quinta-feira, 10 de junho de 2021

Madame X, de David Lowell Rich (1966)

Uma mulher da classe média (Lana Turner) se casa com um homem rico (John Forsythe), para desespero da sua mãe (Constance Bennett). 

Os anos passam, ela tem um filho e começa um caso com um patife (Ricardo Montalban). Quando ela tentar dar um fim ao romance, ele o acaba matando acidentalmente. Sua sogra descobre e a convence a fingir sua morte e fugir. Ou ela irá arruinar a vida do seu marido e filho. Ela vai em frente, mas fica destruída pela culpa e se torna uma alcoólatra. 

Ela ainda mata outro homem e é defendida pelo filho já crescido (Keir Dullea), que não sabe que ela é sua mãe.

É um filme com uma produção luxuosa de Ross Hunter, que já havia trabalhado com Lana em “Imitação da Vida” e tido grande sucesso.

Constance Bennett (em seu último filme) teve uma boa maquiagem, porque parece tão jovem quanto Lana Turner. Mas tem uma beleza impressionante, ainda mais reforçada com o belo colorido do filme.

Além de Keir Dullea, ainda jovem e prestes a se tornar famoso em 2001: Uma Odisseia no Espaço (1968), temos a presença do ótimo Burgess Meredith. 

Por volta da época deste filme, ele foi convidado a fazer o Pinguim, vilão da série Batman e Robin. Há uma ponta de Neil Hamilton como Scott Lewis. Neil foi o famoso comissário Gordon da série. 

John Forsythe foi alcançar sucesso mais tarde na série de TV Dinastia.

O filme teve má recepção dos críticos e bilheteria fraca. Fatos que já evidenciavam o declínio das grandes produções de melodramas (principalmente direcionado a mulheres), que havia sido moda na década de 50.

Veja abaixo link do filme legendado.

https://1drv.ms/u/s!AjMUR7SXEhT_ywC8nhDZFTbS0abG?e=H27ZIl


Nenhum comentário:

Postar um comentário