sexta-feira, 11 de setembro de 2020

A Um Passo da Liberdade (Le Trou), de Jacques Becker (1960)

Filme dirigido por Jacques Becker, baseado em livro de José Giovanni.

Elenco: Michel Constantin (como Geo) Jean Keraudy (como Roland), Phillipe Leroy (como Manu), Raymond Meunier (como Voissellin) e Marc Michel (como Claude) e Catherine Spaak (como Nicole).

Este filme mostra a estória de um buraco cavado por alguns companheiros de cela em uma prisão de Paris. O roteiro foi adaptado por Jacques Becker de uma estória do cineasta José Giovanni (que parece português, mas é francês). Giovanni também foi um ex-presidiário. Becker prefere contar a estória da maneira mais fácil possível. Sem trilha sonora nenhuma, diálogos precisos e secos, sem muita enrolação. Os presos fazem o seu trabalho, de tentar escapar. O diretor evita clichês, típicos de filmes americanos de prisão, como o de mostrar os guardas como torturadores e sádicos. Eles são duros e diretos, mas eles não sentem ódio pelos prisoneiros. 



Uma ideia brilhante mostrada é como os presos convertem objetos comuns e sucatas de ferro em ferramentas necessárias para a fuga (uma chave, uma lâmpada, uma picareta e uma ampulheta). O pequeno periscópio feito com escova de dente cria uma cena chocante, alguns segundos de grande cinema. Nós acompanhamos o aparentemente sem fim e cansativo trabalho de cavar e costurar. Isso seria normalmente chato para o espectador, mas não é. Como pode não haver um só momento de chatice no filme? É a magia do cinema e o modo como o diretor dirige seu filme, ou melhor, como ele conta toda a estória.



O trabalho da câmera e a fotografia em preto e branco são sensacionais e leva ao espectador as emoções intensas dos personagens.

A edição deste filme, que eu selecionei, está em ótima resolução e poderão ver ao final deste texto o link para o filme.

O diretor preferiu escolher atores novatos para dar mais realidade ao filme. Foi o primeiro filme de Phillipe Leroy (que faz Manu) e de Michel Constantin (que faz Geo). Jean Keraudy (que faz Roland) não era um ator profissional. Ele era, na verdade, um dos presos que cavou o buraco quatorze anos antes. (Pelo menos, isso é declarado por ele mesmo no começo do filme e está ratificado por vários livros sobre o cinema francês).

O diretor Jacques Becker esteve doente nas filmagens e faleceu logo após completar o filme. O filme foi completado de acordo com os desejos do diretor, mas o produtor Serge Silberman reduziu a versão de 140 minutos para 24 minutos menos, para melhorar as possibilidades comerciais do filme.

Segundo materiais de imprensa de 1964, o diretor primeiramente soube da fuga da prisão de La Santé em 1947 em um jornal. Anos depois, ele descobriu que José Giovanni havia escrito um livro de ficção baseado nessa tentativa de fuga em seu livro "The Break" de 1957. Becker entrou em contato com Giovanni e este colaborou no roteiro do filme.

Catherine Spaak, a única personagem feminina, que faz Nicole, conseguiu fazer sucesso após aparecer neste filme e foi vista por Sophia Loren, que a recomendou para o produtor Carlo Ponti.  

Filme está na lista dos "1001 Filmes que você tem que ver antes de morrer", de Steven Schneider.
Filme indicado a 2 BAFTAS.
E faz parte da lista 129 da Criterion Collection, estampa que mostra a qualidade do filme.

Segue link para o filme:
https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0adM6g_iF19O0FKm0?e=cOWi62





Nenhum comentário:

Postar um comentário