quarta-feira, 16 de junho de 2021

Les Misérables (Os Miseráveis), de Richard Boleslawski (1935)

Para mim, está é melhor adaptação do romance “Les Misérables” de Victor Hugo. Não apenas pela presença de dois dos maiores atores do cinema de todos os tempos: Fredric March e Charles Laughton, mas também pela bela cinematografia de Gregg Tolland.

Digno de nota no elenco é a presença do ator Cedrik Hardwicke como Bispo Bienvenue.

Não é uma versão precisa em relação ao livro, mas é difícil adaptar um livro de 1.000 páginas em um filme de pouco de mais de 1 hora e meia.

Fredric March faz o papel de Jean Valjean, o protagonista do filme, que constrói uma nova vida depois da prisão, usando um outro nome.  E Charles Laughton faz o neurótico  Inspetor Javert, na busca incessante de prender Valjean.

Florence Eldridge, que faz o papel de Fantine, era a esposa do ator Fredric March na vida real. Eles foram casados de 1927 até a morte de March em 1975.

Marilyn Knowlden, que faz Cosette quando criança, deve ser a única atriz viva desse filme. Ela deve estar com mais de 95 anos de idade.

Parte das cenas do tumulto de 1832 teve que ser regravada, porque um dos figurantes aparecia mascando chiclete.

Há várias mudanças no filme em relação ao livro: redução da pena de prisão de Valjean para 10 anos em vez de 19 anos; a abreviação das dificuldades de Fantine, talvez pelo Código de Censura da época, mudando a origem de Eponine de mulher de rua para secretária e a declaração do objetivo dos estudantes como sendo reforma da lei em vez do objetivo real de derrubar o governo.

Foi o último filme da 20th Century Pictures antes de fundir com a Fox Film Corporation e se tornar a 20th Century-Fox.

Link do filme legendado abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_ywOooDaih0V51IeA?e=ulNe2c


segunda-feira, 14 de junho de 2021

Le Magnifique (O Magnífico), de Philippe de Broca (1973)

Já tenho um post para esse filme, acho que de 2020, mas como o link não estava funcionando, já coloquei o novo link no post e também aqui: https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_ywLfG3UmEjQjNhp0?e=ZMWljY

É uma melhores comédias de Philippe de Broca com Jean-Paul Belmondo.

Roteiro de Philippe de Broca e de Vittorio Caprioli, que também faz o papel de um divertido vilão.

Tem a participação da bela Jacqueline Bisset. E uma ponta do diretor Phillipe de Broca, fazendo o papel de um encanador.



Salvador Allende, de Patricio Guzmán (2004) - Documentário

11 de Setembro será para sempre lembrado pelos ataques ao World Trade Center nos EUA. Mas também é lembrado pela morte de Salvador Allende, o presidente do Chile, eleito democraticamente, cujo governo foi derrubado por um golpe de estado, apoiado pelo governo americano em 1973. O diretor deste vídeo, Patricio Guzmán, passou sua carreira inteira de cineasta fazendo documentários explorando esse trágico acontecimento da história do seu país e neste chega finalmente a Allende, um herói para esquerda política do Chile. O golpe resultou na sua morte e os 18 anos de ditadura de Pinochet que se seguiram.

Este filme é um retrato profundamente pessoal e que faz mais sentido no contexto dos outros filmes de Guzmán. Para quem não tem muito conhecimento sobre o Chile, pode ser um pouco confuso, pois se assume alguma familiaridade com a história da política chilena. (o filme “Casa dos Espíritos”, de Bille August, 1993, pode ajudar). Não confundir a escritora do livro que deu origem a esse filme, Isabel Allende, com a filha de Salvador. Isabel Allende foi filha de Tomás Allende, primo-irmão de Salvador. Salvador Allende teve também uma filha com o nome de Isabel, Maria Isabel Allende.

O fato de que nenhuma biografia oficial de Allende tenha sido publicada no Chile é algo surpreendente. É como se os chilenos quisessem não apenas esquecer o pesadelo da ditadura de Pinochet, mas também o sonho de utopia ou uma realidade talvez possível, que Allende havia oferecido em sua campanha.

Há paralelos entre Allende e o governo de Hugo Chavez, incluindo a tática da oposição de fazer greves e protestos por causa da economia do país. Não foi à toa que Chavez suspeitou, na época, do envolvimento dos norte-americanos no golpe, que quase derrubou o seu governo em 2002. Nessa tentativa, enquanto Chavez e seus ministros ficaram acuados no palácio presidencial, o exército ameaçava bombardear o prédio, uma ameaça que foi realizada pelos militares chilenos em 1973. 

Allende foi o primeiro socialista marxista a ser eleito democraticamente como presidente de república e chefe de estado na América. Seus pilares ideológicos foram o socialismo, o marxismo e a social-democracia. Allende acreditava na via eleitoral da democracia representativa e considerava ser possível instaurar o socialismo dentro do sistema político então vigente em seu país. Veja mais sobre Salvador Allende. aqui: https://pt.wikipedia.org/wiki/Salvador_Allende

Link para este documentário de 1 hora e quarenta minutos e legendado está abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_ywFzGXVLeVmm9Pyo?e=iVnc96


quinta-feira, 10 de junho de 2021

Madame X, de David Lowell Rich (1966)

Uma mulher da classe média (Lana Turner) se casa com um homem rico (John Forsythe), para desespero da sua mãe (Constance Bennett). 

Os anos passam, ela tem um filho e começa um caso com um patife (Ricardo Montalban). Quando ela tentar dar um fim ao romance, ele o acaba matando acidentalmente. Sua sogra descobre e a convence a fingir sua morte e fugir. Ou ela irá arruinar a vida do seu marido e filho. Ela vai em frente, mas fica destruída pela culpa e se torna uma alcoólatra. 

Ela ainda mata outro homem e é defendida pelo filho já crescido (Keir Dullea), que não sabe que ela é sua mãe.

É um filme com uma produção luxuosa de Ross Hunter, que já havia trabalhado com Lana em “Imitação da Vida” e tido grande sucesso.

Constance Bennett (em seu último filme) teve uma boa maquiagem, porque parece tão jovem quanto Lana Turner. Mas tem uma beleza impressionante, ainda mais reforçada com o belo colorido do filme.

Além de Keir Dullea, ainda jovem e prestes a se tornar famoso em 2001: Uma Odisseia no Espaço (1968), temos a presença do ótimo Burgess Meredith. 

Por volta da época deste filme, ele foi convidado a fazer o Pinguim, vilão da série Batman e Robin. Há uma ponta de Neil Hamilton como Scott Lewis. Neil foi o famoso comissário Gordon da série. 

John Forsythe foi alcançar sucesso mais tarde na série de TV Dinastia.

O filme teve má recepção dos críticos e bilheteria fraca. Fatos que já evidenciavam o declínio das grandes produções de melodramas (principalmente direcionado a mulheres), que havia sido moda na década de 50.

Veja abaixo link do filme legendado.

https://1drv.ms/u/s!AjMUR7SXEhT_ywC8nhDZFTbS0abG?e=H27ZIl


quarta-feira, 9 de junho de 2021

Dernier Domicile Connu (Último Domicílio Conhecido), de José Giovanni (1970)

Lino Ventura faz o policial (Leonetti), um policial duro e violento, que detém o filho de um poderoso advogado e este procura vingança. Leonetti após ser admoestado é enviado para um distrito do subúrbio. Ele não gostou da ideia de ser rebaixado para um policial de segunda categoria, mas ele é designado a formar uma equipe. Lá ele conhece a jovem e bela Jeanne Dumas (Marlène Jovert). Ambos juntam forças para pegar pequenos delinquentes. Mais tarde, a dupla é designada para uma tarefa mais difícil: encontrar uma testemunha desaparecida, cuja prova é crucial para condenar um assassino chamado Soramon (Guy Heron). Eles vasculham Paris, perguntando a pessoas, vizinhos, encontrando várias pistas. Enquanto isso, eles são perseguidos por um gangster misterioso, chamado Greg (Michel Constantin).

Lino Ventura, pelo seu rosto de boxeador, é um perfil adequado para filmes de gangster e filmes policiais, onde apareceu em vários filmes assim, com Alain Delon, Belmondo  e Jean Gabin.

Filme foi dirigido por José Giovanni, que parece ser português pelo nome, mas é um francês de Paris, que participou na Resistência Francesa, durante a Segunda Guerra. Ele trabalhou como lenhador, mergulhador, guia de turismo e minerador. Escreveu 20 livros, 2 livros de memórias, 33 roteiros e dirigiu 15 filmes para o cinema e 5 filmes para TV. Seu romance, “Le Trou” (O buraco, gíria para prisão), se tornou um filme clássico e foi baseado em sua própria fuga de uma prisão de Paris.

O Último Domicílio Conhecida tem uma bela trilha sonora de François de Roubaix, cuja suite, pode ser ouvida aqui: https://www.youtube.com/watch?v=AD-Pv7SBT_g

No final do filme há uma citação do poeta romeno Eminescu: "La vie est un bien perdu pour celui qui ne l'a pas vécu comme il aurait voulu" ("A vida é bem perdido por aqueles que não a viveram como eles gostariam de ter vivido.”

Link do filme legendo em Português abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_yn-Nv8fZ2uo8TdZB?e=4dpfjs



sábado, 5 de junho de 2021

A Woman is a Woman (Uma Mulher É uma Mulher), de Jean-Luc Godard, 1961

Depois do seu aclamado “Acossado” (1960), com Jean Seberg e Jean-Paul Belmondo, o diretor Jean-Luc Godard fez esse seu primeiro filme colorido, em colaboração com a atriz dinamarquesa e sua futura esposa, Anna Karina.

Godard queria Brigitte Bardot para o papel de Angela, mas ela não estava disponível.

Anna Karina ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival Internacional de Cinema de Berlim em 1961. Godard também ganhou prêmio especial nesse festival.

O enredo do filme conta sobre uma bonita dançarina de strip-tease, Angela (Anna Karina), que vive com seu namorado, Émile (Jean-Claude Brialy) em um apartamento em Paris. O maior sonho dela é ter um filho, mas ele não está muito a fim e fica evitando o assunto. Depois, surge uma ideia para resolver o problema: talvez o amigo de Émile, Alfred (Jean-Paul Belmondo) possa dar uma mãozinha.

Em uma cena, o personagem de Belmondo diz a Angela e Émile que ele quer ver o filme ‘Acossado” na TV. Um ano antes, Belmondo fez o papel principal desse filme com o diretor Jean-Luc Godard.

Já em outra cena, há uma menção sobre o filme ‘Vera Cruz’ (1954), com Burt Lancaster e Gary Cooper, quando Belmondo vira para a câmera e imita o sorriso característico de Burt Lancaster.

Este filme é um dos favoritos do ator Joseph Gordon-Levitt, segundo informado pelo jornal The New York Times.

Link do filme legendado em Português, abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_xVMtHS7k-SyNKWN4?e=fsSsFw


quinta-feira, 3 de junho de 2021

Dunkirk ( O Drama de Dunquerque), de Leslie Norman (1958)

Filme relata a famosa evacuação das forças britânicas da praia de Dunkirk (ou Dunquerque) em Maio-Junho de 1940. Visto pelos olhos de um pequeno grupo de soltados da infantaria e seu líder, cabo Binns, e também pelos olhos de civis que ajudaram a evacuar os soldados com seus barcos particulares.

A história marca a Batalha de Dunkirk como uma derrota dos britânicos e aliados, pois as forças alemãs espremeram franceses, belgas e britânicos para a direção da praia e infligiram cerca de 60.000 mortes nos Aliados. 

Nessa evacuação, cerca de 300 mil soldados foram resgatados, algo que pode ter sido fatal para a derrota final dos nazistas na guerra. Há quem diga que Hitler pediu a seus generais que descansassem e recuperassem os equipamentos, como também para um gesto à Inglaterra por um possível esforço de paz.

Os principais atores são John Mills como cabo Binns (Tobby), Bernard Lee como Charles Foreman e Richard Attenborough como John Holden, como um dono de um barco e receoso de levá-lo para fazer resgate, pois tinha esposa e um bebê. 

Attenborough, em uma cena no bar no começo do filme, chega a falar em ‘bela guerra’ (lovely war) e, mais tarde, ele acabaria dirigindo um filme musical com esse título, “What a Lovely War” (1969). Seu neto, Will, apareceu na refilmagem da batalha. Dunkirk (2017).

As cenas na praia foram filmadas em Camber Sands no litoral sul da Inglaterra, enquanto a cidade de Dunkirk foi recriada na cidade próxima de Rye.

Este filme foi o de maior bilheteria na Inglaterra em 1958.

Curiosidade que a trilha sonora deste filme, de Malcolm Arnold, foi reutilizada para o filme "O Mais Longo dos Dias", de 1961.

Veja abaixo filme legendado em Português.

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_yn5VMnysf1BlQPeQ?e=pCwTUD



terça-feira, 1 de junho de 2021

Now, Voyager ( A Estranha Passageira), de Irving Rapper (1942)

Bette Davis é Charlotte Vale, uma mulher solteira, filha temporã e oprimida por parte de uma mãe conservadora e ditatorial, feita por Gladys Cooper. A ajuda para Charlotte vem na pessoa do Dr. Jaquith (Claude Rains), que indica mudança de ares e ficar um tempo no sanatório administrado por ele (Cascades). Charlotte parte depois para uma viagem de descobertas, de encontrar a si mesma.

A cinematografia é excelente, que pode ser percebida pela alta resolução do filme (veja link abaixo). 

O filme também vale pelas presenças de Paul Henreid e de Claude Rains, que, em seguida após o término deste filme, foram filmar Casablanca. Rains terminou sua cena nesse filme em 3 de junho de 1942 e fez sua primeira cena em Casablanca às 10h30 da manhã seguinte.

O título do filme vem de um poema de Walt Whitman, para simbolizar a saída de um casulo onde Charlotte se encontrava. O filme é baseado em romance da escritora Olive Higgins Prouty.

Foi o filme de maior bilheteria da carreira de Bette Davis, embora muitos achem que "All About Eve" com ela, seja o maior trabalho da atriz.

Ao final do filme, a célebre frase dita por Charlotte: "Oh, Jerry, não se contente com a Lua, nós temos as estrelas." foi votada como a 46º citação dentre as 100 mais do American Film Institute.

Por três vezes durante o filme, Paul Henreid acende dois cigarros ao mesmo tempo, sempre cedendo um para Bette. Esse ato, embora não tenha sido criado aqui, já havia sido feito em outro filme, mas nesse ficou mais marcado. Paul Henreid não podia ir para qualquer lugar, que sempre apareciam mulheres pedindo para acender cigarros para elas.

Bette viaja para a América do Sul de navio, desembarca no Rio de Janeiro de 1942, o Rio de Janeiro de Getúlio Vargas à época. Há cenas com um taxista chamado Giuseppe (Frank Puglia), levando Charlotte e Jerry (Paul Henreid) para o Pão de Açúcar, mas o taxista não fala Inglês e nem Charlotte ou Jerry falam Português. Os dois se incomodam que Giuseppe fica dando voltas, como se estivesse perdido e não chega ao destino. Por imprudência do taxista, o carro acaba caindo morro abaixo. Dá para entender algumas palavras em Português do taxista. Originalmente, o livro fala da viagem para Nápoles e não ao Brasil, mas o Giuseppe foi mantido e o adequaram a um personagem carioca.

Bette Davis e Gladys Cooper (que faz a mãe dela no filme) receberam indicação de Melhor Atriz Principal e Melhor Atriz Coadjuvante respectivamente.

Em suas memórias de 1987, Bette Davis conta que Claude Rains era seu ator e colega favorito.

E Paul Henreid pede em uma restaurante a mesma bebida que ele pede em Casablanca: Dois Cointreaus.

Abaixo o link do filme:

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_yn2EQ96rO9mrPGPr?e=L2rJqJ

domingo, 30 de maio de 2021

Two-Lane Blacktop (Corrida sem Fim), de Monte Hellman (1971)

Warren Oates faz o papel de motorista de um carro envenenado, que eles chamam de GTO, que indo para a costa leste dos EUA, desafia dois companheiros (Dennis Wilson e James Taylor), que fazem disputas de carros por dinheiro. Quem chegar primeiro em Washington ganha o carro do outro. Os dois rapazes acabam tendo a companhia de uma garota, que pegam no caminho, que está indo para qualquer lugar. É o chamado 'road movie', cujos personagens não têm nomes e seus títulos são GTO (para Warren Oates), o Motorista (James Taylor), o Mecânico (para Wilson) e a Garota (Laurie Bird). 

Two-Lane blacktop poderia ser traduzido como asfalto de duas faixas. O que seria uma disputa entre um Chevrolet 1955 e um Pontiac 1970, na verdade, eles acabam nunca disputando pra valer.

Foi o primeiro papel do cantor James Taylor no cinema, que aqui faz o papel do piloto do carro que disputa as corridas. Dos principais atores no filme, ele é o único ainda vivo.

O diretor Monte Hellman colocou no elenco dois atores não profissionais, na verdade, ligados à música, para dar uma ar leve em contraposição a um ator tarimbado como Warren Oates.

Dennis Wilson foi baterista do famoso grupo The Beach Boys, que fez sua única interpretação. Seu irmão, Brian Wilson, fez uma música em homenagem ao irmão, que morreu em um afogamento.

Segundo comentário do diretor no DVD do filme, a razão pela qual o filme demorou para sair em DVD foi por causa de Jim Morrison. A trilha do filme tem cenas onde as músicas do Doors ao fundo. Monte Hellman e os produtores tiveram problemas inicialmente para garantir a permissão dos herdeiros de Morrison para liberar o filme com o conteúdo original das músicas da banda. Por razões óbvias, tal permissão do DVD não era parte do acordo original com o The Doors em 1972. Mais tarde, o estúdio conseguiu a permissão e liberou a venda do DVD. 

Três Chevrolet 1955 foram usados para o filme. Um dos carros usados mais tarde foi dirigido por Harrison Ford em 'Loucuras de Verão' em '1972.

O final do filme (meio indefinido para mim) veio para o diretor em um sonho.

Este seria o filme de estreia de Laurie Bird, a Garota. Ele iria estrelar mais dois filmes, antes de tirar sua própria vida em 1979 em Nova York. Já em 1983, três dos 4 atores já estavam mortos. Laurie em 1979, Warren Oates sofreu ataque cardíaco e morreu em 1982 com 53 anos e Dennis Wilson se afogou um ano depois.

Laurie Bird e Monte Hellman se envolveram romanticamente durante o filme. Em 1974, Bird começou uma relação com o cantor Art Garfunkel, que durou 5 anos, até que ela se matou aos 25 anos.

Veja o filme legendado pelo link abaixo:

https://1drv.ms/u/s!AjMUR7SXEhT_ynzdcrNRPiSE2ErA?e=4Qrh6j

sábado, 22 de maio de 2021

Silent Running (Corrida Silenciosa), de Douglas Trumbull (1972)

Na Terra do futuro, sem flora e fauna, o ecossistema do planeta existe agora somente em determinadas áreas ligadas a espaçonaves. Quando chega a mensagem de que essas áreas têm que ser jogadas para fora no espaço e destruídas, a maior parte da tripulação da nave Valley Forge se alegra sobre o prospecto de voltar para casa. Nem tanto para o botanista Freeman Lowell (Bruce Dern), que ama a floresta e suas criaturas. Ele mata seus colegas de espaçonave, levando a nave para o espaço profundo. Sozinho na nave, ele fica como seus companheiros sendo apenas três pequenos robôs. Quando colegas aparecem para ‘salvá-lo’, ele percebe que tem apenas uma única opção disponível.

Algumas curiosidades sobre o filme:

Um porta aviões chamado “Valley Forge”, usado nas guerras do Coréia e Vietnã, foi usado como a parte interna da espaçonave “Valley Forge”. Foram modificadas a área de controle de voo e o deck do hangar para parecer com a espaçonave. Depois das filmagens, o porta-aviões foi para sucata.

Os três robozinhos, Huey, Dewey e Louie (que seriam Huguinho, Zézinho e Luizinho, como os sobrinhos do Pato Donald) foram operados por atores amputados.

A cena de Saturno foi originalmente planejada para estar no filme ‘2001: Um Odisseia no Espaço (1968), mas a tecnologia necessária para os efeitos dessa sequência não estava pronta para ser usada na época ainda.

Para manter baixo o custo do filme, Trumbull contratou estudantes de faculdade para alguns efeitos especiais. Um deles foi John Dykstra, que mais tarde ficou famoso em filmes como Star Wars e Jornada nas Estrelas.

Douglas Trumbull disse que ele aprendeu a ser um diretor, depois que fez esse filme, pois ele não tinha experiência nisso ainda.

Várias cenas mostrando naves espaciais foram usadas depois na série de TV “Battlestar Galactica”.

A trilha sonora foi composta por Peter Schickele, que é mais conhecido por suas paródias de música clássica, pelo cognome de P.D.Q. Bach.

De acordo com os comentários no DVD deste filme, Douglas Trumbull deu sua benção a George Lucas, quando ele comentou com Douglas que estava trabalhando em ‘Guerra nas Estrelas” (1977) e que queria criar um robô similar aos drones deste filme, que acabou se tornando o R2D2.

Quando 20th Century-Fox processou a Universal em 1978, dizendo que “Galactica: Astronave de Combate”, (1978) era uma cópia de Guerra nas Estrelas (1977), a Universal retaliou processando a Fox, argumentando que Guerra nas Estrelas (1977) era uma cópia de Corrida Silenciosa (1972).

Vários logos de conhecidas empresas americanas podem ser vistos no filme, tais como Dow Chemical, Coca-Cola, AMF, American Airlines Kawasaki e Rockwell International.

Principais atores: Bruce Dern, Cliff Potts, Ron Rifkin e Jesse Vint.

Roteiro de Derek Washburn e Michael Cimino.

Dirigido por Douglas Trumbull.

Douglas Trumbull é um lendário cineasta e pioneiro dos efeitos especiais em filmes. Ele atuou como supervisor de efeitos em filmes como '2001: Uma Odisseia no Espaço", 'Contatos Imediatos do Terceiro Grau', e mais 'Jornada nas Estrelas' (filme) e 'Blade Runner'.

Vou postar aqui ou no meu canal no YouTube, em breve,  mais um filme de Douglas Trumbull, “Projeto Brainstorm”, de 1983, com Christopher Walken e Natalie Wood. Foi o canto de cisne dela. Ela morreu antes de terminar o filme. 

Abaixo o link para ver o filme:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agWfBu3JSjszaVUpH?e=6qxC4i



terça-feira, 18 de maio de 2021

The Mechanic (Assassino a Preço Fixo), 1972

Depois de um certo tempo em sua carreira, Charles Bronson voltou-se para filmes mais violentos e com personagens frios e calculistas ao contrário do começo de sua carreira, onde se podiam ver mais seus dotes de interpretação. 

Neste filme, Charles Bronson é Arthur Bishop, um matador profissional, que executa seus trabalhos com muita perfeição a detalhes. Ele recebe suas missões através de pacotes entregues em sua bela residência na Califórnia. Depois de executar seu contrato, coloca seu roupão, toma um bom vinho e ouve música clássica.

Depois que recebe a missão de matar um de seus velhos amigos (Keenan Wynn), ele se torna apegado ao arrogante e impertinente filho dele, Steve (Jan-Michael Vincent).

Steve acaba se entusiasmado pelo trabalho de Bishop e este ensina seus truques. Mas, Bishop faz sem antes conversar com a aprovação do “O Homem” e, portanto, fica marcado para morrer também. O enredo não dá há muitas explicações e detalhes desse grupo.

Na rua do hotel meio acabado do centro de Los Angeles, onde mora a primeira vítima de Bishop tem um bar. O nome dele? Hard Rock Café – primeiramente descoberto pelo grupo The Doors, que chegou a usá-lo para fotos da capa do álbum deles em 1970.

As cenas finais do filme foram feitas na cidade de Nápoles, na Itália.

A atriz, que faz o papel de Louise, a namorada suicida do personagem de JM Vincent é Linda Ridgeway. Ela foi uma das muitas que acusaram Bill Cosby de assédio, fato que, segundo ela, ocorreu um antes deste filme.

Há um quadro de uma pintura significativa mostrado no filme, que é uma cópia do “O Jardim das Delícias Terrenas” de Hieronymus Bosch. O original está no Museu Del Prado em Madri.

Algumas cenas foram gravadas em famosas moradias de Los Angeles e Hollywood. Entre elas, um rancho que havia sido do ator Robert Taylor, a mansão usada por Wayne na série de TV Batman e Robin, o Museu de Cera de Hollywood e La Esperanza, um mansão de Hollywood de 40 quartos, na época pertencente a Greta Garbo.

No roteiro original de Lewis John Carlino, a relação entre Arthur Bishop e Steve McKenna era para ser explicitamente gay. Os produtores tiveram dificuldade para arranjar financiamento e vários atores, entre eles George C. Scott, recusaram aceitar o papel até que a homossexualidade fosse removida do enredo.

Charles Bronson era casado com a atriz Jill Ireland e juntos trabalharam em 16 filmes. Neste filme, ela faz um pequeno papel, quase insignificante, de uma prostituta. Charles insistiu que ela estivesse no elenco ou ele não faria o filme. Os produtores mais tarde disseram que, mesmo que Bronson tivesse pedido a Rainha da Inglaterra, eles teriam aceitado.

O significado da palavra “Mechanic” do título original é que o termo na gíria americana significa um matador profissional.

O filme teve bilheteria de 7 milhões de dólares, que equivale a mais de $45 milhões de dólares em 2021.

Foi o primeiro filme em Hollywood do diretor Michael Winner. Seu filme anterior, com Charles Bronson, “Renegado Vingador” (1972) foi filmado na Espanha. Bronson fez vários filmes com Winner, para a série de filmes “Desejo de Matar”.

Richard Dreyfuss era para fazer o papel que ficou com J.M. Vincent, mas ele não agradou a Bronson.  Mas este também não gostou muito de Vincent, porque ele vivia espirrando. Mesmo assim, acabou ficando.

Abaixo, link para o filme legendado.

https://1drv.ms/v/s!AjMUR7SXEhT_yntmVQfjRtwO2Vh8?e=cm4QaV


domingo, 16 de maio de 2021

As Mil e Uma Noites (Arabian Nights), 1942

A dançarina Scherazade (Maria Montez) fica sabendo pela astrologia de que ela vai se tornar esposa de um califa de Bagdá.

Ela conta a Kamar (Leif Erickson), irmão do califa Haroun (Jon Hall). Ele planejava um golpe de estado, que falhou a princípio, mas depois de apoiado pelo vizir, ele finalmente tem sucesso. Haroun se machuca e obtém ajuda de uma trupe de artistas, onde é cuidado por Sherazade (ou Scheherazade), que não o reconhece.  Quando ela fica sabendo que Kamar está procurando por ela, ela vai até ele, mas é vendida com toda a trupe como escravos. Eles conseguem escapar, mas Haroun ainda está em perigo. Para salvá-lo, Sherazade concorda em envenenar Kamar, mas Haroun tenta primeiro estabelecer seu domínio.

Filme de 1942, no auge da Segunda Grande Guerra e feito para ser um escapismo aos momentos de angústia pelo conflito.

Dirigido por John Rawlins. Com John Hall, Maria Montez, Leif Erickson, Sabu (como Ali Ben Ali), John Qualen como Aladdin, Shemp Howard (nosso adorado Shemp dos Três Patetas e irmão de Moe) como Sinbad e Acquanetta como Ishya. 

Os créditos iniciais e finais do filme foram feitos por Mary Blair (1911-1978), uma artista mais conhecida pelas suas contribuições para o Estúdio Walt Disney dos anos 40 aos 60.

Maria Montez é o destaque do filme com sua beleza exótica. Apelidada de Ciclone Caribenho, tinha o nome completo de Maria Africa Antonio Gracia Vidal de Santo Silas. Mudou o nome para Maria Montez porque seu pai era fã da dançarina Lola Montez.

O Aeroporto Internacional de Barahona, República Dominicana, onde ela nasceu, tem o nome de Aeroporto Internacional Maria Montez em sua homenagem. Ela foi a segunda de dez filhos, seu pai sendo um exportador de tecidos e Vice-Cônsul Honorário da Espanha na República Dominicana.

Ela era uma das atrizes mais bem pagas da Universal durante os anos 40. Ela ganhava $150 dólares por semana para fazer “Arabian Nights”. Isso em moeda atualizada de 2021, equivale a apenas US$2,500.00 por semana.

Ela faleceu jovem aos 39 anos, com a mesma idade que seu companheiro de cena neste filme, Sabu.

Este filme também tem a presença da atriz Acquanetta, que faz o papel de Ishya, um nome bem pitoresco para Mildred Davenport, nascida no Wyoming em 1921. Ela também tinha um apelido. O Vulcão Venezuelano. Embora ela fosse americana e de descendência dos índios Arapahos. Sua mãe era uma índia Arapaho e seu pai um homem branco. Ela dizia que o avô do seu pai era um filho ilegítimo do Rei da Inglaterra.

Sua carreira no cinema foi tema de uma ópera de um ato, Acquanetta, que estreou em 2018 em Nova York.

Abaixo link para o filme legendado:

sexta-feira, 30 de abril de 2021

Elizabeth R, Minissérie - Episódios 5 e 6 - (1971) - Final.

Estes são os dois últimos episódios da premiada minissérie sobre os tempos da Rainha Elizabeth I, descendente de Ana Bolena e de Henrique VIII. Nos anteriores, vimos a sua disputa ao poder com Mary Stuart e com a consequente decapitação desta. 

No episódio 5 e depois desse trágico acontecimento com Mary, o Rei Filipe II, da Espanha, decide enviar a sua Armada Espanhola ou a sua Invencível Armada,  a esquadra mais temida da época, para a invasão da Inglaterra, Ficou conhecida como The Enterprise ou O Empreendimento.
A essa época, Filipe já estava adoentado, mas queria de qualquer modo vingar a morte de Mary e tirar a herege, a usurpadora do trono inglês.
O mais indicado e experiente comandante seria o Marquês de Santa Cruz, mas ele adoece antes da empreitada. Filipe designa, então, o Duque de Medina e Sidônia para comandar a invasão pelo mar, enquanto que Filipe conta com o apoio do Duque de Parma, que está em terras holandesas e aguardando a chegada da Armada para combinar o ataque à ilha inglesa.
Mas Elizabeth poderá contar com Sir Francis Drake e seus comandados. 

No episódio 6, já estamos em 1600 e a Inglaterra conseguiu afastar a invasão por parte dos espanhóis. Elizabeth está velha, mas ainda capaz de fazer par com o jovem Conde de Essex, muito embora a grande paixão de Elizabeth tivesse sido Robert Dudley, o Conde de Leicester.
A rainha tem problemas com os irlandeses e também chega a esmagar uma rebelião por parte de Essex, que deixe Elizabeth sem vontade de viver.

Com Glenda Jackson como Elizabeth I, Robert Hardy como Robert Dudley (Conde de Leicester), Ronald Hines como William Cecil, Stephen Murray como Walsingham, Peter Jeffrey como Filipe II, Robin Ellis como Robert Devereaux (Conde de Essex), John Woodvine como Francis Drake e Christopher Hancock como Juan de Idiaquez. 


Abaixo o link para os dois episódios.
Episódio 5

Episódio 6

sábado, 24 de abril de 2021

A Herdeira (Bloodline), de Terence Young (1979)

Sam Roffe, presidente de uma multinacional farmacêutica morre ao cair de uma montanha, fazendo alpinismo. A princípio, é apontado ser um acidente, mas o investigador da polícia, Max Hornung descobre que Roffe foi assassinado. A corda que o sustentava na montanha foi cortada por um tiro.

A filha de Sam, Elizabeth assume o controle da empresa e ela começa a ser o próximo alvo, porque ela não quer, assim como Sam Roffe não desejava, tornar a empresa pública, com ações no mercado. 

A primeira suspeita da morte recai nos primos de Roffe, todos querendo que a empresa abra o capital e possam vender ações e ficarem ricos. Assim como seu pai, Elizabeth rejeita a ideia dos primos e mantém a empresa com capital fechado.

Enquanto isso, Hornung pesquisa a vida pregressa dos primos e mais tentativas de matar Elizabeth acontecem. O inspetor de polícia acaba conseguindo conectar essas tentativas a uma série de assassinatos de prostitutas, que são gravadas em filmes. Os chamados “snuff films”, que são filmes onde mostram mortes sendo realizadas. As suspeitas também recaem em Rhys Williams, que é o CEO da empresa, mas as dúvidas se esclarecem apenas ao final do filme.

O papel de Elizabeth Roffe foi recusado por Candice Bergen, Jacqueline Bisset e Diane Keaton, antes de Audrey Hepburn aceitar e a idade da personagem foi alterada de 23 para 35. Audrey já estava com 50 anos quando o filme estreou. Ela estava em semi-aposentadoria quando concordou em fazer o filme. O salário dela foi de $1.000.000 de dólares mais uma porcentagem dos lucros.

Este filme foi feito após o término de seu segundo casamento com o playboy italiano Andrea Dotti e ela quis fazer o filme para esquecer, não percebendo que no meio das filmagens, haveria um subenredo interpolado de um ‘snuff film’. Ela quis desistir, mas honrou o seu contrato, para desespero de seus fãs e admiradores.

O diretor Terence Young ficou conhecido por dirigir três dos primeiros filmes de James Bond nos anos 60. Por coincidência, Gert Frobe, que faz o papel do investigador, também fez um papel em “007 contra Goldfinger”, embora este filme tenha sido dirigido por Guy Hamilton.

Bloodline ou A Herdeira, baseado em livro do famoso escritor Sidney Sheldon, sempre teve um certo apelo, não sei pela bela trilha de Morricone ou pela presença de grandes astros como Audrey Hepburn, Ben Gazzara, James Mason, Romy Schneider, Maurice Ronet, Irene Papas e Omar Sharif. Além de uma ponta de Wolfgang Preiss, que faz Julius Prager. Wolfgang ficou muito conhecido por fazer papeis de general nazista. O elenco é muito desperdiçado em um roteiro mal elaborado, que se configura morno em grande parte do filme (haja vista a nota ruim de 4.6 que tem no IMDb).  E que deve ter dado um belo prejuízo com as locações em várias cidades. Mas ainda vale assistir.

Abaixo o link do filme legendado:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agVpCwbM_W0bNSaf8?e=NgrRgX


sexta-feira, 23 de abril de 2021

O Ente Querido (The Loved One), de Tony Richardson (1965)

Este filme é baseado em uma sátira sobre o tema funerário, escrita por Evelyn Waugh (um escritor britânico que viveu de 1903 a 1966) e que via excessos na preparação dos 'entes queridos' para suas partidas à eternidade.


A estória é vista por Dennis Barlow (Robert Morse), um jovem inglês que chega aos EUA para uma visita. Ele procura seu tio, Sir Francis Hinsley (John Gielgud), que trabalha para um estúdio de cinema. Sir Francis tem contato com expatriados ingleses que tiveram uma relação de amor/ódio com a indústria de filmes, mas que tinham vidas melhores do que na Inglaterra. Pelo menos, em Los Angeles, eles eram vistos como uma raridade com muito panache, em grande contraste com as cabeças deseducadas dos donos de estúdio e as assim chamadas estrelas.


Quando Sir Francis morre em circunstâncias trágicas, os britânicos decidem indicar o jovem Dennis para escolher a maneira adequada para enterrá-lo. Eis como Dennis chega a Whispering Glades, o último lugar de descanso para os privilegiados e famosos. Ele fica chocado pelos excessos que ele vê no lugar, que está sendo dirigido pelo misterioso Rev. Wilbur Glenworthy (Jonathan Winters).


É aí onde ele conhece e se apaixona por Aimée (Anjanette Comer), a garota que é promovida a ser a primeira mulher embalsamadora. Dennis  fica intrigado pelo modo como o embalsamador, Mr. Joyboy (Rod Steiger) preparou Sir Francis para seus amigos vê-lo no local. Como Dennis não tem um emprego, ele é recrutado por Harry Glenworthy (de novo Jonathan Winters) para ajudar com o cemitério de bichos de estimação.


Elenco all star: Robert Morse como Dennis, Jonathan Winters como Wilbur e Harry Glenworthy, Anjanette Comer como Aimée, Rod Steiger como Mr. Joyboy, Dana Andrews como General Brinkman, Milton Berle como Mr. Kenton, James Coburn (como um funcionário da alfândega no aeroporto, quando Dennis chega, no início do filme), Robert Morley como Sir Ambrose, Lionel Stander como um Guru, Bernie Kopell (nosso adorável Sig de Agente 86) como assistente do Guru, e Alan Napier (nosso adorável Alfred da série Batman&Robin).


Veja link para o filme abaixo:

Veja abaixo o link para o filme

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agVlytBYZIVjzrvyv?e=BQPKbO

quinta-feira, 22 de abril de 2021

A Noite Americana (La Nuit Américaine), de François Truffaut (1973)

"Fazer um filme é como uma viagem de carruagem. No começo, você espera que seja uma boa viagem. Depois, você apenas espera chegar ao seu destino."

No início do filme, o diretor Ferrand (François Truffaut), narra isso em "Day for Night" ou "La Nuit Américaine" ou "A Noite Americana".  Grande parte do filme ilustra bem essa frase.

Em seu famoso livro sobre Hitchcock, Truffaut diz em alguma parte que seria uma boa ideia fazer um filme sobre fazer um filme e Hitchcock concorda. Felizmente, Truffaut levou a ideia  a sério e, provavelmente, seja o melhor filme dentro de um filme.

Jean-Pierre Léaud, Jacqueline Bisset e François Truffaut
O enredo do filme "Conheça Pamela" é sobre uma estória de amor e vingança, sobre um homem se apaixonando pela nora. Parece ser um filme bem medíocre e começa devagar, mas aos poucos vai ficando interessante. Vamos conhecendo o elenco e a equipe de "Conheça Pamela". Julie Baker, uma atriz de Hollywood, que teve um colapso nervoso e agora está se recuperando, tem problemas com seguro. Alphonse, um ator francês neurótico e ciumento, que está apaixonado perdidamente por uma garota e a quem ele consegue um emprego de auxiliar de roteirista, só para ter ela por perto. Alexandre, um ator veterano, que fez muitos papeis de amante em sua carreira, mas, na verdade, é um homossexual que está dentro do armário. Severine, uma atriz italiana, com problema de alcoolismo, que costuma fazer par com Alexandre frequentemente, mas não tem falado com ele há anos, talvez porque ela descobriu que ela não tem chance alguma de se tornar amante dele na vida real. Da equipe de filmagem, temos Joelle, a assistente de produção, que parece estar mais envolvida em fazer o filme do que o próprio diretor Ferrand. É dela a frase: "Eu deixaria um cara por um filme, mas nunca deixaria um filme por um cara. Liliane, a garota que pegou o emprego de auxiliar de roteirista apenas porque Alphone a queria por perto e que não parece estar realmente interessada no filme, ou em Alphonse. Odile, a garota da maquiagem que também tem um pequeno papel no filme. Bernard, um assistente de produção, que nos passa o dia a dia dos bastidores de um filme. E o produtor Lajoie, cuja esposa está sempre perto e um ponto grita para o elenco e equipe porque ela não consegue compreender o comportamento 'imoral' deles.

Elenco: Jacqueline Bisset como Julie, François Truffaut como Ferrand, Valentina Cortese como Séverine, Dani como Liliane, Alexandra Stewart como Stacey, Jean-Pierre Aumont como Alexandre, Jean-Pierre Léaud como Alphonse, Nike Arrighi como Odile,  Nathalie Baye como Joelle, Bernard Mener, como Bernard e Gaston July como Lajoie. Ponta do escritor Graham Greene como um agente de seguros.

Trilha sonora de George Delerue.

Filme indicado a 3 Oscars de 1975 (Melhor Diretor, Melhor Filme e Melhor Atriz Coadjuvante para Valentina Cortese). Filme já havia ganho o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1974. Também em 1974, ganhou três BAFTAs para as indicações do Oscar em 1975.

Um dos 10 filmes preferidos de Steven Spielberg.

Veja filme pelo link abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agVhTyeP290FxwYb4?e=VIXbQh

quarta-feira, 21 de abril de 2021

Have Gun Will Travel (O Paladino do Oeste) - Strange Vendetta - Episódio 7 da 1ª Temporada (1957)

A época é após a guerra civil americana e Paladin é um ex-militar formado na prestigiada Academia Militar de West Point. Agora é um bon-vivant, que mora em hotel em San Francisco e aceita serviços especiais perigosos. Seu cartão de visitas diz o nome da série em inglês: Have Gun Will Travel. Que podemos traduzir como Tenho Arma e Estou Disposto a Viajar. É um ex-militar culto e que gosta frequentemente de citar frases de obras clássicas, como Shakespeare.

A série de TV durou várias temporadas, de 1957 a 1963. Aqui no Brasil foi traduzido como O Paladino do Oeste e, que eu me lembre, chegou a ser exibida na antiga TV Tupi, sendo dublada pela CineCastro. A série dublada, se completa, deve estar nas mãos de algum colecionador. 

Mas para mim, que sou um dos fãs da série e de Richard Boone, que faz Paladin (nos episódios sempre chamam ele de Mr. Paladin, ninguém sabe o prenome), vou postar os melhores episódios legendados de cada temporada. Dessa primeira temporada, selecionei 6 episódios.

O primeiro episódio será "Strange Vendetta", que podemos traduzir como "Uma Vingança Estranha", o 7º episódio da 1ª temporada, de 1957.

Enredo: Quando um simples convite para o teatro acaba virando um caso de assassinato e Paladin aceita um contrato de serviço, que pode se tornar mais complicado do que ele consegue perceber.

Com June Vincent como Senhora Rojas. Michael Pate como Miguel Rojas. Participação de Kam Tong como Hey Boy.

Como disse no resumo acima, Paladin gosta de citar escritores famosos. Nesse episódio ele cita a Cena 1, Ato 3  de Romeu e Julieta de Shakespeare: "Mercúcio descreve sua ferida como não tão profunda como um poço, nem tão aberta como a porta de uma igreja, mas é o que basta."

Os acordes musicais de perigo iminente ouvidos em várias cenas foram mais tarde usados no filme "Intriga Internacional", de 1959. Ambas trilhas sonoras compostas por Bernard Herrmann.

Os atores Michael Pate e June Vincent, que interpretam Senor & Senora Rojas, ambos nasceram em 1920 e faleceram em 2008. Michael Pate era australiano e fez várias papéis de índio em filmes de Hollywood.

Abaixo link para o episódio legendado:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agVaSxbDwSOBGEb5C?e=mICE1d

terça-feira, 20 de abril de 2021

Os Russos Estão Chegando! (The Russians are Coming), de Norman Jewinson (1966)


Nos tempos da Guerra Fria, um capitão de um submarino russo chega muito perto da costa da Ilha de Gloucester no estado de Massachusetts, para dar uma olhada nos Estados Unidos e encalha o submarino. Uma equipe de nove homens, comandada pelo Tenente Rozanov (Alan Arkin) vai até a praia para procurar um barco a motor que possa liberar o submarino e acaba chegando até a casa de verão de um jornalista da revista New Yorker, Walt Whittaker (Carl Reiner), que está passando o fim de semana com sua família em Gloucester (pronuncia-se Glauster). Quando ele percebe que eles são russos, ele acredita que esteja havendo uma invasão. Logo a informação vaza para todo o lugar e começa a histeria e paranoia nos habitantes da vila.

O filme teve um impacto muito grande nos líderes soviéticos e americanos. Norman Jewison foi pessoalmente convidado a ir a Moscou, onde ele disse que os russos ficaram transfixados pela cena do filme em que um garoto cai da torre do sino e os soviéticos e americanos cooperam para salvá-lo.

O ator Brian Keith falava um russo fluente, fato que ele demonstrou no filme Meteoro (1979), fazendo um cientista russo e também na minissérie World War III (1982). Aqui, Keith faz o papel de um chefe de polícia da cidade e faz a tradução da queixa do Inglês ao Russo para o comandante do submarino. Arkin também fala russo fluentemente.

Sem pode usar um submarino verdadeiro da marinha americana e também não conseguindo trazer um submarino russo para os EUA, o departamento de arte construiu um submarino russo. Tinha 4 motores no casco.

O livro que deu origem ao filme (The Off-Islanders) foi escrito por Nathaniel Benchley, pai do escritor Peter Benchley, famoso pelo livro Jaws (Tubarão, filmado por Steven Spielberg).

Filme ganhador de dois Globos de Ouro (Melhor Ator para Alan Arkin e Melhor Filme). Também foi indicado ao Oscar em 1967 para quatro prêmios: Melhor Filme, Melhor Ator Principal, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Edição. Um dos editores era Hal Ashby, que depois dirigiu vários filmes.

Elenco: Alan Arkin, Carl Reiner, Brian Keith, Jonathan Winters, Eva-Marie Saint, Paul Ford, Theodore Bikel, Michal J. Pollard (como mecânio de avião) e John Philip Law (como Alexei). 

Veja o filme pelo link abaixo.

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agVWEZ6AqBhuktnt7?e=fgsfV6

O Camelo Preto (The Black Camel), 1931 - Aventura de Charlie Chan

Meu primeiro contato com Charlie Chan foi na época do desenho na TV.

Só fui conhecer os filmes de Charlie Chan, quando comecei a publicar os filmes no meu extinto canal do YouTube (já tive três canais, mas é um esforço em vão, não há reconhecimento e retorno financeiro, além de certo descaso ou desinteresse do YouTube para os youtubers de filmes).

Houve alguns intérpretes do personagem Charlie Chan no cinema, mas para mim o melhor foi Warner Oland. Quem diria que um sueco personificaria o melhor detetive chinês de todos os tempos. Peter Lorre faria o mesmo com seu o japonês Mr. Moto. Não quero descreditar Sidney Toler, que tomou o bastão do detetive chinês após a saída de Warner Oland. Sidney Toler foi muito bem, mas o meu preferido é Warner Oland. Na foto, a atriz Sally Eilers no meio de Warner Oland e Bela Lugosi.

Vou postar alguns filmes do detetive e este, O Camelo Preto, de 1931, é o primeiro deles. Este filme conta com a presença ilustres de Bela Lugosi, que havia tido um grande sucesso com seu último filme na época. E também de Robert Young, que ficaria muito famoso nas séries de TV, O Papai Sabe Tudo e Marcus Welby.

O enredo de O Camelo Preto é a estrela de cinema Sheila Fayne, que namora o rico Alan Jaynes, enquanto ela faz um filme em Honolulu, Havaí. Ela não quer se casar sem antes consultar o famoso vidente, Tanaverro (Bela Lugosi). Este a confronta sobre o caso de uma assassinato não resolvido de um ator colega, Denny Mayo três anos antes. Ela acaba decidindo recusar a proposta de casamento de Jaynes. Quando Sheila é encontrada morta em sua tenda na praia, Charlie Chan da Polícia de Honolulu começa a investigar.

Charlie Chan foi criado pelo americano Earl Derr Biggers. Ele visitou o local de filmagem no Havaí, apresentando uma cópia do seu livro de 1929, baseado em Chang Apana, um investigador da polícia de Honolulu para criar Chan. 

O caso do assassinato não resolvido do ator de Hollywood, que é uma parte importante do enredo, foi inspirado no assassinato não resolvido do diretor William Desmond Taylor em 1922.

Warner Oland recebeu $10.000 pelo seu primeiro filme como Chan, A Astúcia de Chan (1931). O estúdio aumentou o valor para $12.500 para este filme e $20.000 para os próximos três filmes.

Bela Lugosi se tornou um grande astro (cortesia de "Dracula"), durante o ano em que O Camelo Preto estreou.

Veja abaixo link para ver o filme legendado:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agVT70R2Md0QNawPU?e=unhFiM


segunda-feira, 19 de abril de 2021

Horizonte de Glórias (Flying Leathernecks), de Nicholas Ray (1951)

Major Daniel Kirby (John Wayne) assume comando de um esquadrão de fuzileiros navais (os leathernecks), pouco antes deles irem a combate. Os homens são bem intencionados, mas ele acha que eles são indisciplinados e muito inclinados a achar alguma desculpa para fazer o mais fácil do que fazer o necessário. A raiz do problema é o segundo em comando, Capitão Carl 'Griff" Griffin (Robert Ryan). Griff é o melhor piloto do grupo, mas Kirby acha ele um comandante fraco e que não está preparado para a difícil decisão de que todos os comandantes têm que tomar - colocar seus homens em perigo, sabendo que eles podem morrer.

Este filme é considerado ser apenas mais um compromisso do direto Nicholas Ray nos estúdios da RKO, para o produtor Howard Hughes provar seu apoio político e profissional durante a Preocupação Vermelha, afinal, estavam no pós guerra, o começo da guerra fria e o Macartismo. Ray não concordava com a mensagem política do filme e dizia a Robert Ryan para intencionalmente exagerar nas suas cenas. Ryan e Ray, que eram liberais esquerdistas, constantemente discutiam com John Wayne e Jay C. Flippen, que eram conservadores e apoiavam a Lista Negra.

Os fuzileiros navais ganharam  esse apelido de 'leathernecks', pelo fato de que os primeiros uniformes deles tinham um colarinho feito de couro, que tinha o propósito de proteger a garganta de ataques de faca.

O personagem de John Wayne foi baseado no Capitão John Lucian Smith, comandante do Esquadrão 223 em Guadalcanal, em 1942, durante a Segunda Guerra. Smith, que era piloto de caça, abateu dezenove aviões japoneses em Guadalcanal (ilha do Pacífico, situada nas Ilhas Salomão, a nordeste da Austrália). Smith foi depois promovido a Tenente Coronel e John Wayne, no filme, também é promovido igual. E havia um certa semelhança física de Smith com Wayne.

Os aviões-caça vistos na parte inicial do filme não são realmente os Grumman F4F Wildcat que foram parte da campanha de guerra em Guadalcanal, mas sim Grumman F6F Hellcats. Os Hellcats estavam disponíveis na ocasião das filmagens e não havia mais Wildcats que houvessem sobrevivido após a Guerra. Além disso, os Hellcats pintados de branco e vermelho fizeram de conta que eram os Mitsubishi A6M Zeros dos japoneses.

Guadalcanal tem esse nome por causa da cidade natal de Guadalcanal em Andaluzia, Espanha, devido Pedro de Ortega, que trabalhou com Alvaro de Mendana, que desbravou a ilha em 1568.

Curiosidades sobre o filme obtidas em IMDb.com.

Veja abaixo o link para o filme legendado:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agVIt3QxbouOS30gM?e=SAHkca 


quarta-feira, 14 de abril de 2021

Quando as Águias se Encontram (The Great Waldo Pepper), de George Roy Hill (1975)

Este é um dos meus 2 filmes preferidos da dupla Robert Redford/George Roy Hill. O outro é “Golpe de Mestre”.

A abertura do filme mostra um pequeno avião dando volta ao mundo, fazendo alusão a que seria visto no filme. A 1ª Guerra Mundial havia terminado já há algum tempo, mas os grandes aviadores do mundo nunca tinham se encontrado em combate. Mas Waldo iria mudar tudo isso, mesmo que isso o matasse. A era do filme é localizada nos agitados anos 20, entre 1926 e 1931, em que os melhores pilotos são obrigados a desafiar a morte em espetáculos de circos, tais como Waldo Pepper (Robert Redford), Axel Olson (Bo Svenson) e Ezra Stiles (Edward Herrmann). Waldo não chegou a lutar na 1ª Guerra Mundial e quer buscar a glória que ele perdeu. Depois dos espetáculos de circo e apresentações perigosas, ele acaba fazendo papel de dublê em filmes de Hollywood. Não perca o grande final em que ele disputa com um grande piloto alemão (Bo Brundin), também agora reduzido a fazer dublês.

Não foram feitas cenas de avião dentro do estúdio. Todos os ‘close-ups’ dos atores em voo foram feitos de verdade, às vezes com o próprio diretor, que foi um piloto dos fuzileiros navais, voando com o avião, enquanto dirigia. As cenas com Robert Redford e Bo Svenson sobre as asas foram feitas sem uso de paraquedas e cabos de segurança.

Quando Waldo conta sobre seu voo com Kessler no começo do filme, ele menciona que sua metralhadora emperrou e Kessler, vendo que ele seria um alvo fácil demais, o  saudou  foi embora. Isso realmente aconteceu com Ernst Udet (o piloto alemão em quem Kessler é baseado), quando ele lutara com o às francês Georges Guynemer em 1917, só que naquela vez, Udet (na época sem muita experiência) é quem teve sua arma emperrada e foi Guynemer quem o deixou ir embora.

A foto de Ernst Udet aparece nos créditos iniciais.

O papel, que acabou indo para Bo Svenson, era originalmente destinado a Paul Newman, mas ele não se convenceu a fazer o filme. Contudo, seu filho, Scott Newman, aparece no filme, com o papel de Duke.

Com Robert Redford, Bo Svenson, Margot Kidder, Susan Sarandon, Edward Herrmann e Bo Brundin.

Roteiro de William Goldman, famoso por Butch Cassidy (com o diretor George Roy Hill) e Todos os Homens do Presidente (com o diretor Alan Pakula).

Trilha sonora do mestre Henry Mancini.

Veja o filme em alta resolução, com legendas em português abaixo:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agUWJzFNBXBwyw9iI?e=JDhfbG




domingo, 11 de abril de 2021

Prisioneiro do Remorso (The Prisoner), de Peter Glenville (1955)

Um cardeal (Alec Guinness) é preso por traição contra o seu país. O filme não esclarece qual país, qual cidade e quando.

Como Príncipe da sua Igreja e um herói popular do seu povo, pela sua resistência aos nazistas durante a guerra e depois pela sua resistência quando seu país cai sob o domínio de um conquistador totalitário. Na prisão, seu interrogador (Jack Hawkins) está determinado a conseguir uma confissão de culpa do cardeal de forte resistência e depois destruir seu poder ante seu povo. As batalhas psicológicas e verbais são dramáticas e nem com as crescentes pressões sobre o cardeal conseguem enfraquecê-lo, nem mesmo sendo colocado em uma solitária, sob forte luz na sua cela, sem poder dormir, tudo para fazê-lo enlouquecer. Ao passar do tempo, o prisioneiro vai acabar criando um tremendo sentimento de pena por parte do seu interrogador.

O filme foi considerado controverso demais e foi banido de exibição nos Festivais de Filme de Veneza e Cannes.

Filme é baseado em peça de teatro de Bridget Boland e ela participou no roteiro do filme. Alec Guinness repetiu o papel do cardeal, que ele tinha feito no teatro em 1954. Este filme foi um ano depois do seu famoso papel como Padre Brown.

Guinness e Jack Hawkins iriam trabalhar juntos novamente no clássico, “A Ponte do Rio Kwai”, em 1957.

O filme foi criticado como sendo anticatólico na Itália. Foi curiosamente chamado de pro-comunista na Irlanda e anticomunista na França. Mas foi indicado a 5 prêmios BAFTA, o que prova sua qualidade.

Dizem que seu papel como Padre Brown e neste como cardeal foram um grande passo para Guinness se converter ao catolicismo.

Este filme foi supostamente baseado na vida real do Cardeal Mindszenty, que não gostou muito do filme.

Veja abaixo link para o filme legendado em português:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agT5RylxuicBdLzzP


segunda-feira, 5 de abril de 2021

O Moço da Filadélfia (The Young Philadelphians), de Vincent Sherman (1959)

Começamos com um prólogo. Em 1924, um mulher, vinda da classe pobre, Diane Brewster (como Kate Judson) se casa um homem rico, Adam West como Bill Lawrence. Na lua de mel , ele diz  a ela que não consegue amá-la. Aparentemente, porque não consegue ter relações com ela. Ela vai chorar suas mágoas com Brian Keith, que faz Mike Flanagan, a quem ela inicialmente havia rejeitado por ser pobre. E acaba sendo tendo relações com ele. Embora Flanagan queira se casar com a viúva Diane, ela quer que seu filho cresça com as vantagens de ter o sobrenome Lawrence.

Depois, saltamos para o presente, onde vemos o aluno de Princeton, em 1947, Paul Newman, como Tony Lawrence, trabalhando para a empresa de construção de Mike Flanagan. Tony quer se formar em Direito. Um dos empregados da construção tem uma discussão acalorada por um acidente de carro com a linda Barbara Rush (como Joan Dickinson). Tony fica ao lado dela, provavelmente porque ela é mais bonita que o grandalhão Leonard Bremen, e eles se apaixonam. Contudo, o pai rico de Joan é John Williams (como Gilbert Dickinson) e não aprova o pobretão do Tony. É um tipo novelão, com o protagonista tentando subir na vida.

Quem rouba as cenas é o colega de Tony, Robert Vaughn, como Chet Gwynn. Ele bebe demais e é acusado de assassinato. Chet quer que Tony advogue para ele. Vaughn recebeu indicação para Melhor Ator Coadjuvante. Também foi indicado ao Globo de Ouro.

O filme, para os padrões de hoje, está datado. Mas para a época, em final do anos 50, conta com vários assuntos sérios, como homossexualidade, filho fora do casamento, adultério, suicídio e alcoolismo. Vale pelo bom diretor e atores.

Com Paul Newman, Barbara Rush, Brian Keith, Adam West e Robert Vaughn.

Veja abaixo link do filme com legendas em Português.

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agT2hg16572r2x2ES?e=u2kCDm


terça-feira, 30 de março de 2021

Bob, Carol, Ted e Alice, de Paul Mazursky (1969)


Filme do final dos anos 60, capturando uma década de rebeliões e mudanças de comportamento. Robert Culp faz um produtor de documentários que, com sua esposa Carol, fazem um casal que vai uma terapia de grupo, que serve de pano de fundo para o início do filme. 

Voltando para a casa deles em Los Angeles, o casal se sente iluminado após a terapia e querem passar esse sentimento para seus amigos próximos, Ted e Alice (Elliott Gould e Dyan Cannon). Ted e Carol não se conformam que seus amigos não confessam seus verdadeiros sentimentos. Bob insiste que todos devem ‘sentir’ em vez de intelectualizar as emoções e Carol diz ‘isso é lindo’ após qualquer um dizer alguma coisa, até mesmo remotamente pessoal. Ted e Alice se divertem com seus amigos, mas uma tensão sexual de boa natureza fica óbvia entre os dois casais.

Natalie decidiu apostar no filme e trocou seu salário no filme por uma porcentagem no filme. Ela acabou ganhando 3 milhões de dólares.

Donald F. Muhich, que faz o papel de terapeuta de Alice, foi terapeuta na vida real do diretor Paul Mazursky. E segundo o próprio diretor, ele considera ser seu melhor filme.

Bill Cosby, parceiro de Robert Culp, na série de TV, Os Destemidos (1965), faz uma ponta, onde ele usa um chapéu, uma camisa vermelha e óculos de sol, quando ele esbarra em Bob na cena da boate.

Natalie Wood uma extraordinária atriz e uma das minhas favoritas. Dyan Cannon também ótima e extremamente sensual.

Veja filme legendado em Português no link abaixo.

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agTyPvvXxStTTKuKF?e=pUKK7L


domingo, 28 de março de 2021

Dois Homens Contra uma Cidade (Deux Hommes dans la ville), de José Giovanni (1973)

O enredo mostra um ex-ladrão de banco que é solto depois de 10 anos de prisão. Ele obtém ajuda para voltar à vida social, mas é perseguido por um antigo policial do seu passado.

Germaine Cazeneuve (Jean Gabin) é um profissional que cuida de prisioneiros  e seu trabalho é reformá-los para se ajustarem à uma nova vida, depois da prisão. Ele pede leniência no caso de arrombador de cofres, Gino Strabliggi (Alain Delon), que vai ficar na condicional depois de 10 anos preso. A junta de condicional aceita o pedido de Germaine, mas sob a condição de que ele fique responsável por Strabliggi. Gino, como ex-preso, é forçado pela lei francesa a tomar residência fora da cidade e ele se fixa com a jovem esposa no interior, onde o destino trabalha contra ele, quando sua esposa é morta e depois ele é cercado pelo antigo bando para voltar à sua antiga vida. Ele também é perseguido por um dos policiais que o prendeu anos atrás, o agora chefe de polícia Goitreau, que tem a área sob sua jurisdição e ainda mantém uma bronca pessoal de Gino, tornando-se mais suspeito quando ele descobre que a nova namorada de Gino trabalha no banco local. Com a ajuda de seu novo bom amigo, Cazeneuve e sua nova namorada Lucie (Mimsy Farmer), ele tenta exorcizar seus demônios internos e lutar contar seus inimigos.

O diretor José Giovanni é mais conhecido por ser roteirista de vários filmes do diretor Jean-Pierre Melville. Seus roteiros são mais ligados ao crime, uma área que ele conhecia muito bem, pois ele esteve no corredor da morte na França, de 1948 a 1956, antes de ganhar o perdão presidencial.

Este filme foi parte de uma campanha contra a pena de morte na França, que aconteceu nos anos 70. José Giovanni foi sentenciado à morte, logo depois do fim da Segunda Guerra e foi perdoado pelo então presidente francês. Dez anos depois, depois de cumprir sua sentença, ele se tornou um roteirista e diretor. A pena de morte foi finalmente abolida na França em 1981.

Veja link para o filme:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agTv39OP19ZjgzSFL?e=jRCNtK


segunda-feira, 22 de março de 2021

Dois Farristas Irresistíveis (Bedtime Story), de Ralph Levy (1964)

Benson (Marlon Brando) é um conquistador, um Casanova, que despreza mulheres e inventa mil e um truques para levá-las para cama e depois deixá-las. Seu disfarce favorito é passear pela Alemanha, se fingindo de soldado americano de origem alemã. 

Quando ele encontra uma garota que ele gosta, ele tira uma foto Polaroid da casa dela, bate na porta, mostrando a foto e fingindo estar em peregrinação pelas redondezas e pela casa da sua avó. É um sistema infalível de atacar e fugir. Benson parece contente com seu jogo até que ele encontra Jameson (David Niven), um malandro profissional que aprendeu a combinar sexo com dinheiro. Jameson finge ser um príncipe exilado e não só leva suas conquistas para cama, como também faz ela mostrar todas as suas joias. Benson começa a disputar as conquistas com Jameson e quem ganhar, irá dominar um pequeno resort na Riviera como “O Rei da Montanha”.

A qualidade do filme não é em alta resolução, mas faz algum tempo que quis postar este filme, que aniversaria seus 57 anos. Uma boa maneira de contrapor dois estilos diferentes de atores e personagens.

A ideia original era reunir Tony Curtis e Gregory Peck, mas acho que as escolha do par (Brando e Niven) foi perfeita. Há quem prefira a versão com Steve Martins e Michael Caine, que também é muito boa, mas ainda prefiro este original.

O diretor Ralph Levy é mais conhecido por dirigir comédias para TV.

Veja o filme legendado em Português aqui abaixo no link:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agTktphG3IRUGvx4B?e=M0jg3e


sexta-feira, 12 de março de 2021

O Criado (The Servant), de Joseph Losey (1963)

James Fox ("Tony") contrata Dirk Bogarde ("Barrett") para ser seu criado em sua casa de Londres. Tudo vai bem até a chegada de sua irmã, Vera (Sarah Miles). Veja começa a criar um certo grau de bagunça na vida normalmente organizada, se um tanto dissoluta do empregador, especialmente na relação de Tony com namorada Wendy Craig (Susan). Quando o casal volta inesperadamente, descobre o irmão e a irmã juntos na cama e eles são demitidos. Isso poderia ser o fim de tudo, mas os dois homens se encontram no bar alguns dias depois e o aristocrata acaba o contratando de novo.

Mais um filme do diretor Joseph Losey aqui no blog, depois de “O Mensageiro”.

Filme ganhador de 3 BAFTAs.

Dirk Bogarde como Barrett, Sarah Miles como Vera, Wendy Craig como Susan e James Fox como Tony.

Pontas do ator Patrick Magee e do escritor/roteirista Harold Pinter no restaurante.

Fotografia de Douglas Slocombe.

Quando o produtor e diretor Joseph Losey foi hospitalizado por duas semanas durante as filmagens, Sir Dirk Bogarde continuou com as cenas, assistido por instruções diárias por parte de Losey, direto do quarto do hospital. Quando Losey voltou ao set, ele não refilmou nenhuma das cenas, para alívio do elenco e equipe.

Foi o décimo filme do diretor filmado no Reino Unido, depois que ele entrou na lista dos comunistas de Hollywood.

Wendy Craig substituiu Vanessa Redgrave, que teve de desistir do papel, porque estava grávida da sua filha mais velha, Natasha Richardson.

O filme foi feito sob um orçamento de 135 mil libras. E foi um sucesso de bilheteria. Losey disse depois que foi o único filme em que ele teve uma porcentagem dos lucros e que lhe deu algum dinheiro.

Filme consta da lista de Steven Schneider : Os 1001 Filmes que você tem que ver antes de morrer”.

Filme legendado em Português. Link abaixo para ver o filme:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agTjiVczma1Vun6zq?e=S7nV3G


sábado, 6 de março de 2021

Golpe Baixo (The Longest Yard), de Robert Aldrich (1974)

O título original do filme “The Longest Yard” tem um pouco a ver com o jogo de futebol americano, mas também se refere à prisão em que o personagem de Burt Reynolds, Paul Crewe, vai os próximos 18 meses e seria como ele percorresse sua jarda, seu caminho mais demorado.

Ele fora um quarterback que foi tirado do futebol por um escândalo de manipulação de resultados. Agora ele está servindo sentença na prisão por roubar a Maserati da sua amante e causando uma enorme bagunça, quando ela chama a polícia para ir atrás dele.

A prisão de Citrus State, tem um time de futebol americano amador, com os guardas e é administrado pelo diretor da prisão, Rudolph Hazen (Eddie Albert). A pedido de Hazen e para fazer seu tempo na prisão mais pacífico possível, Crewe (Reynolds) concorda em arrumar um time de colegas presos para enfrentar o time dos guardas.

Este filme foi típico de sua era, pelos seus temas politicamente incorretos – uma brisa de ar fresco comparado com a sociedade ultra sensível de hoje. Houve uma refilmagem com Adam Sandler, mas é esta é muito melhor.

Outro filme de sucesso de Burt Reynolds e do diretor Robert Aldrich. Reynolds já havia tido um grande sucesso em “Amargo Pesadelo”, dois anos antes.

Elenco deste filme, além de Burt Reynolds, Eddie Albert como o diretor da prisão, Michael Conrad, Mike Henry, Bernadette Peters como secretária do diretor da prisão e Anitra Ford, como a garota no início do filme, de quem Reynolds rouba o carro.

Alguns dos atores já havia jogado futebol profissionalmente. Burt Reynolds jogou pela Florida State University e chegou a ser escolhido pelos Baltimore Colts. Mike Henry jogou pelo Pittsburg Steelers e pelo Los Angeles Rams.

O palco para as filmagens foi uma prisão do Estado da Geórgia, onde Burt se socializava com os presos durante as refeições.

Um fotógrafo no set ofereceu tirar fotos de lembrança da ocasião, para que os presos pudessem tirar fotos individuais com Reynolds. Muitos presos não tinham dinheiro, mas Reynolds disse ao fotógrafo para tirar todas as fotos que os prisioneiros quisessem e, ele, Reynolds, pagaria por todas elas.

A cena final, de Paul Crewe e companheiros deixando o estádio e fazendo uma silhueta no túnel, foi uma homenagem à cena final do filme clássico de John Ford, “The Searchers” (Rastros de Ódio).

Filme com legendas em Inglês, pois não encontrei em Português.

Link abaixo com o filme:


Trailer do Filme: