sábado, 30 de outubro de 2021

Pygmalion (Pigmalião) de Leslie Howard e Anthony Asquith (1938)

Filme baseado em obra clássica de George Bernard Shaw. Ele tinha receio de liberar suas peças para filmes. Ele já vira filmes de outros atores e dramaturgos famosos adaptados para o cinema e muitos não tiveram sucesso. Até que ele encontrou o produtor Gabriel Pascal. Ele admitiu que não tinha dinheiro, mas gostaria de produzir as maiores peças de Shaw em filmes, exatamente como Shaw havia escrito. Shaw ficou impressionado e fez um acordo, dando a Pascal a exclusividade de adaptar suas obras. Mas com uma condição. De que Shaw estaria envolvido nas produções.

A parceria resultou em quatro filmes, produzidos por Pascal. Além de Pigmalião, Major Barbara (1940), César e Cleópatra (1945) e Androcles e o Leão (1952). 

Pigmalião foi uma ótima escolha inicial, porque foi a comédia mais popular de Shaw. Mas houve problemas para a definição do final. Como deveria acabar. Higgins e Wliza colocariam as diferenças de lado e admitiriam que se amam?

Shaw achava que Pigmalião Higgins e Galateia Doolitlle não deveriam ficar juntos. Ele queria que o público ficasse pensando de Eliza como uma das novas mulheres do século 20, independente e forte, não como alguém que possa se moldado pelo artístico poder e ego masculino. Shaw insistia que Eliza favorecesse Freddy contra Higgins, porque Higgins era fraco. Em toda a sua vida, ela fora dominada por homens fortes (primeiro seu pai, depois Higgins e um pouco por Coronel Pickering).

Quem viu "My Fair Lady" vai notar que o filme termina da mesma forma, como Higgins caminhando só em Londres em direção à sua casa, liga o fonógrafo para ouvir a antiga voz de Eliza, que depois aparece à sua porta

Com Wendy Hiller como Eliza, Leslie Howard como Higgins, Wilfrid Lawson como o pai de Eliza e Scott Sunderland como Coronel Pickering.

Filme ganhou o Oscar de melhor roteiro adaptado.

A cena em que Eliza acidentalmente engole um bola de gude, quando está fazendo lição de dicção, não ocorre na peça original. Durante os ensaios, Wendy Hiller fez uma cara feia. Ele disse a Leslie que havia engolido uma. Leslie disse que não havia problemas, pois havia bastante. Isso causou muitas risadas na equipe, que foi adicionada no filme e na versão musical de 1964.

Foi o primeiro filme a usar a palavra "bloody" nos diálogos. Era uma expressão vulgar naquele tempo, mas hoje isso não causa mais desconforto, mas seria como falar naturalmente "Cacete" no Brasil naquela época.

Wendy foi pessoalmente escolhida para o papel por Shaw. Assim como o preferido de Shaw para Higgins, era Charles Laughton.

Embora George Bernard Shaw expressasse indiferença pelo prêmio da Academia que ele ganhou, sua amiga Mary Pickford relatou que ele orgulhosamente mostrava o Oscar na sua casa, ao mostrar a visitas.

Ele foi a primeira pessoa a ganhar o Oscar e o Nobel.

Ele também escreveu diálogos especiais para as cenas do baile. O personagem Karpathy foi modelado no seu amigo produtor Gabriel Pascal.

Veja aqui o filme: https://youtu.be/Jgkr4iLCHGs


Nenhum comentário:

Postar um comentário