quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Ninho de Cobras (There was a crooked man...), de Joseph Mankiewicz (1970)

O charme e a inteligência na carreira criminosa não evitam que Paris Pitman Jr. (Kirk Douglas) seja preso e cumpra dez anos de prisão em uma penitenciária, no meio do deserto do Arizona. Antes de ser preso, ele guardou o dinheiro todo roubado em um ninho de cobras (daí o título do filme no Brasil). O novo e idealista diretor da penitenciária (Henry Fonda) vai fazer Pitman querer pegar a sua fortuna o mais depressa possível e trama com seus colegas da prisão uma fuga mediante a divisão do dinheiro roubado.

Dirigido por Joseph Mankiewicz em seu primeiro e único western.

Com: Kirk Douglas, Henry Fonda, Hume Cronyn, Warren Oates, Burgess Meredith, Arthur O’Connell, Alan Hale Jr. Lee Grant e Barbara Rhoades.

Ótima trilha sonora de Charles Strouse, cantada por Trini Lopez.

Curiosidades (IMDb)
A Warner estava muito preocupada com este filme. Foi filmado em 5 meses no primeiro semestre de 1969, mas depois de um ano é que foram feitos os comerciais de anúncio. Segundo o biógrafo do diretor, Kenneth Geist, a versão preferida de Mankiewicz era a de 165 minutos, mas a Warner preferiu cortar o filme e reduzir, para irritação profunda do diretor, para 126 minutos. Em um desses cortes, o papel de Lee Grant, uma atriz bem conhecida na época, foi reduzido a apenas alguns minutos. 

Demoraram sete semanas para construir a prisão. Quando ela começou, estava nevando. Quando terminaram, a temperatura estava mais de 30 graus. Depois da finalização do filme, todo o set de filmagem na área ocupada foi limpo, deixando o local como era antes.

Hume Cronyn (todos vão se lembrar dele pelo filme “Cocoon”) foi diagnosticado com câncer ótico, tendo que passar por uma cirurgia para retirada de um olho. Cronyn não deixou de trabalhar após as 5 da tarde e acelerar seu tempo de filmagem, para que terminasse seu papel o mais rápido possível. Cronyn foi muito profissional na situação.

Grande parte da filmagem foi feita no Monumento Nacional Joshua Tree, cerca de 60 km ao norte de Indio, Califórnia. A localidade era tão remota que tiveram que passar um trator para aumentar a largura da estrada para permitir acesso por carros. A construção custou cerca de $300 mil dólares. Ao custo de hoje seriam um pouco mais de 2 milhões de dólares.

Na cena da revolta na prisão, Barbara Rhoades é vista na parte final usando um corset (tipo de colete), um chapeuzinho e luva até o cotovelo. Contudo, em entrevistas com Rhoades e com uma atriz que desistiu do papel, revelaram que a cena foi adiante e Rhoades acabava inteiramente nua. Rhoades disse que ela não havia percebido que a cena seria tão explícita até o fim do dia de filmagem. Ela apenas fez o que o diretor disse a ela para fazer e ficou tirando as roupas até que estava correndo completamente nua. Mas a nudez explícita foi apagada do filme. Barbara era um professora convidada para inauguração do novo salão de jantar da prisão.

Link para o filme abaixo:
https://drive.google.com/file/d/1ZJjqSMRXmNrKbG99ujY6UteR9yMcMUZO/view?usp=sharing


Nenhum comentário:

Postar um comentário