quarta-feira, 2 de setembro de 2020

A Trama (The Parallax View), de Alan Pakula (1974)

Mesmo depois de 46 anos da estreia, este filme ainda está muito atual. Política e forças ocultas.

Direção de Alan Pakula 
Elenco:  Warren Beatty, Jim Davis (George Hammond), Paula Prentiss (Lee Carter), Anthony Zerbe (Prof. Nelson), William Daniels (Austin Tucker) e Hume Cronyn (Bill Rintels)

Joe Frady (Warren Beatty) é um jornalista determinado que procura sempre defender o seu trabalho ante seus colegas. Depois de um assassinato de um famoso senador americano, Frady começa a perceber que os jornalistas presentes durante o assassinato estão morrendo misteriosamente. Depois de se envolver mais no caso, Frady percebe que o assassinato era parte de uma conspiração, de alguma forma envolvendo a Parallax Corporation (daí o título do filme), um enigmático instituto de treinamento. Ele decide entrar na Parallax para o treinamento e descobrir a verdade.

Curiosidades (by IMDb)
O diretor Alan Pakula pediu uma sala de banquetes vazia, para aumentar o efeito da cena final. Os produtores obviamente que aceitaram, pois evitaria pagar figurantes para encher a sala.

Uma paralaxe quer dizer a diferença em perspectiva de um objeto, quando visto de pontos de vista diferentes. Um exemplo seria como duas pessoas de pé de alguma distância entre elas teria um vista diferente de uma mesma árvore. A ideia de olhar para o mesmo assunto sob diferentes pontos de vista é um tema recorrente neste filme. A cena do assassinato no começo do filme demonstra isso não intencionalmente.
O ângulo da câmera no teto faz parecer que o assassino cai do teto, mas na tomada seguinte, dá para ver que claramente que o piso do teto é mais extenso.
Hume Cronyn e Warren Beatty
A pedido do ator Warren Beatty, a profissão do seu personagem foi mudada de oficial de polícia para jornalista.

A cena de abertura tem algumas semelhanças com o assassinato de 1968 de Bob Kennedy. Bob foi morto quando passava pela cozinha, depois do seu discurso em um salão de hotel.

Este filme foi parte de um ciclo de filmes conspiratórios dos anos 70 e início de 80. Entre eles: 
O Assassinato de um Presidente (1973), Klute, O Passado Condena (1971), Chinatown (1974), Obstinação (1981), O Telefone (1977), Morte no Inverno (1979), A Conversação (1974), A Trama (1974), Três Dias do Condor (1975), As Pedras do Dominó (1977), Os Bons se Vestem de Negro (1978), O Último Clarão do Crepúsculo (1977), Hangar 18 (1980), Capricórnio Um (1977), and Todos os Homens do Presidente (1976). Um Tiro na Noite (1981) 

Este filme é um da trilogia de filmes de suspense/intriga dirigidos por Alan J. Pakula, começando com Klute, O Passado Condena (1971) e Todos os Homens do Presidente (1976). 

Warren Beatty fez campanha por Bob Kennedy em 1968. O assassinato dele foi inspiração para a estória deste filme

Cinco anos antes da estreia deste filme, aconteceram os assassinatos de Bob Kennedy, Martin Luther King, a liberação dos documentos do Pentágono (houve um filme recente sobre isso), o escândalo de Watergate e o difícil fim da guerra do Vietnã. Este filme refletiu muito a tensão dessa época.

O compositor da trilha sonora foi Michael Small, cuja trilha guarda semelhança com a do filme Maratona da Morte (1976). A trilha para Todos os Homens do Presidente (1976), do compositor David Shire, foi tão parecida com a trilha de Small, que pode ser comparada a um plágio.

Link para o filme:
https://drive.google.com/file/d/1zWF_5qppSkIueM1gnlC8Kd7ceDHmm5gz/view?usp=sharing

Nenhum comentário:

Postar um comentário