quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Um Estranho em uma Terra Estranha, livro de Robert Heinlein vai virar série no Canal SyFy


A Paramount e a Universal Cable Productions vão adaptar o livro clássico de ficção científica de 1961 de Robert A. Heinlein, Um Estranho em uma Terra Estranha (Stranger in a Strange Land) e que será exibido como série no Canal SyFy.

O livro focaliza o personagem Valentine Michael Smith, um humano que vai para Terra no inicio da idade adulta, depois ter nascido em Marte e ter sido educado por Marcianos. O livro explora sua interação com - e eventual transformação da - cultura terrestre. Ele previu muitos dos movimentos sociais e mensagens dos anos 60 - do amor livre, às comunidades hippies até as tentativas organizadas de paz mundial.

A presidente da NBCUniversal, Bonnie Hammer disse, nesta terça-feira, que a estória é atual e repercute mais do nunca no mundo de hoje. Como fã do livro, ela disse não poder esperar para ver ele se transformar em uma série de TV.

Já a presidente da Paramount TV, Amy Powell, diz estar emocionada por ter a oportunidade de adaptar a grande obra de Robert Heinlein. Ela disse também que o livro teve grande influência nela, desde o tempo de faculdade e há uma razão por ter sempre encontrado novos fãs por mais de 40 anos.

Alguns fatos pouco conhecidos sobre o livro de Heinlein:

1. O título do original do livro não era bíblico como acabou sendo.

O título atual do livro toma o versículo do Êxodo 2:22 e as reflexões de Moisés na fuga do Egito e tendo um filho com sua esposa Zípora: "Por ele disse, eu tenho sido um estrangeiro em uma terra estranha." Antes de adotar essa passagem como título final do livro, Heinlein considerou um nome menos religioso, O Herege. E outros tais como, Um Marciano chamado Smith e O Homem de Marte.

2. A esposa de Heinlein foi quem deu a ideia ou inspirou o enredo do livro

Foi Virginia, sua terceira esposa que sugeriu a ideia básica para o livro. Ginny Heinlein, como era chamada, era uma engenheira e bioquímica e teve como inspiração uma variação do livro de Rudyard Kipling, O Livro da Selva, com o personagem de Mogli sendo criado por marcianos em vez dos animais como no livro.

3. A estória levou 13 anos para ser desenvolvida 

A ideia chegou aos Heinleins por volta de 1948, mas ele deixou de lado o conceito em troca de outros projetos que prometiam retornos mais rápidos.
O filme Tropas Estelares é baseado em livro de Heinlein. Ele se dedicava a esse livro, enquanto fazia alguns retornos ao outro, que iria se tornar Um Estranho em uma Terra Estranha. Ele completou o livro em 1960, antes de passar um ano respondendo aos pedidos dos editores para cortar partes do livro.

4. Heinlein lutou para manter material "controverso" do livro 

O grupo editorial G.P. Putnam inicialmente pediu a Heinlein que tirasse as partes mais controversas do livro, particularmente o conteúdo que mexia com temas sexuais e religiosos.
Ele estava convicto de que a estória perderia sentido sem esses elementos. Uma das frases mais famosas ditas em uma carta ao seu amigo e agente literário Lurton Blassingame. "Se eu cortar religião e sexo, tenho receio de que eu vou terminar com um martini sem álcool."

5. Os editores acabaram conseguindo que Heinlein cortasse parte do livro 

O original que ele deu à editora Putnam chegava a 220.000 palavras ou 800 páginas, grande demais para o gosto do editor. Ao passo que permitiram finalmente que ele mantivesse o conteúdo religioso e sexual, ele concordou em cortar quase um 1/4 do livro, aproximadamente 60.000 palavras do texto.

6. O livro deu à língua inglesa um verbete novo.

Embora não seja exatamente uma palavra comum do dia a dia, a palavra grok foi introduzida primeiramente no livro Um Estranho em uma Terra Estranha e acabou entrando no léxico da língua inglesa. O verbete pode ser encontrado no Dicionário Webster e no Dicionário Oxford, que identificam a palavra como um verbo significando entender profundamente, intuitivamente ou por empatia.

7. Em 1991, a versão completa do livro foi finalmente publicada

Logo depois da morte de Heinlein, a viúva do autor pediu para a Universidade da Califórnia que enviasse a versão original do livro. A universidade concordou e enviou o documento inteiro - as 800 páginas - para ela ler. Por causa das mudanças na lei de direitos autorais, o contrato original de publicação foi cancelado com a morte do autor, permitindo que Ginny publicasse essa nova encarnação do romance e que poderia permitir uma amplitude maior de público do que havia no começo dos anos 60. Todos concordaram com o próprio Heinlein, que dizia todo o tempo: a versão maior era realmente melhor.


A versão completa em inglês do livro Stranger in a Strange Land pode ser lida aqui neste link:

http://www.e-reading.club/book.php?book=72039

Um outro fato interessante é que Gene Roddenberry pediu a Robert Heinlein, que escrevesse um roteiro para um episódio de Star Trek. 
Bom esse é assunto para um próximo post.


Fontes: The Hollywood Reporter, Mentalfloss.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.