sábado, 15 de fevereiro de 2020

"O Candidato" (The Candidate) com Robert Redford - 1972

Estamos em ano de eleições e nada como um filme de política para aquecer o tema.

Filme dirigido por Michael Ritchie, com Robert Redford,
Peter Boyle, Melvyn Douglas, Karen Carlson e inclui as participações da própria Natalie Wood como ela mesma e os políticos Hubert Humphrey e George McGovern. 

Gira em torno da campanha de Bill McKay para senador pela Califórnia e mostra como um jovem idealista e sem experiência pode ser envolvido pela mídia. Na política, ninguém sabe o que está acontecendo na cabeça de cada um. Não vou contar mais sobre o enredo, para não dar ‘spoiler’.

Robert Redford está muito bem e nem sabia que, dali a 4 anos, ele faria o clássico político “Todos os Homens do Presidente” junto com Dustin Hoffman. Veja uma cena interessante em que ele faz um discurso para si mesmo no carro.

Redford em cena com Melvyn Douglas
O papel do senador Crocker foi originalmente oferecido a James Stewart, que declinou,porque ele achava que seria ofensivo em relação aos políticos conservadores.

O roteirista do filme, Jeremy Larner, costumava escrever discursos para o candidato a presidente de 1968, Eugene McCarthy.

Groucho Marx faz uma pequena ponta, no que seria sua última aparição no cinema. Quem conseguir vê-lo na tela, comente aqui.

Foi Robert Redford quem criou a ideia e pessoalmente contratou Michael Ritchie para dirigir, pois ele havia trabalhado como consultor em várias campanhas políticas.

Redford com Natalie Wood
Robert Redford e Michael Ritchie haviam trabalhado juntos em “ Os Amantes do Perigo”  (1969), quando eles conversaram com Jeremy Larner, para fazer um filme sobre ‘um candidato que vendeu sua alma’. De acordo com Larner: “Os produtores (Warner) não teriam financiado o filme se Redford não se responsabilizasse por ele, e embora ele não quisesse o crédito, ele foi um produtor consciencioso do começo ao fim e o filme certamente reflete a sua personalidade.”

“O Candidato” foi um dos poucos filmes de 1972 da Warner, que tiveram o raro e efêmero logo em forma de escudo da WB (Warner Brothers), com uma cor azul sólida de fundo e a descrição “A Warner Communications Company”. Ainda não havia sido desenhado o logo mais familiar dos anos 70, feito pelo mestre Saul Bass. “Amargo Pesadelo” (Deliverance), que também em breve será objeto deste blog, foi outro dos filmes a exibir esse logo raro.

A década de 70 foi muito prolífica para Redford. Em 1972, ano deste filme, ele faria "Mais Forte que a Vingança", "Golpe de Mestre" em 1973, "Nosso Amor de Ontem" em 1973, "Grande Gatsby" em 1974, "Três Dias do Condor" em 1976 e "Todos os Homens do Presidente", também de 1976.

Segue abaixo link para o filme em alta resolução:
https://odobagg-my.sharepoint.com/:v:/g/personal/moegtufwc_od_obagg_com/Ea-eCU3SLbtNuOvYDzyRPzQB2E74zblj_eWuV90NoM6SQA?e=hbdzR8

Fonte:imdb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.