bibi Anderson) se apaixona pelo protagonista (Charles Ron).

O filme usa uma técnica inovadora. Nas cenas faladas em russo, começam em russo e depois de alguns momentos muda para o inglês, evitando o uso de legendas.

Foi filmado em quatro países: Finlândia, Itália, México e EUA. As cenas de Moscou foram filmadas em Helsinki.

A propaganda para este filme dizia que se você perdesse os primeiros cinco minutos, você iria perder a chave do enredo, duas mortes e um suicídio.

O elenco tem cinco ganhadores do Oscar: Orson Welles, George Sanders, Lila Kedrova, John Huston e Dean Jagger; e um indicado ao Oscar:  Max von Sydow.

John Huston confessou que George Sanders esteve excelente em um papel de homossexual, que caiu para ele como uma luva. Mas quando Sanders soube disso, ele ficou muito embaraçado e nunca mais aceitou falar sobre esse papel.

Elenco: Além dos atores citados acima, Lila Kedrova, Raf Vallone e uma ponta do diretor John Huston como um almirante.

A qualidade do vídeo não está em alta resolução, mas não encontrei cópias melhores. 

Veja o filme neste link:

https://youtu.be/rBBnPiPSu1c

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Saint Jack (O Tatuado), de Peter Bogdanovich (1979)

Abrir um bordel seu próprio em Singapura prova ser desafiador para um cafetão americano (Ben Gazzara como Jack Flowers), ao passo que gangsters locais tentam tirá-lo do mercado.

Quando pressionado a usar fotos comprometedoras para chantagear um político americano, ele recusa, o que provoca a ira da CIA.

Saint Jack não é dos filmes mais conhecidos de Peter Bogganovich, mas vale pela presença de Ben Gazzara. E... pelas belas camisas que ele usa no filme.

Segundo o diretor em "This is Orson Welles", ele queria que Welles dirigisse o filme. E Welles estava determinado a dirigir. Contudo, depois de alguma pressão do estúdio e de Cybill Shepherd, sua namorada na época, Bogdanovich acabou dirigindo. Isso acabou com a relação dele com Orson, que não foi resolvida até pouco tempo antes da morte de Welles.

As prostitutas dançam ao tema de James Bond 007 contra Goldfinger, estrelado por Sean Connery e o primeiro ator que substituiu Connery foi George Lazenby, que tem um papel neste filme.

A atriz Lisa Lu iria aparecer em um outro filme feito em Singapura quase 40 anos depois em Podres de Ricos (2018).

Link do filme abaixo:

https://youtu.be/nlQL8Gb6fcA

terça-feira, 19 de outubro de 2021

Zatôichi sekisho-yaburi (Aventuras de Zatoichi), de Kimiyoshi Yasuda (1964)

Nessa aventura, Zatoichi encontra uma jovem que está a procura do seu pai, líder de um vilarejo, que sumiu. 

Enquanto ele ajuda a investigar esse desaparecimento, Zatoichi também se envolve com uma outra jovem que está tentando ajudar seu irmão, que matou alguém aproximadamente no mesmo lugar e hora em que o homem desparecido foi visto pela última vez.

O Daruma aparece no filme. Ele é considerado um talismã de boa sorte para os japoneses. Também são vistos como um símbolo de perseverança e como presentes de encorajamento.

Os samurais no estação dos guardas carregam duas lâminas. Essa prática era conhecida como daisho (tradução literal: grande/pequena). A lâmina maior era a mais comprida e curva chamada katana. Geralmente usada para combate e duelos. Já a lâmina menor, usada para o seppuku, era chamada de tanto.

No filme, eles se referem a um personagem recebendo um gancho e sendo promovido a policial. Isso se refere ao jitte, que traduzido, quer dizer, "dez mãos", e era uma arma carregada pela polícia no Período Endo do Japão.

Este filme é parte do gênero jidai-geki , que quer dizer "drama de período". É também um filme de chanbara (luta de espadas)

Em certa parte do filme, Giju (interpretado por Tomosaburô li) estende seu dedo mindinho para uma outra personagem. Esse gesto japonês significa que ele está falando sobre a namorada, amante ou esposa de um homem.

Veja aqui o filme: https://youtu.be/XvHOBvTA_gI

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Figures in a Landscape ( No Limiar da Liberdade) , de Joseph Losey (1970)

Um rude maníaco MacConnachie (um brilhante Robert Shaw) e um tímido intelectual Ansell (feito por Malcom MdDowell) são dois fugitivos que estão em fuga em algum não especificado país estrangeiro. Os dois são perseguidos sem parar por um misterioso helicóptero preto.

O diretor Joseph Losey, que costuma fazer dramas urbanos, sai para externas desoladas. A ideia do script é contrastar duas pessoas de personalidades radicalmente diferentes e que são forçadas a depender de cada um, para que possam sobreviver e não serem presos.

Robert Shaw substituiu Peter O'Toole no papel. 

Filmagens demoraram 4 meses.

Malcom McDowell observou que Robert Shaw era muito competitivo e que costumava desafiar Malcom a disputar corridas.

Malcom também disse que Rober Shaw bebia muito, mas durante as filmagens, ele gostou muito de trabalhar com ele.

Veja o filme por este link:

Made for Each Other (Nascidos para Casar), de John Cromwell (1939)

O filme começa com James Stewart chegando ao seu escritório de trabalho e tudo leva a crer que será um ótima comédia. 

Na verdade, é um drama com toques de comédia sobre recém casados, seus problemas, desentendimentos e pobreza. 

Carol e Stewart se apaixonam e se casam. E quando eles tentam ir para  lua de mel a bordo do SS Normandie, a viagem é repentinamente interrompida. 

Depois, eles têm que superar parentes que se metem na vida deles (Lucile Watson), chefes orgulhosos (Charles Coburn), a pobreza e até a chegada de um bebê. 

As coisas ficam sérias e eles decidem se separar, mas a doença da criança faz eles tentarem uma segunda chance. 

Não é um filme excepcional, mas vale pela presença de James Stewart, Carole Lombard e Charles Coburn

Tem o ar de "It´s a Wonderful Life", clássico em que James estrelaria anos depois.

O técnico de efeitos especiais foi morto, quando ele caiu de uma altura de 12 metros, quando estava liberando balões para as cenas do filme da festa de Véspera de Ano Novo.

O filme foi um fracasso nas bilheterias, levando o produtor David Selznick a um prejuízo de $292 mil dólares (ou $5 millhões atualizados até 2017).

Veja o filme aqui: 

https://youtu.be/xkRcH_-Xqw0

domingo, 17 de outubro de 2021

The Playboy of the Western World, de Brian Desmond Hurst (1962)

Um jovem estrangeiro (feito por Gary Raymond) aparece de repente em um vilarejo irlandês remoto, fugindo da lei, depois de ter tentado assassinar seu próprio pai. Ele rapidamente consegue a admiração de todos na hospedaria local e agita a atração de mulheres não comprometidas do local, especialmente a solteirona que dirige a hospedaria, Siobhan McKenna, e uma viúva louca atrás de um homem, Elspeth March. Contudo, o status do jovem herói muda abruptamente quando seu velho pai aparece antes da polícia.

Gary Raymond participou de filmes como 'Jasão e os Argonautas', "El Cid", " A Maior História de Todos os Tempos" e depois em várias séries como "The Rat Patrol". Ainda vive com 86 anos.

Siobhan McKenna em filmes como "Rei dos Reis" e "Dr, Jivago".

Não foi exibido no Brasil e legendas apenas em Inglês.

Veja o filme neste link:

sábado, 16 de outubro de 2021

Peyton Place (A Caldeira do Diabo), de Mark Robson (1957)

A época é pouco antes da Segunda Guerra Mundial. Peyton Place é uma pequena cidade da Nova Inglaterra, cujos cidadãos adultos mais importantes mandam na cidade com seus altos padrões morais e que tentam passar isso para seus filhos. Os adultos, especialmente aqueles que têm poder principalmente pelas suas posições ou riqueza, não toleram nada que acreditam que seja moralmente impróprio, mesmo sendo algo sem muita importância. Ao passo que seus filhos, eles percebem que há muito hipocrisia nos adultos, debaixo da fachada da moral cristã. 

Como Lana Turner que nunca se preocupou em dizer para a filha Diane Varsi que ela é uma filha fora do casamento, como Russ Tamblyn não ser capaz de se relacionar com o sexo oposto em sua adolescência. E como Hope Lange, vivendo com um pai violento e bêbado, Arthur Kennedy, que abusa fisicamente da sua esposa, Betty Field e faz muito mais com ela.

O filme fez sucesso e foi indicado a 9 Oscars. Não ganhou nenhum. Apenas Diane Versi ganhou o Globo de Ouro como Melhor Atriz Promissora.  E, além disso, ganhou uma série de TV.

Com Lana Turner como Constance, Lee Philips como Michael Rossi, Lloyd Nolan como Dr.Swain, Arthur Kennedy como Lucas Cross, Russ Tamblyn como Norman Page, Hope Lange como Selena Cross, Diane Versi como Allison e Lorne Greene como promotor.

Veja filme pelo link:

The Murder of Mary Phagan (Assassinato em Atlanta) , 1988

Este filme (na verdade uma minissérie) tem Jack Lemmon como ator mais conhecido e em um papel forte como um personagem histórico como o governador Slaton da Geórgia (EUA). Ele arriscou uma carreira política promissora na sua busca pela verdade para o que aconteceu com Mary Phagan. A estória ou história havia sido filmada antes em 1937 pela Warner, com Mervyn LeRoy dirigindo com o nome de "They Won´t Forget". Foi esse filme que lançou a carreira de Lana Turner com um grande sex-symbol. Em "They Won´t Forget", a estória foi mudada significativamente para eliminar qualquer referência ao personagem Leo Frank como um judeu. Em vez disso, ele foi descrito como um professor (não o gerente de uma fábrica de lápis), com aparentemente um perfil cristão. Já este filme, ele permanece mais próximo dos fatos ocorridos. Em resumo, o enredo é este: Em Atlanta, Geórgia, em 1913, uma garota de 13 anos é assassinada na fábrica onde ela trabalha. O gerente da fábrica, um judeu chamado Leo Frank, é condenado e sentenciado à forca. O governador John Slaton suspeita que Frank pode estar sendo um bode expiatório por pura vingança e ódio pela religião dele e suas ligações com o Norte. Mas como um político em ascensão, Slaton também sabe que, violar a forte opinião pública, questionando o julgamento, seria um suicídio político. A consciência vai superar sua ambição? Com Jack Lemmon, Richard Jordan, Robert Prosky, Peter Gallagher, Kevin Spacey e Cynthia Nixon. Somente consegui obter legendas em Inglês. Não poderia deixar de postar, pois a minissérie ganhou 3 Emmys.
Veja o link:

 https://youtu.be/kYDiGR73Yzw

Mikey and Nicky, de Elaine May (1976)

Nick (John Cassavetes está desesperado, enfiado em um hotel barato, sofrendo de uma úlcera e convencido de que a Máfia local quer ele morto. Ele chama Mikey, seu amigo desde a infância, mas quando ele chega, Nick não quer deixar ele entrar: sua cabeça não está boa. E aí começa uma longa em que Mikey cuida de Nick, o acalma e o tira da cidade. A viagem, a pé e de ônibus, leva os dois a um bar, um clube, a um cinema e ao cemitério, onde a mãe de Nick está enterrada. E finalmente para o apartamento da namorada de Nick. Enquanto isso, um matador, que está querendo saber informações de alguém, mas está, na verdade, procurando por Nick.

Peter Falk estava convencido de que Ned Beatty, que faz o personagem de Kinney no filme, era irmão de Ned Beatty. Quando descobriu que eles nasceram poucos meses de diferença entre si, Peter começou a ter uma alergia, uma urticária, pelo mico que passou, que fez parar a produção no dia.

Este foi um filme mais pessoal para a diretora Elaine May, que cresceu em uma família de conexões com a Máfia e os personagens do filme são baseados em mafiosos de pequena importância, que ela conheceu na época.

Nas folgas de filmagem, Peter Falk saia para fazer seus episódios da série Columbo. Só ficou faltando aparecer Ben Gazzara, para o formar o trio, Cassavetes, Falk e Gazzara, que eram bastante amigos e fizeram filmes juntos.

Com Peter Falk, John Cassavetes, Ned Beatty, Joyce Van Patten como Jan e M. Emmet Walsh como o motorista do ônibus.

Link para o filme:

https://youtu.be/tlF6Bs2eKu8

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

The Mind of Mr. Soames (O Homem que Nasceu de Novo), de Alan Cocke (1970)

Quando o filme começa, sabemos que um tal de Sr. Soames (Terence Stamp) tem estado em coma desde o nascimento... 30 anos atrás! Contudo, um grupo de médicos acham que podem operá-lo e tirá-lo do coma. Conseguem e tem nas mãos um bebê de 30 anos de idade. Uma pessoa, que parece um homem maduro, mas será necessário acelerar sua infância, para recuperar o tempo perdido. O problema é que, em vez de tratá-lo com amor e compaixão, ele fica sendo mais um projeto científico e ninguém quer ouvir o Dr. Bergen (Robert Vaughn), que pede que os demais médicos reconsiderem seus métodos.

Com Nigel Davenport como Dr. Maitland e Judy Parfitt como Jenny.

Filme baseado em livro de Charles Eric Maine.

Apenas com legendas em Inglês e Espanhol.

Veja o filme aqui neste link:

https://youtu.be/FhAsVBlqUAY





quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Melvin and Howard, de Jonathan Demme (1980)

Paul Le Mat é Melvin Dummar nessa combinação de drama com comédia. Ele vive com dificuldades financeiras, não importando em que tipo de trabalho ele esteja. Então, um dia, parece que ele vai tirar a sorte grande. Um estranho deixa na sua mesa um testamento informando que Melvin é um dos 16 herdeiros da fortuna do recluso bilionário Howard Hughes. Uma vez, Melvin deu uma carona para um idoso e decrépito indivíduo (Jason Robards), que dizia ser Howard Hughes. De repente, a vida comum de Melvin não será a mesma, ao passo que ele tem que ir à justiça para afirmar que ele não está inventando sua estória.

Jason Robards foi indicado a Melhor Ator Coadjuvante por fazer Howard Hughes neste filme. Foi a terceira em cinco anos que Robards é indicado nessa categoria do Oscar. Ele ganhou dois Oscars consecutivos, para "Júlia" (1977) e "Todos os Homens do Presidente" (1976)

A atriz Mary Steenburgen ganhou vários prémios de Melhor Atriz Coadjuvante. Isto incluíam Oscar, Globo de Ouro, entre eles.

A atriz ganhadora do Oscar, Gloria Grahame aparece em várias cenas como a mãe de Lynda, mas não tem falas.

O diretor Jonathan Demme faz uma ponta como um homem no casamento.

Na vida real, Melvin E. Dummar não recebeu os $156 milhões de herança. Hughes pediu a Dummar que o levasse ao Hotel Sands em Las Vegas. Dummar disse que apenas nos minutos finais do encontro deles é que Hughes revelou sua identidade. O testamento foi mais tarde rejeitado pela Corte de Nevada em Junho de 1978 como sendo forjado.

Elenco principal: Jason Robards como Howard Hughes, Paul Le Mat como Melvin Dummar, Mary Steenburgen como Lynda Dummar, Michael J. Pollard como Litlle Red e Gloria Grahame como Sra. Sisk. Dabney Coleman como um juiz no julgamento.

Não encontrei legendas em Português. Apenas em Inglês.

Veja o filme no link abaixo:

https://youtu.be/mBq_jzGdfr8


.

















.





quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Leo the Last (Príncipe sem Palácio), de John Boorman (1970)

Filme pouco conhecido de Marcello Mastroianni e de John Boorman.

Boorman, que completou 88 anos em Janeiro, estava a 2 anos de fazer um dos seus mais consagrados filmes, "Amargo Pesadelo" (Deliverance).

Este filme mostra Príncipe Leo, último na linha de monarcas há muito tempo depostos na Europa, de volta para casa do seu pai em Londres. Com ele, estão Margaret, uma alpinista social, com quem ele está comprometido, e Laszlo, que está planejando um contrarrevolução que irá lhe restaurar de novo  um reinado. Leo está chocado por descobrir que a vizinhança, uma vez exclusiva, se degenerou para um gueto, habitado principalmente por negros pobres e de situação desesperada. Seus vizinhos próximos são a família Mardi e sua bonita filha, Salambo, que o deixa fascinado. Usando a desculpa de ficar olhando pássaros, ele fica com sua luneta olhando as pessoas, como se fosse um cientista vendo insetos em uma lente de aumento.

Com Marcello Mastroianni como Leo, Billie Whitelaw como Margaret, Vladek Sheybal  como Laszlo, Calvin Lockhart como Roscoe e Glenna Foster-Jones como Salambo.

Veja o filme completo neste link:

https://youtu.be/qrO-OJKz6ns




terça-feira, 12 de outubro de 2021

Anônimo Veneziano, de Enrico Maria Salerno (1970)

Enrico (Toni Musante) é um músico e maestro veneziano com uma doença terminal, que convida sua ex-esposa Valéria (Florinda Bolkan) para visitá-lo sem que mencionar a razão para o convite. 

Embora, eles sejam ainda legalmente casados, como não havia divórcio na Itália, eles vivem separados há sete anos. Valéria vive com o filho deles e seu novo companheiro, um rico industrial de Ferrara.

Quando eles se encontram novamente, eles andam por Veneza e relembram suas relações desde o primeiro encontro, mostrando o intenso amor entre os dois em flashbacks. Enrico vive um momento emocional conflitante da sua vida, enquanto está gravando o concerto Anônimo Veneziano para oboé e cordas.

Com a nossa Florinda Bolkan como Valéria e Tony Musante como Enrico.

Tony Musante, apesar do nome, era americano e tinha descendência italiana. Faleceu aos 77 anos.

Já Florinda, está vivinha com 80 anos e nasceu no Ceará. 

Eles foram dublados para o italiano.

O diretor Enrico Maria Salerno, além de ator e diretor, também era dublador. Ele foi a voz de Clint Eastwood na trilogia de  westerns de Sergio Leone.

Belíssima, belíssima trilha sonora de Stelvio Cipriani. Link abaixo para o filme:

https://youtu.be/qUOVFHSeKK0

The Honeymoon Killers (Lua de Mel de Assassinos) , 1970

Filme baseado no caso real de Raymond Fernandez e Martha Beck, que se conheceram por carta.

No final dos anos 40. Martha Beck era uma mulher obesa e solitária. Quando ela conheceu Ray por um clube de carta de solitários, ela se tornou extremamente dependente dele e concordou com segui-lo em seus propósitos. Ele ganhava dinheiro se casando com mulheres e depois ele e Martha as assassinava.

O casal foi suspeito de matar 20 mulheres entre 1947 e 1949,

Mas foram condenados apenas por um caso, o de Janet Fay, o único que foi a julgamento.

Martha Beck é feita por Shirley Stoler e Tony Lo Bianco que faz Ray Fernandez.

Ele está muito bem no papel. Sou um fã de Tony desde seu papel em "Operação França" de 1971 e depois vivendo José no filme "A História de José e Jacó" de 1974.

Originalmente era para ser dirigido por Martin Scorsese, mas ele foi substituído depois de uma semana de filmagens, devido a diferenças criativas, por Leonard Kastle, o roteirista do filme. Scorsese foi despedido porque ele não estava fazendo close-ups, que tornariam o filme impossível para ser editado posteriormente. Segundo a entrevista de Kastle para a Criterion Collection, do qual esse filme faz parte, a última gota foi ele ter tentado fazer um close-up de uma lata de cerveja.

De acordo com o diretor François Truffaut, este é um dos seus filmes americanos favoritos.

A trilha sonora do filme contém partes das sinfonias 5, 6 e 9 de Gustav Mahler.

Filme homenagem a Tony Lo Bianco, que ainda está vivo aos 83 anos.

Veja abaixo o link para o filme:

https://youtu.be/MH-Jvi6kKRI



.


The Naked Civil Servant (Vida Nua), de Jack Gold (1975)

Filme feito para a TV e baseado em autobiografia de Quentin Crisp, um gay vivendo na conservadora Inglaterra dos anos 20 até aproximadamente  1975. Provavelmente o filme é o precursor de todos os filmes LGBTQRSTUVXYZ que se seguiram.

Mostra como as pessoas viviam com medo e solidão durante esse tempo.

A homossexualidade era ainda considerada como doença mental em 1975 e motivo de humor escrachado de programas de TV.

John Hurt está fantástico. Ganhou o BAFTA de 1976 por este filme.

Elenco ainda conta com Patricia Hodge como professora de balé e John Rhys-Davies como Barndoor.

Hurt é um dos melhores atores ingleses . Também pode ser visto aqui no blog em "Scandal" e na minissérie "I, Claudius", como Calígula.

John Hurt retornou a Quentin Crisp em 2009, quando fez o filme "An Englishman in New York", que retrata Quentin Crisp em seus últimos anos em Nova York.

A despeito de seu aclamado desempenho pela crítica em fazer um extravagante homossexual, John Hurt era heterossexual e tinha se casado por quatro vezes até a época em que morreu em 2017. Um testamento para suas habilidades como um dos maiores atores de sua geração.

Quentin Crisp, que morreu aos 90 anos, viveu mais que John Hurt que morreu com a idade de 77.

Link para o filme:

https://youtu.be/PuYNNyAolN8

segunda-feira, 11 de outubro de 2021

The Best Man (Vassalos da Ambição), de Franklin J. Schaffner (1964)

O intelectual William Russell e o prático Joe Cantwell são os pré-candidatos concorrentes para a indicação do partido, que serão os possíveis presidentes. Cantwell está preparado para usar de tudo para conseguir seu objetivo, enquanto que Russel vê a si mesmo como um homem de princípios. Ambos precisam muito do apoio do combalido presidente e a partir do momento em que a disputa fica mais acirrada, as equipes de cada um têm que decidir até que ponto de truques sujos eles podem chegar a usar.

"The Best Man" foi uma peça da Broadway que teve 520 apresentações de 1960 a 1961. Gore Vidal ajudou na transição da sua peça para a tela do cinema. A peça de Gore Vida foi indicada a 6 Tonys.

Os papeis de Henry Fonda e Clift Robertson na Broadway foram feitos por Melvyn Douglas e Frank Lovejoy. Lee Tracy, que faz o papel do presidente Hockstader,  foi o único que continuou seu papel da Broadway para filme, ganhou um Tony e foi indicado ao Oscar, mas perdeu para Peter Ustinov por Topkapi. O papel de Tracy é de um que lê muito bem os personagens de Fonda e Robertson, mas não pode influenciar nenhum dos dois.

O ex-presidente Ronald Reagan, que atuava em filmes B em Hollywood na época, foi rejeitado para um papel no filme, porque os estúdios da United Artists não achavam que ele tinha um 'rosto presidencial".

Gore Vidal admitiu que ele queria que o personagem de William Russell lembrasse Adlai Stevenson e que Joe Cantwell lembrasse Richard Nixon.  Na verdade, Stevenson e Nixon eram de partidos diferentes, um Democrata e Republicano, respectivamente.

A United Artists tinha selecionado Frank Capra para dirigir, que teria sido seu primeiro filme desde "Dama por um Dia" (1961). Gore Vidal, no entanto, não estava contente com a escolha de Capra e dizia que o idealismo e sentimentalismo característico dele, não iria combinar com o roteiro cínico do filme. Uma ideia que Capra propôs, por exemplo, foi a de adicionar uma cena na qual o personagem de Henry Fonda iria se vestir de Abraham Lincoln para uma aparição diante dos delegados da convenção do partido (como uma referencia para o papel de Fonda em 'Mocidade de Lincoln' de 1939). No final, Vidal conseguiu convencer a United Artists de trocar Capra por Franklin Schaffner. Embora Capra ainda vivesse mais 27 anos, falecendo em 1994 aos 94 anos, ele nunca mais dirigiu outro filme.

Gore Vidal faz uma ponta no filme, como um delegado na convenção do partido. Tente descobrir a cena.

Veja o link do filme:

https://youtu.be/DD0jj_TCo30




Obsession (Trágica Obsessão), de Brian De Palma (1976)

A vida de um empresário do ramo imobiliário de Nova Orleans é despedaçada, quando sua esposa e filha são sequestradas e mortas tragicamente depois de uma fracassada tentativa de resgate. Muitos anos depois, enquanto visita a Itália, onde ele mesmo conheceu sua esposa, ele encontra e se apaixona por Sandra Portinari, que tem semelhança incrível com sua esposa.

Argumento de Brian De Palma e Paul Schrader. E roteiro de Paul Schrader.

Trilha sonora característica do mestre Bernard Herrmann.

Cinematografia de Vilmos Zsigmond.

Com: Cliff Robertson, Geneviève Bujold e John Lithgow.

Geneviève Bujold não tem diálogos quando ela faz o personagem Elizabeth Courtland, para não aparecer seu sotaque francês. Quando ela faz Sandra Portinari (os brasileiros agradecem a homenagem), o sotaque italiano dela é razoável.

Dizem que Alfred Hitchcock ficou furioso quando Brian De Palma decidiu fazer esse filme, porque ele achava que era um remake de Um Corpo que Cai (1958).  Não vi semelhança, a não ser pela trilha sonora dos dois filmes.

Não perca o incrível final do filme. Segundo o YouTube, o vídeo está bloqueado em alguns países, inclusive os EUA, mas não está bloqueado para o Brasil. Supõe-se que esteja liberado para assistir. Veja abaixo o link para o filme:

https://youtu.be/OgFQvnwYYpQ


domingo, 10 de outubro de 2021

Scandal (Escândalo: A História que Seduziu o Mundo), de Michael Caton-Jones (1989)

Filme baseado em fatos reais, no escândalo Profumo de 1963 na Inglaterra.

Um osteopata bon-vivant inglês , Stephen Ward (John Hurt), fica encantado com uma jovem dançarina exótica, Christine Keeler (Joanne Whalley) e a convida para viver com ele. Ele apenas a serve de amigo e mentor. E através de seus contatos e festas, eles conhecem membros do Partido Conservador (do 1º Ministro Harold MacMillan) e arranjam encontros. 

Mais tarde, o caso de Christine Keeler com o Ministro da Guerra (John Profumo, vivido por um meio irreconhecível careca Ian McKellen), vira um escândalo, pois Keeler poderia ter estado, simultaneamente, envolvida com o capitão Yevgeny Ivanov, um adido naval soviético, potencializando o risco de segurança pública, haja vista que a época era ainda da Guerra Fria.

Keeler conheceu Profumo e Ivanov através de sua amizade com Stephen Ward.

A exposição do caso deu origem a boatos sobre outros escândalos, como as atividades de Ward, que tinha sido acusado de ofensas à moral. Percebendo que queriam torná-lo num bode expiatório pelos atos de outros, Ward ingeriu uma dose letal de comprimidos para dormir durante a fase final do seu julgamento, que o considerou como culpado de se aproveitar das vidas imorais de Keeler e da sua amiga Mandy Rice-Davies (Bridget Fonda).

Mais sobre o caso neste link: Caso Profumo – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Houve várias tentativas por parte de muitos políticos de evitar que esse filme fosse feito, mesmo que o caso tenha ocorrido mais de vinte e cinco anos antes.

Sir Ian McKellen e Sir John Hurt receberam inúmeras cartas de vários membros do Parlamento, pedindo a eles que desistissem de participar do filme. Nenhum deles desistiu.

McKellen respondeu educadamente às cartas. Hurt as ignorou e disse a jornalistas que os políticos, que as enviaram, eram todos hipócritas, que estavam apenas ansiosos para evitar que a verdade fosse contada.

O marido de Joanne Whalley na época era Val Kilmer, que não quis que ela fizesse a cena de nudez. Harvey Weinstein contratou um dublê para a cena. Quando Joanne chegou ao set de filmagem, ele não ficou contente com a dublê que arrumaram e resolveu fazer a cena ela mesma.

A canção "Nothing Has Been Proved", que é tocada sobre os créditos finais, foi composta especialmente para o filme pelo grupo Pet Shop Boys.  

Link para o filme:

https://youtu.be/DIDxhgm70eg



I, Claudius (Eu, Cláudio) - Minissérie inglesa com 13 partes - Episódios 1 a 3 (1976)

Primeiros 3 episódios da minissérie inglesa de 13 partes, que conta a história do Império Romano, mais aproximadamente em 24 A.C. desde algum tempo depois de Otávio Augusto ter derrotado Marco Antônio e Cleópatra na Batalha de Actium (ou Áccio) em 37 A.C . até a própria morte de Cláudio (Derek Jacobi) em 54 A.D.

Enquanto Cláudio narra sua vida e da sua família, ele testemunha as tentativas de Augusto (Brian Blessed) em encontrar um herdeiro, sempre frustrado pela sua esposa Lívia (Siân Philips), que quer que seu filho Tibério se torne imperador. Ela não mede esforços para matar quem estiver no caminho de seus planos.

Também veremos a conspiração de Sejano (Patrick Stewart) , o reino de Calígula (John Hurt) e depois o período do reino complicado de Cláudio.

No primeiro episódio, em Roma no ano de 24 A.C. , o imperador Augusto está comemorando o aniversário da Batalha de Actium, quando ele e seu amigo Agrippa derrotaram Antônio e Cleópatra na famosa batalha naval.

Nesse momento, Augusto está dando sugestões de que seu jovem sobrinho Marcelo possa ser seu herdeiro. Isso desagrada a esposa do imperador, Lívia, que vai começar seu toque de assassina, conforme título do episódio.

No segundo episódio, já estamos em 9 A.C.  e Lívia envenenou Agrippa e Tibério está sendo forçado a se divorciar de sua esposa Vipsânia para se casar com Júlia. Nem ele e nem Júlia estão felizes com esse arranjo e Júlia confessa a Antônia, filha de Marco Antônio e esposa do popular irmão de Tibério, Druso Germânico, que ela acredita que Lívia matou Marcelo.

No terceiro episódio, Tibério está no exílio e enquanto ele tem algum conforto em saber da morte misteriosa de Gaio, Antônia confessa a Júlia seu desapontamento com Cláudio. Ela castiga seus filhos Germânico e Livilla por se afastarem de Cláudio nas brincadeiras, por acharem ele bobão. Contudo, todos ficam admirados quando uma águia deixa cair um filhote de lobo nos braços de Cláudio e um servo, leitor de augúrios, interpreta isso, que no futuro, Cláudio irá salvar Roma em uma hora de necessidade.

Foto acima com Derek Jacobi e o escritor Robert Graves.

Links para os três episódios:

Episódio 1: https://youtu.be/dbrKdSdSg7Q

Episódio 2: https://youtu.be/MyDBdxU3F-s

Episódio 3: https://youtu.be/FZSrHjSQAvg

An Early Frost (AIDS: Aconteceu Comigo), de John Erman (1985)

Anos antes do filme "Philadelphia" com Tom Hanks, este filme foi o primeiro a abordar a AIDS.

Em 1985, a AIDS era um assunto delicado. Foi a NBC que teve a coragem de liberar este filme para a TV.

Foi um dos filmes que ajudou a explicar a homossexualidade e a AIDS para o público, sem ser grosseiro.

Filme se situa no meio da década de 80 mostrando Michael Pierson (Aidan Quinn), um jovem gay, que é diagnosticado com a AIDS no auge da vida. 

Ele é forçado a ser franco sobre a doença e sua homossexualidade pela primeira vez com seus colegas (ele é um advogado de sucesso) e com sua família.

Ele, e as pessoas ao lado dele, devem encarar inevitabilidade da sua morte e a doença que o está matando aos poucos.

Com Ben Gazzara e Gena Rowlands como os pais de Michael. Aidan Quinn como Michael, Sylvia Sidney, D. W. Moffett e Bill Paxton.

Ben Gazzara era grande amigo de John Cassavetes, com quem fez vários filmes. John era casado com Gena Rowlands.

Filme  ganhou 4 Emmys e um Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante para Sylvia Sidney.

Link para o filme:

https://youtu.be/7YQHxR2R3h0

sábado, 9 de outubro de 2021

Capitaine Conan (Capitão Conan), de Bertrand Tarvenier (1996)

As façanhas de guerra do capitão francês Conan e seus homens durante a Primeira Guerra Mundial e durante a intervenção dos Aliados na Guerra Civil Russa.

Roteiro de Bertrand Tavernier com base em livro de Roger Vercel.

Atores principais: Philippe Torreton, Samuel Le Bihan e Bernard Le Coq.

Ganhador de dois Césars.

Melhor Ator para Philippe Torreton

Melhor Diretor para Bertrand Tavernier


Bulgária, perto do final da Primeira Guerra Mundial. Conan lidera um grupo de 50 soldados franceses, que gostam do combate corpo a corpo. A frase preferida deles: "Esquecemos de pegar prisioneiros, Capitão." 

No final da guerra, a unidade vai para Bucareste, onde Conan tenta mantê-los fora de problemas, defendendo-os quando eles se comportam como soldados e percebe que ele não serve para os tempos de paz.

Sua amizade com Norbert, um professor que se tornou um tenente, é testada quando Norbert aceita um emprego de advogado de corte marcial, porque ele soube que Conan irá sofrer penalidades e quer proteger seu amigo.

Quando eles são enviados para fronteira russa para lutar contra os bolcheviques, Conan está de volta ao seu elemento e Norbert está livre de problemas.

Link para o filme:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_yx43w0bP01JUmlwC?e=OyeXyC

Contribua para o Blog!

Contribua com este blog, usando a ferramenta de Contribuição ao lado direito do próprio blog ou faça um PIX para o Banco do Brasil, Agência 2876-2, conta 27.734-7, chave PIX:  valdemir.fernandes@gmail.com


Zatôichi senryô-kubi (Zatoichi e o Baú de Ouro), de Kazuo Ikehiro (1964)

Em todos os meus canais do YouTube (que teve o prazer de removê-los todos), sempre procurei publicar os filmes de Zatoichi. A grande maioria desses filmes não tem restrição de copyright. Vou tentar postar todos aqui.

Neste filme, Zatoichi é confundindo com um ladrão. Para limpar seu nome, ele deve encontrar e derrotar o verdadeiro vilão.

Com: Shintarô Katsu, Shôgo Shimada e Mikiko Tsubouchi

Jushiro é interpretado pelo irmão na vida real de Shintarô Katsu, Tomisaburô Wakayama, que iria mais tarde estrelar na série de filmes  "Lone Wolf and Cub" (Lobo Solitário).

Este é o sexto dos 26 filmes em que Shintaro Katsu interpreta Zatoichi.

A espada de Zatoichi é uma shikomizue. É uma espada oculta em uma bengala de madeira.

Este filme é parte do gênero jidai-geki, que é traduzido como 'drama de período'. É também um filme 'chanbara' (luta de espadas).

Veja abaixo o link para este filme:

https://youtu.be/BM81GNz9qZY











The Rains Came (E as Chuvas Chegaram), de Clarence Brown (1939)

Na Índia, um aristocrata britânico se encontra com uma velha paixão, mas ela só tem olhos para um cirurgião local.

Baseado em romance de Louis Bromfield.

Com: Tyrone Power, Myrna Loy, George Brent e Brenda Joyce.

Myrna Loy já era uma atriz de sucesso, em especial formando dupla com William Powell para a série de filmes "The Thin Man". Tyrone Power já um grande astro da Fox.

Este filme foi um empreendimento monumental para a Fox. Dos 100 dias de filmagens, quase metade foi gasto nas cenas criadas para as chuvas e a inundação, onde foram usados 33 milhões de galões de água.

Filme indicado para seis prêmios da Academia, mas apenas ganhou um. Foi o primeiro filme a ganhar o Oscar de Efeitos Especiais.

Myrna Loy, Tyrone Power, George Brent e Jane Darwell receberam as suas estrelas na Calçada da Fama em Hollywood, em 1960. De todos eles, apenas Tyrone Power já havia falecido. Em 1958.

A cidade de Ranchipur do novelista Louis Bromfield, que deu origem ao filme, foi construída em 18 acres (equivalente a 72.000 m2 dos terrenos da Fox). O palácio do marajá, que foi derrubado pelo terremoto, custou 75 mil dólares na época ou US$1.500.000,00 aproximadamente em 2021. O rompimento da represa foi filmada em duas noites, usando-se 14 câmeras.

Veja o filme nesse link: 

https://youtu.be/hfXVQ4LIa1c


sexta-feira, 8 de outubro de 2021

Oh, God! (Alguém Lá em Cima Gosta de Mim), de Carl Reiner (1977)

Quando Deus aparece para um gerente de mercado como um senhor bem humorado, o Todo Poderoso o escolhe como seu mensageiro para o mundo moderno.

Com John Denver, George Burns, Teri Garr, Donald Pleasence, Ralph Bellamy, William Daniels, Paulo Sorvino e Dina Shore. Ponta do diretor Carl Reiner como um convidado do programa de Dinah Shore.

O filme tirou o filme "Star Wars: Episódio 4 - A New Hope (1977) do seu reino de 15 semanas como nº 1 da bilheteria em Outubro de 1977, antes que Star Wars voltasse para o topo novamente na semana seguinte.

Segundo o roteirista do filme, a ideia inicial do diretor Carl Reiner era colocar Mel Brooks como Deus e Woody Allen com o papel feito por John Denver. 

John Denver faleceu com apenas 53 anos de idade, em 1997, em um acidente de avião que ele pilotava.

Link para o filme: https://youtu.be/d2I3nDslcOA

Oliver Twist, de David Lean (1948)

No conto clássico de Charles Dickens, um órfão tenta achar seu caminho, deixando de ser um aprendiz maltratado até chegar a um covil de ladrões, em busca de um verdadeiro lar.

Com: Alec Guinness como Fagin, John Howard Davies como Oliver, Robert Newton como Bill Sykes, Kay Walsh como Nancy e Anthony Newley como Dodger.

A estreia do filme nos EUA foi postergada até 1951, por causa de protestos de grupo de pressão judaicos, que julgavam que o retrato do personagem Fagin, feito por Alec Guinness, era antissemita. Alec está irreconhecível como Fagin com os trajes e a maquiagem. Só mesmo para quem já conhece os trejeitos característicos do ator.

O produtor David Selznick abordou o ator com certa rispidez em uma festa em Hollywood por causa da sua interpretação de Fagin.

Na verdade, o próprio Dickens aparentemente lamentou o modo como descreveu Fagin e tirou a ênfase dada em edições posteriores do livro (removendo a maior parte das referências a judeus). 

Eu publiquei aqui mesmo no blog há alguns dias a versão musical de Oliver Twist (Oliver!), do diretor Carol Reed, feita 20 anos depois da versão de David Lean.

Link do filme: https://youtu.be/fJTghg7s5n0



Partner, de Bernardo Bertolucci (1968)

Bernardo Bertolucci, junto com o co-roteirista Gianni Amico, usaram como base o romance de 1846 de Dostoiévski  "O Duplo", e transpuseram para a Itália.

Maio de 1968. Esse mês e ano em particular, foi um momento de redefinições por todo o mundo, em termos históricos, culturais, artísticos, políticos e sociais. Foi uma época para uma revolução, que não necessariamente mudou as coisas, mas pelo menos os jovens tentaram. Havia a guerra do Vietnã, a Guerra Fria, protestos em muitos países, quer na França de De Gaulle, quer nos golpes militares na América do Sul (entre eles, o Brasil), o black power, o women´s lib, Woodstock e outros. 

Com Pierre Clément, Tina Aumont, Sergio Tofano e Stefania Sandrelli.

Trilha do mestre Ennio Morricone

Link para o filme: https://youtu.be/cwG02b1uOGM

David and Bathsheba (David e Betsabá), de Henry King (1951)

David é rei de Israel por vontade de Deus, mas irá enfrentar uma colossal prova de lealdade quando se sente atraído por Betsabá, a esposa de Urias, o seu mais leal comandante militar.

Com Gregory Peck, Susan Hayward e Raymond Massey como Natã.

Gregory Peck bebia muito quando era um jovem ator em Hollywood. Em 1949, ele foi hospitalizado com espasmos no peito e quando filmou este filme, ele também chegou a ser hospitalizado com suspeitas de ataque cardíaco. Mas, na verdade, era apenas uma palpitação do coração, devido ao estilo de vida e excesso de trabalho. Ele começou a beber menos depois de então.

A réplica da Arca da Aliança, sobre a qual David ora a Deus, foi construída em madeira de acácia. Ele foi arrematada muitos anos depois em um leilão da Fox pela própria Susan Hayward.

Gregory Peck foi escolhido pelo produtor Darryl Zanuck porque ele achava que ele tinha um rosto bíblico.

Link para o filme: https://youtu.be/9IZ32n7VXWs

People Will Talk (Dizem que é Pecado), de Joseph Mankiewicz ('1951)

A lenda do cinema Cary Grant interpreta o Dr. Noah Praetorius, um adorável professor e chefe de uma clínica médica que se torna o alvo de uma investigação no estilo McCarthy, devido a denúncias de um colega enciumado.

Roteiro do próprio Mankiewicz. Produção de Darryl Zanuck

Com Cary Grant, Jeanne Crain, Sidney Blackmer como Arthur Higgins e Hume Cronyn como Professor Rodney.

Na pré-produção, Jeanne Crain fez campanha para o papel, mas estava destinado a Anne Baxter. Jeanne acabou pegando o papel, pois Anne estava para dar a luz.

O carro do Dr. Praetorius é um Lincoln Cosmopolitan conversível de 1951. Apenas 856 conversíveis foram construídos naquele ano. O preço da época era US$ 3,891 (aproximadamente US$39 mil em 2021).

O cão do personagem de Sidney Blackmer é Belzebu. No filme de 1968, Rosemary´s Baby, ele serve a Belzebu, masi conhecido como Satã.

Link do filme: https://youtu.be/w4XbJfVVQKI

quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Pendulum (O Pêndulo), de George Schaefer (1969)

Sou fã de George Peppard desde Breakfast at Tiffany´s , The Blue Max e da série de TV Banacek. E este filme também conta com a linda Jean Seberg.

O enredo aqui é sobre o capitão de polícia Frank Matthews (Peppard), que é acusado de assassinar a esposa adúltera e seu amante. Ele evita ser preso e sai atrás do verdadeiro assassino.

Durante as filmagens em Washington, Martin Luther King foi assassinado. Fato que ocasionou protestos na capital, fazendo com que fechassem as externas no local e mudassem para Los Angeles. Os protestos podem ser visíveis no vidro traseiro do táxi durante o percurso de Jean Seberg pela cidade, com fogos em prédios.

Link para o filme:

https://youtu.be/qFdsIKZJrqw

Patty Hearst (O Sequestro de Patty Hearst), de Paul Schrader (1988)

A história de Patricia Hearst , uma garota rica, que foi sequestrada por revolucionários americanos nos anos 70. O tempo passado com seus captores faz ela questionar o seu modo de vida. 

Ela acaba juntando forças com a causa deles. Isso criou um escândalo nos EUA e, desde então, Patty se tornou uma figura da cultura pop.

Com Natasha Richardson, William Forsythe e Ving Rhames.

Na imagem, Natasha à esquerda e a verdadeira Patricia Hearst.

O presidente Bill Clinton perdoou Patricia Hearst em Janeiro de  2001. Seu último ato antes de deixar o governo.

Link para o filme: 

https://youtu.be/4s3BufFoNys

domingo, 3 de outubro de 2021

Oliver! , de Carol Reed (1968)

A estória clássica de Charles Dickens foi levada ao teatro londrino por Lionel Bart como um musical.

Teve grande sucesso na Inglaterra e depois na Broadway. Não demorou muito para ser adaptado ao cinema, com as mãos hábeis do diretor Carol Reed.

Coloquei no meu canal do YouTube (Revista Cine TV+) a versão de de ‘Oliver’ do diretor David Lean, de 1948, com Alec Guinness como Fagin.  Nessa versão musical, Ron Moody faz o papel do professor dos meninos ladrões, Oliver, dentre eles.  Mark Lester como Oliver, Shani Wallace como Nancy, Oliver Reed como Bill Sykes (dizem que Oliver interpretou a si mesmo, na verdade) e Jack Wild como Artful Dodger ou Matreiro.

Dickens costumava colocar sátiras em seus livros. Ele construiu seus personagens em Oliver Twist para dar uma visão moralista para a sociedade vitoriana da época. Oliver! ainda carrega muito da tristeza e desespero do livro.

Filme fez a festa na noite do Oscar de 1969. Teve várias indicações e ganhou várias estatuetas. Entre elas, Onna White para Melhor Coreografia, Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Som, Melhor Trilha Sonora e Melhor Direção de Arte.

O número musical “Consider Yourself” demorou três semanas para ser finalizado.

Quando o diretor Carol Reed fez a cena em que Oliver dá uma olhada no tesouro de Fagin, ele não ficou satisfeito com a reação de Mark Lester (Oliver). Depois, quando ele foi refilmar a cena, ele escondeu um filhote de coelho verdadeiro no seu bolso e ficou atrás da câmera. Quando Ron Moody (Fagin) abriu sua caixa de tesouros, o diretor tirou o coelho do bolso. A reação de Mark Lester, quando olhou, é a cena que ficou no filme.

Lionel Bart, o compositor da trilha sonora, não sabia ler letra de música. Desde seus tempos de teatro, ele cantava as melodias para um treinado pianista, que depois passava as notas para o papel e as orquestrava.

Apesar das queixas de nepotismo, Oliver Reed disse que teve que persuadir seu tio, Carol Reed, para considerar ele para o papel de Bill Sikes.

Mark Lester não canta em Oliver! Ele foi dublado por Kathe Green, filha de Johnny Green, o arranjador musical do filme.

Quando Mark Lester completou 18 anos e pode finalmente receber seu pagamento por trabalhar no filme (o dinheiro tinha sido colocado em um fundo para ele no futuro), ele saiu e comprou uma Ferrari.

Na peça da Broadway, o Matreiro foi interpretado pelo futuro membro dos Monkees, Davy Jones, que foi indicado em 1963 para o Tony.

Embora Ron Moody tenha feito Fagin com grandes aplausos nos palcos londrinos, ele só garantiu sua participação no filme, depois que Peter Sellers e Peter O’Toole recusaram o papel. Acho que Peter Sellers seriam uma ótima escolha para Fagin.

Veja o filme no link abaixo: