sábado, 27 de fevereiro de 2021

O Círculo Vermelho (Le Cercle Rouge), de Jean-Pierre Melville (1970)


Um dia antes de sua libertação da prisão, após cinco anos de sentença, o ladrão Corey (Alain Delon) é contatado por um dos guardas da prisão, oferecendo a ele um serviço de roubo de joias. Contudo, Corey vai procurar seu ex-chefe Rico (André Ekyan) e rouba dinheiro dele. Rico envia dois gangsters para caçar Corey e recuperar o dinheiro. Enquanto isso, o criminoso Vogel (Gian-Maria Volontè) é transportado de trem pelo policial Mattei (André Bourvil), mas consegue escapar. Corey dirige de Marselha a Paris e Vogel se esconde no porta-malas do carro. Corey se encontra com ele, mas não reclama de ter de levar Vogel a Paris, escondido no carro. Quando os gangsters chegam perto do carro de Corey, Vogel o salva dos criminosos, mas Corey perde o dinheiro. Sem dinheiro, Corey decide fazer o roubo das joias com Vogel e convida o ex-investigador de polícia Jansen (Yves Montand) para se juntar a eles. O trio faz um roubo perfeito, mas Rico procura vingança e Mattei, que não é um policial ético, mas é eficiente e usa quaisquer meios para resolver o caso.

O Círculo Vermelho é um dos grandes filmes do diretor Jean-Pierre Melville, que costuma dirigir seus filmes com chapéu de cowboy e óculos Ray-Ban.

O elenco é ótimo, com Alain Delon (ator constante em filmes de Melville), Gian-Maria Volontè e Yves Montand, além de Bourvil.

A sequência do roubo dura exatamente 27 minutos e não há diálogo algum.

Os créditos iniciais mostram uma citação, que explica o título do filme. A citação, creditada a Buda, foi na verdade escrita pelo diretor Jean-Pierre Melville.

O Ford Mustang verde do diretor pode ser visto na fila de carros quando Corey passa pela primeira passagem de fronteira.

Houve, desde o começo do filme, muita tensão entre o diretor Melville e o ator italiano Gian Maria Volontè, que faz o papel de Vogel, um papel que estava escrito originalmente paa Jean-Paul Belmondo). Volontè não gostava das afetações e perfeccionismo do diretor, tanto que o ator deixou as filmagens por dois dias e foi convencido a voltar por Alain Delon. Foi apenas mais de vinte anos, já depois da morte do diretor, que o Volontè veio avaliar Melville como um grande cineasta.


Peço a todos que contribuam com esse blog>

Link para o filme legendado em Português:

https://1drv.ms/u/s!AsG-jsm3UF0agTSl6XYl-nPXveDX?e=yZR8vI


Nenhum comentário:

Postar um comentário