terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Mil e Uma Noites (A Thousand and One Nights), de Eiichi Yamamoto (1969)

Mil e uma Noites é animação japonesa criada por Osamu Tezuka, que dizem ser uma lenda no mundo mangá.

Conta a estória de Aldin,um novato em Bagdá e vendedor de água.

Em um local onde vendem escravas, ele fica encantado com uma delas, vendida a preço de ouro. Há uma tempestade de areia no momento da entrega e Aldin consegue roubar a escrava, Milliam, que também se simpatiza com ele.

E depois seguem várias aventuras, topando com Ali Babá e os 40 Ladrões, a Torre de Babel, Sinbad, a ilha das sereias e outras estórias.

O filme foi feito em 1969, lá se vão cinquenta anos, e foi audacioso na época. Há muitas cenas eróticas e muita nudez, tanto que o YouTube classificou o vídeo apenas para maiores de 18 anos. E houve corte de 30 minutos, quando estreou nos EUA. 

O filme foi um sucesso no Japão, mas um fracasso nos EUA, mesmo ganhando dublagem em inglês.

Foi a primeira animação da dupla Osamu Tezuka e Eiichi Yamamoto da trilogia Animerama, seguida de Cleópatra (1970) e a Tragédia de Belladonna (1973). Foi a primeira animação feita para o público adulto.

Veja o filme neste link, apenas com legendas em inglês: 

https://youtu.be/XFiwHc4zXGY


segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Esse Louco me Fascina (They Might Be Giants), de Anthony Harvey (1971)

Joanne Woodward é a Dra. Watson e um dos seus pacientes se chama Justin (George C. Scott), que é um viúvo recente e que está vivendo a vida como Sherlock Holmes, depois que suas esposa faleceu e é simplesmente uma coincidência que tenham se conhecido. Agora Justin ou Sherlock está à procura de Moriarty (seu arqui-inimigo).

Baseado em peça de James Goldman, que fez uma parceria com o diretor Anthony Harvey para o filme "Um Leão no Inverno".

O título do filme é derivado da obra de Miguel de Cervantes, Dom Quixote. Quixote achava que os moinhos de vento eram gigantes. No filme, Justin afirma que Dom Quixote estava louco por estar convencido que os moinhos de vento eram gigantes. Mas imaginar se "eles pudessem ser gigantes", isto já seria outra questão.

Filme de estreia de F. Murray Abraham, que depois faria grande sucesso em "Amadeus".

Trilha sonora de John Barry.

Link para o filme com legendas em português:

 https://youtu.be/6J-GxGeY8bg

domingo, 16 de janeiro de 2022

15 Reasons to Live (15 Razões para Viver), Documentário de Alan Zweig (2013)

Documentário com legendas em inglês embutidas. 

O que dá significado para sua vida? Família, ioga, boa comida, aqueles sapatos à venda no shopping? 

Ray Robertson descreve sua própria lista em seu livro ""Why Not?: Fifteen Reasons To Live?". E foi o que inspirou esse documentário de Alan Zweig, As 15 Razões para Viver, que leva essa lista como uma chamado à ação.

 As 15 razões são: Amor, a Solitude ou Isolamento Voluntário, Mente Crítica, a Arte, a Individualidade, o Lar, o Trabalho, Humor, Amizade, Embriaguez, Elogio, Significado, Corpo, Dever e a Morte.

Cada razão é dada por 15 pessoas diferentes, de todas as idades, tipos e países diferentes.

Veja o vídeo aqui neste link: https://youtu.be/yz35qALRmvk

O Assassinato de uma Freira (The Runner Stumbles), de Stanley Kramer (1979)

Padre Rivard (Dick Van Dyke) é um sacerdote de uma pequena cidade em que se explora a mineração e que está com problemas econômicos. Trabalhando no que ele acha de ofício 'controverso', o padre vive a vida difícil dos pobres membros da igreja. Se relaciona com as velhas freiras que comandam o convento e também vive suas próprias dúvidas. Quando Rita (Kathleen Quinlan) , uma jovem e dinâmica freira chega à paróquia, ele encontra alguém com quem conversar e com quem tem muito em comum. Isso vai acabar em acontecimentos, que levarão à morte da Irmã Rita e a condenação do Padre Rivard por isso.

Último filme do diretor Stanley Kramer.

Um dos poucos filmes sérios (não comédia) do grande Dick Van Dyke. Eu poderia até dizer que ele é imortal. Completou 96 anos em Dezembro de 2021.

Participações de Maureen Stapleton, Ray Bolger e Beau Bridges (que faz dois papeis).

Há muitos ótimos filmes que não tem legendas em português infelizmente.

Filme (com apenas legendas em inglês) aqui neste link: https://youtu.be/xb9nHgbZlC0


sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Atenção Filmes com Link YouTube!

Atenção aos filmes e vídeos com link YouTube aqui deste Blog.

Conforme já dito em um post anterior, o YouTube removeu meu canal e vários filmes, que estão aqui no blog, estão com o link do YouTube e, obviamente, não vão mais funcionar.

Quem se interessar por alguns desses filmes, me avise, que coloco novo link.

O-bi, O-ba, The End of Civilization, de Piotr Szulkin (1985)

O-bi O-ba, é um filme de ficção científica polonês, que mostra a sociedade vista de um bunker subterrâneo, depois de ter acontecido um holocausto nuclear.

A estória segue um herói que anda por diferentes ambientes, que dominam cada um dos níveis desse refúgio.

Filme estreou em 1985 com um pequeno orçamento, apenas alguns anos antes da colapso da União Soviética, em que o diretor polonês Piotr Szulkin conseguiu superar todos os obstáculos, para criar uma visão minimalista, contudo coerente de um universo de ficção científica.

As pessoas vivem em ambiente opressivo, onde as pessoas acreditam em uma profecia – a Arca. 

Junto com Soft, o protagonista, vamos gradualmente descobrindo as diferentes camadas, que constituem a mentira, essa crença que mantém a ordem nessa sociedade. Sob essas condições, um punhado de homens consegue manter operacionais os controles dos mecanismos do local.

Veja o filme com legendas em português neste link abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_gatf2_pDec1-qhwCKg?e=UTbYuH


quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Hal - Documentário sobre o diretor Hal Ashby, de Amy Scott (2013)

Antes de comentar sobre o filme documentário deste post, aviso que o YouTube novamente removeu meu humilde e audaz canal de filmes Seleções Revista CineTV. O YouTube costuma fazer esse tipo de apunhalada pelas costas. Ele te permite publicar, informa que não há problemas de copyright. Depois de alguns meses, aparece algum detentor reivindicando ser o dono do copyright e, em vez do YouTube, apenas remover o filme, ele te maceta na cabeça um belo strike, como no jogo de boliche. E lá vou eu reclamar com eles, mas eles não dão a menor bola e nem se desculpam pelo erro. Como eles não têm concorrência, eles fazem o que bem entendem. Canal removido, continuamos com o blog aqui.

Este post é documentário sobre o diretor de cinema Hal Ashby, que muitos devem conhecer por filmes como ‘Shampoo” e “Being There”.

Ele morreu em 1988 com apenas 59 anos.

Este documentário sobre sua vida e obra é dirigido por Amy Scott, ilustrando a paixão de Ashby pelos filmes, começando a carreira como editor (ganhando um Oscar na categoria) e depois partindo para a direção, um caminho frequente dos editores – David Lean, por exemplo. O documentário mostra as brigas contínuas de Ashby com os executivos de estúdios e como isso e mais uma mudança dos filmes com conteúdo social fez exacerbar o seu declínio.

Muito do que vamos saber sobre ele, vem da voz do próprio Ashby e de recordações em entrevistas com Judd Apatow, Rosanna Arquette, Jeff Bridges, Beau Bridges, Jane Fonda, Lou Gossett, Lee Grant, Dustin Hoffman, Alexander Payne, Cat Stevens e Jon Voight. Também há depoimento do diretor Norman Jewinson, que deu a Ashby seu primeiro trabalho como editor.  Ashby ganhou o Oscar de Melhor Edição para o aclamado filme de Jewinson, “In the Heat of the Night” (No Calor da Noite), de 1967, cujo protagonista foi Sidney Poitier (recentemente falecido).

Documentário apenas com legendas embutidas em inglês. Não existem em português.

Veja o filme neste link: https://1drv.ms/u/s!AjMUR7SXEhT_gate-o3pX-R6Ibe0yQ?e=OcNVZy


domingo, 2 de janeiro de 2022

Dante´s Inferno, de Ken Russell (1967)

Nada sobre uma adaptação do livro clássico de Dante Alighieri (A Divina Comédia), mas um filme sobre o ciúme e a complexa e dolorosa relação entre o obscuro poeta/pintor/ilustrador inglês, de origem italiana, Dante Gabriel Rossetti (1828-1882) do polêmico e genial diretor Ken Russell. 

Relata o ciúme e a complexa relação de Rossetti com sua esposa Elizabeth, inclinada a ficar doente. Eles são membros da alta sociedade, dos pintores burgueses, poetas e filósofos. Rossetti luta com suas próprias emoções por sua esposa, ao passo que ela se recusa ao seus avanços sexuais antes do casamento. E depois que casam, ela se mostra incapaz de ter filhos. Ela acredita que ele engravidou uma outra mulher (uma modelo), comete suicídio e quando ele decide enterrar seus melhores poemas com no caixão dela, ele fica louco ao ser confrontado com a ideia de exumar o caixão e recuperar o livro para vender aos seus fãs. Filme pertence à série de TV inglesa 'Omnibus", que foi de 1967 a 2003), com principalmente documentários sobre artes.

Com Oliver Reed como Rossetti, Judith Paris como Elizabeth, Izabella Telezynska como Christina e Andrew Faulds como William Morris.

Veja aqui o filme com legendas apenas em inglês: https://youtu.be/SzJq_TEmYy4

Real Caçador do Sol (The Royal Hunt of the Sun), de Irving Lerner (1969)

Filme sobre o grande conquistador espanhol, Francisco Pizarro, que liderou uma arriscada aventura para conquistar o império inca. 

Ele capturou o imperador Atahualpa e reivindicou as terras do Peru para o Rei Carlos, da Espanha. O filme mostra os passos de Pizarro desde a Espanha, Portugal e explora a relação entre Pizarro e Atahualpa em 1532.

Robert Shaw fez muitas pesquisas literárias antes do filme começar ser rodado, lendo livros sobre a carreira de Pizarro, sobre os passos deles no Peru e Espanha e visitando a tumba de Pizarro.

Christopher Plummer tinha feito o papel de Pizarro na peça da Broadway (de Peter Shaffer) em 1965. Robert Shaw convidou-o para fazer Atahualpa no filme. Plummer se inspirou na atuação de David Carradine para o imperador inca na peça.

Com Robert Shaw como Pizarro, Christopher Plummer como Atahualpa, Nigel Davenport como Hernando de Soto, James Donald como Rei Carlos, Leonard Whiting como o Jovem Martin e Percy Herbert como Diego.

Veja abaixo o link para o filme. A resolução do filme não está o padrão que costumeiramente colocamos, mas foi a melhor que encontramos. Está com legendas em espanhol e português.

https://youtu.be/jqw0IekSakQ