domingo, 20 de dezembro de 2020

Maridos em Férias (A Guide for the Married Man), de Gene Kelly (1967)

Gene Kelly, que sempre fez filmes movimentados como ator, este não poderia ser diferente ao dirigir. O filme já tem mais de 50 anos e pode estar datado aos dias de hoje, mas os meados da década de 60 foram anos rebeldes e de libertação sexual. O filme transpira isso. 


Walter Matthau tinha sido visto em vários papeis de coadjuvante, mas agora ele é o protagonista como Paul Manning. Um marido entediado com sua vida de casado, embora ele tenha uma bela esposa (a linda Inger Stevens), e que está ansioso para encontrar maneiras de se divertir 'do outro lado'. Seu companheiro de discussões é Robert Morse (Ed Stander), que costuma fazer filmes de comédia e recentemente esteve em "Mad Men", como Bert Cooper, o chefe da agência de Don Draper e que recomenda a ele que leia o livro clássico "A Revolta de Atlas", de Ayn Rand. Ed coloca uma abelhilha na cabeça de Paul em como se divertir longe de casa.

O filme também uma particularidade interessante, ao mostrar pontas de vários grandes atores de Hollywood e que ilustram as ideias que Ed quer que Paul coloque  em prática. Atores como Lucille Ball, Art Carney, Jack Benny, Jayne Mansfield, Jeffrey Hunter, Sid Caesar, Sam Jaffe, Carl Reiner, Terry-Thomas e Phil Silvers. Também conta com participações de Majel Barrett (Star Trek e ex-esposa de Gene Roddenberry) como Sra. Fred, Linda Harrison (companheira de Charlton Heston em Planeta dos Macacos) como Srta. Stardust e Heather Young (a Betty da série "Terra de Gigantes"), como a garota com o megafone.

A trilha sonora é composta por John Williams (na época conhecido como Johnny Williams) e cantada pelos "The Turtles".

Não consegui postar o filme no YouTube, apesar do filme ter quase meio século de existência. Jamais posso comparar o alcance do YouTube frente ao meu blog. Há muitos filmes como este, que estão esquecidos ou desconhecidos pelo público e que os dententores dos direitos de exibição poderiam ainda ganhar algum dinheiro com o filme, se fizessem algum acordo comercial com o YouTube, onde cada um (detentor, YouTube e o publicador  ganhassem um pouquinho cada um (com o publicador ficando com uma pequenina parte). Atualmente, a briga dos canais de 'streaming' está intensa e o YouTube precisa achar maneiras de manter seu público.

Para ver o filme legendado, clique no link abaixo:

https://1drv.ms/v/s!AsG-jsm3UF0agRvYETAh1uTADCtW?e=2MBw39


Nenhum comentário:

Postar um comentário