terça-feira, 2 de março de 2021

O Mensageiro (The Go-Between), de Joseph Losey (1971)

Este filme é a terceira parceria entre o escritor Harold Pinter e o diretor Joseph Losey. Harold Pinter foi ator, diretor, poeta, roteirista, e certamente um dos grandes dramaturgos do século XX, além de ativista político britânico. Foi um dos grandes representantes do teatro do absurdo junto com Samuel Beckett e Eugène Ionesco. Os outros dois filmes em que trabalharam juntos foi “Accident” (1967) e “The Servant” (1963), que, em breve, estará também aqui nesse blog.

É verão do ano de 1900 e Michael Redgrave narra a estória, em retrospecto. Começa com um garoto de 12 anos de idade, Leo (Dominic Guard), que vem passar o verão em uma grande casa de campo no interior da Inglaterra. Ele é um convidado e sua relação com a família não fica esclarecida. Apenas sabemos que sua mãe é uma viúva e vive na cidade. Quando ele é apresentado pela família na mesa de jantar, ele diz que conhece magia e tem jogado maldiçoes em pessoas, mas isso parece ser uma brincadeira entre ele e o outro garoto de sua idade, Marcus.

Enquanto os dois brincam, o resta da família de Marcus começa a aparecer, quando Marcus vai apontando as pessoas para Leo. Vemos a vida despreocupada, se ocupando de conversas, da natureza, arte, cultura e jogos. Leo tenta se adequar à família, liderada pela matriarca, Mrs. Maudsley (Margaret Leighton). Leo se sente atraído pela irmã mais velha de Marcus, Marian Julie (Julie Christie) e desenvolve um amor afetivo por ela. 

Um dia quando a família sai para nadar, eles encontram o vizinho, Ted Burgess (Alan Bates), que está atravessando a propriedade deles para nadar no lago.  Depois, Leo se encontra com Ted e ficam amigos. A pedido de Ted, Leo começa a entregar bilhetes para Marian e ela, por sua vez, manda bilhetes a Ted, por meio de Leo. 

Explica-se aí o título do filme. E o resto fica por conta de quem irá assistir o filme. Um dos grandes sucessos do diretor Joseph Losey.

Trilha sonora de Michel Legrand.

Elenco: Alan Bates, Julie Christie, Dominic Guard, Michael Gough, Edward Fox e Jim Broadbent, que faz uma ponta como um espectador no jogo de críquete.

Filme ganhou vários BAFTAs, indicações ao Oscar e ganhou Cannes de 1971.

Link do filme com legendas em Português:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agTXD9CCZ9ji_Bsuw?e=1a3cYL


5 comentários:

  1. Respostas
    1. Grato pelos comentários. Alguns dos próximos a estrear aqui no blog: The Servant (1963); Day of Anger (1967), The Longest Yard (1974) e Far From the Madding Crowd (1967).

      Contribua para o blog. Agora que não estamos mais no YouTube, temos que bancar o custo de armazenamento.

      Excluir
    2. The servant um otimo filme DIRK BOGARDE , a morte em veneza com ele é um belo filme tambem!

      Excluir
    3. Morte em Veneza é um dos ótimos filmes do Luchino Visconti.

      Excluir