domingo, 30 de maio de 2021

Two-Lane Blacktop (Corrida sem Fim), de Monte Hellman (1971)

Warren Oates faz o papel de motorista de um carro envenenado, que eles chamam de GTO, que indo para a costa leste dos EUA, desafia dois companheiros (Dennis Wilson e James Taylor), que fazem disputas de carros por dinheiro. Quem chegar primeiro em Washington ganha o carro do outro. Os dois rapazes acabam tendo a companhia de uma garota, que pegam no caminho, que está indo para qualquer lugar. É o chamado 'road movie', cujos personagens não têm nomes e seus títulos são GTO (para Warren Oates), o Motorista (James Taylor), o Mecânico (para Wilson) e a Garota (Laurie Bird). 

Two-Lane blacktop poderia ser traduzido como asfalto de duas faixas. O que seria uma disputa entre um Chevrolet 1955 e um Pontiac 1970, na verdade, eles acabam nunca disputando pra valer.

Foi o primeiro papel do cantor James Taylor no cinema, que aqui faz o papel do piloto do carro que disputa as corridas. Dos principais atores no filme, ele é o único ainda vivo.

O diretor Monte Hellman colocou no elenco dois atores não profissionais, na verdade, ligados à música, para dar uma ar leve em contraposição a um ator tarimbado como Warren Oates.

Dennis Wilson foi baterista do famoso grupo The Beach Boys, que fez sua única interpretação. Seu irmão, Brian Wilson, fez uma música em homenagem ao irmão, que morreu em um afogamento.

Segundo comentário do diretor no DVD do filme, a razão pela qual o filme demorou para sair em DVD foi por causa de Jim Morrison. A trilha do filme tem cenas onde as músicas do Doors ao fundo. Monte Hellman e os produtores tiveram problemas inicialmente para garantir a permissão dos herdeiros de Morrison para liberar o filme com o conteúdo original das músicas da banda. Por razões óbvias, tal permissão do DVD não era parte do acordo original com o The Doors em 1972. Mais tarde, o estúdio conseguiu a permissão e liberou a venda do DVD. 

Três Chevrolet 1955 foram usados para o filme. Um dos carros usados mais tarde foi dirigido por Harrison Ford em 'Loucuras de Verão' em '1972.

O final do filme (meio indefinido para mim) veio para o diretor em um sonho.

Este seria o filme de estreia de Laurie Bird, a Garota. Ele iria estrelar mais dois filmes, antes de tirar sua própria vida em 1979 em Nova York. Já em 1983, três dos 4 atores já estavam mortos. Laurie em 1979, Warren Oates sofreu ataque cardíaco e morreu em 1982 com 53 anos e Dennis Wilson se afogou um ano depois.

Laurie Bird e Monte Hellman se envolveram romanticamente durante o filme. Em 1974, Bird começou uma relação com o cantor Art Garfunkel, que durou 5 anos, até que ela se matou aos 25 anos.

Veja o filme legendado pelo link abaixo:

https://1drv.ms/u/s!AjMUR7SXEhT_ynzdcrNRPiSE2ErA?e=4Qrh6j

sábado, 22 de maio de 2021

Silent Running (Corrida Silenciosa), de Douglas Trumbull (1972)

Na Terra do futuro, sem flora e fauna, o ecossistema do planeta existe agora somente em determinadas áreas ligadas a espaçonaves. Quando chega a mensagem de que essas áreas têm que ser jogadas para fora no espaço e destruídas, a maior parte da tripulação da nave Valley Forge se alegra sobre o prospecto de voltar para casa. Nem tanto para o botanista Freeman Lowell (Bruce Dern), que ama a floresta e suas criaturas. Ele mata seus colegas de espaçonave, levando a nave para o espaço profundo. Sozinho na nave, ele fica como seus companheiros sendo apenas três pequenos robôs. Quando colegas aparecem para ‘salvá-lo’, ele percebe que tem apenas uma única opção disponível.

Algumas curiosidades sobre o filme:

Um porta aviões chamado “Valley Forge”, usado nas guerras do Coréia e Vietnã, foi usado como a parte interna da espaçonave “Valley Forge”. Foram modificadas a área de controle de voo e o deck do hangar para parecer com a espaçonave. Depois das filmagens, o porta-aviões foi para sucata.

Os três robozinhos, Huey, Dewey e Louie (que seriam Huguinho, Zézinho e Luizinho, como os sobrinhos do Pato Donald) foram operados por atores amputados.

A cena de Saturno foi originalmente planejada para estar no filme ‘2001: Um Odisseia no Espaço (1968), mas a tecnologia necessária para os efeitos dessa sequência não estava pronta para ser usada na época ainda.

Para manter baixo o custo do filme, Trumbull contratou estudantes de faculdade para alguns efeitos especiais. Um deles foi John Dykstra, que mais tarde ficou famoso em filmes como Star Wars e Jornada nas Estrelas.

Douglas Trumbull disse que ele aprendeu a ser um diretor, depois que fez esse filme, pois ele não tinha experiência nisso ainda.

Várias cenas mostrando naves espaciais foram usadas depois na série de TV “Battlestar Galactica”.

A trilha sonora foi composta por Peter Schickele, que é mais conhecido por suas paródias de música clássica, pelo cognome de P.D.Q. Bach.

De acordo com os comentários no DVD deste filme, Douglas Trumbull deu sua benção a George Lucas, quando ele comentou com Douglas que estava trabalhando em ‘Guerra nas Estrelas” (1977) e que queria criar um robô similar aos drones deste filme, que acabou se tornando o R2D2.

Quando 20th Century-Fox processou a Universal em 1978, dizendo que “Galactica: Astronave de Combate”, (1978) era uma cópia de Guerra nas Estrelas (1977), a Universal retaliou processando a Fox, argumentando que Guerra nas Estrelas (1977) era uma cópia de Corrida Silenciosa (1972).

Vários logos de conhecidas empresas americanas podem ser vistos no filme, tais como Dow Chemical, Coca-Cola, AMF, American Airlines Kawasaki e Rockwell International.

Principais atores: Bruce Dern, Cliff Potts, Ron Rifkin e Jesse Vint.

Roteiro de Derek Washburn e Michael Cimino.

Dirigido por Douglas Trumbull.

Douglas Trumbull é um lendário cineasta e pioneiro dos efeitos especiais em filmes. Ele atuou como supervisor de efeitos em filmes como '2001: Uma Odisseia no Espaço", 'Contatos Imediatos do Terceiro Grau', e mais 'Jornada nas Estrelas' (filme) e 'Blade Runner'.

Vou postar aqui ou no meu canal no YouTube, em breve,  mais um filme de Douglas Trumbull, “Projeto Brainstorm”, de 1983, com Christopher Walken e Natalie Wood. Foi o canto de cisne dela. Ela morreu antes de terminar o filme. 

Abaixo o link para ver o filme:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agWfBu3JSjszaVUpH?e=6qxC4i



terça-feira, 18 de maio de 2021

The Mechanic (Assassino a Preço Fixo), 1972

Depois de um certo tempo em sua carreira, Charles Bronson voltou-se para filmes mais violentos e com personagens frios e calculistas ao contrário do começo de sua carreira, onde se podiam ver mais seus dotes de interpretação. 

Neste filme, Charles Bronson é Arthur Bishop, um matador profissional, que executa seus trabalhos com muita perfeição a detalhes. Ele recebe suas missões através de pacotes entregues em sua bela residência na Califórnia. Depois de executar seu contrato, coloca seu roupão, toma um bom vinho e ouve música clássica.

Depois que recebe a missão de matar um de seus velhos amigos (Keenan Wynn), ele se torna apegado ao arrogante e impertinente filho dele, Steve (Jan-Michael Vincent).

Steve acaba se entusiasmado pelo trabalho de Bishop e este ensina seus truques. Mas, Bishop faz sem antes conversar com a aprovação do “O Homem” e, portanto, fica marcado para morrer também. O enredo não dá há muitas explicações e detalhes desse grupo.

Na rua do hotel meio acabado do centro de Los Angeles, onde mora a primeira vítima de Bishop tem um bar. O nome dele? Hard Rock Café – primeiramente descoberto pelo grupo The Doors, que chegou a usá-lo para fotos da capa do álbum deles em 1970.

As cenas finais do filme foram feitas na cidade de Nápoles, na Itália.

A atriz, que faz o papel de Louise, a namorada suicida do personagem de JM Vincent é Linda Ridgeway. Ela foi uma das muitas que acusaram Bill Cosby de assédio, fato que, segundo ela, ocorreu um antes deste filme.

Há um quadro de uma pintura significativa mostrado no filme, que é uma cópia do “O Jardim das Delícias Terrenas” de Hieronymus Bosch. O original está no Museu Del Prado em Madri.

Algumas cenas foram gravadas em famosas moradias de Los Angeles e Hollywood. Entre elas, um rancho que havia sido do ator Robert Taylor, a mansão usada por Wayne na série de TV Batman e Robin, o Museu de Cera de Hollywood e La Esperanza, um mansão de Hollywood de 40 quartos, na época pertencente a Greta Garbo.

No roteiro original de Lewis John Carlino, a relação entre Arthur Bishop e Steve McKenna era para ser explicitamente gay. Os produtores tiveram dificuldade para arranjar financiamento e vários atores, entre eles George C. Scott, recusaram aceitar o papel até que a homossexualidade fosse removida do enredo.

Charles Bronson era casado com a atriz Jill Ireland e juntos trabalharam em 16 filmes. Neste filme, ela faz um pequeno papel, quase insignificante, de uma prostituta. Charles insistiu que ela estivesse no elenco ou ele não faria o filme. Os produtores mais tarde disseram que, mesmo que Bronson tivesse pedido a Rainha da Inglaterra, eles teriam aceitado.

O significado da palavra “Mechanic” do título original é que o termo na gíria americana significa um matador profissional.

O filme teve bilheteria de 7 milhões de dólares, que equivale a mais de $45 milhões de dólares em 2021.

Foi o primeiro filme em Hollywood do diretor Michael Winner. Seu filme anterior, com Charles Bronson, “Renegado Vingador” (1972) foi filmado na Espanha. Bronson fez vários filmes com Winner, para a série de filmes “Desejo de Matar”.

Richard Dreyfuss era para fazer o papel que ficou com J.M. Vincent, mas ele não agradou a Bronson.  Mas este também não gostou muito de Vincent, porque ele vivia espirrando. Mesmo assim, acabou ficando.

Abaixo, link para o filme legendado.

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_yntmVQfjRtwO2Vh8?e=cm4QaV


domingo, 16 de maio de 2021

As Mil e Uma Noites (Arabian Nights), 1942

A dançarina Scherazade (Maria Montez) fica sabendo pela astrologia de que ela vai se tornar esposa de um califa de Bagdá.

Ela conta a Kamar (Leif Erickson), irmão do califa Haroun (Jon Hall). Ele planejava um golpe de estado, que falhou a princípio, mas depois de apoiado pelo vizir, ele finalmente tem sucesso. Haroun se machuca e obtém ajuda de uma trupe de artistas, onde é cuidado por Sherazade (ou Scheherazade), que não o reconhece.  Quando ela fica sabendo que Kamar está procurando por ela, ela vai até ele, mas é vendida com toda a trupe como escravos. Eles conseguem escapar, mas Haroun ainda está em perigo. Para salvá-lo, Sherazade concorda em envenenar Kamar, mas Haroun tenta primeiro estabelecer seu domínio.

Filme de 1942, no auge da Segunda Grande Guerra e feito para ser um escapismo aos momentos de angústia pelo conflito.

Dirigido por John Rawlins. Com John Hall, Maria Montez, Leif Erickson, Sabu (como Ali Ben Ali), John Qualen como Aladdin, Shemp Howard (nosso adorado Shemp dos Três Patetas e irmão de Moe) como Sinbad e Acquanetta como Ishya. 

Os créditos iniciais e finais do filme foram feitos por Mary Blair (1911-1978), uma artista mais conhecida pelas suas contribuições para o Estúdio Walt Disney dos anos 40 aos 60.

Maria Montez é o destaque do filme com sua beleza exótica. Apelidada de Ciclone Caribenho, tinha o nome completo de Maria Africa Antonio Gracia Vidal de Santo Silas. Mudou o nome para Maria Montez porque seu pai era fã da dançarina Lola Montez.

O Aeroporto Internacional de Barahona, República Dominicana, onde ela nasceu, tem o nome de Aeroporto Internacional Maria Montez em sua homenagem. Ela foi a segunda de dez filhos, seu pai sendo um exportador de tecidos e Vice-Cônsul Honorário da Espanha na República Dominicana.

Ela era uma das atrizes mais bem pagas da Universal durante os anos 40. Ela ganhava $150 dólares por semana para fazer “Arabian Nights”. Isso em moeda atualizada de 2021, equivale a apenas US$2,500.00 por semana.

Ela faleceu jovem aos 39 anos, com a mesma idade que seu companheiro de cena neste filme, Sabu.

Este filme também tem a presença da atriz Acquanetta, que faz o papel de Ishya, um nome bem pitoresco para Mildred Davenport, nascida no Wyoming em 1921. Ela também tinha um apelido. O Vulcão Venezuelano. Embora ela fosse americana e de descendência dos índios Arapahos. Sua mãe era uma índia Arapaho e seu pai um homem branco. Ela dizia que o avô do seu pai era um filho ilegítimo do Rei da Inglaterra.

Sua carreira no cinema foi tema de uma ópera de um ato, Acquanetta, que estreou em 2018 em Nova York.

Abaixo link para o filme legendado: