segunda-feira, 27 de março de 2017

A Série Harlot promete tanto nudez feminina como masculina

Cena de "Harlots"
Retirando o conteúdo apenas sensual das trabalhadoras do sexo do século 18, a nova série da Hulu, estrelando Samantha Morton vai além do clichê e beira o realismo.

Há prazeres a serem obtidos na nova série Harlots, um tipo diferente de saga centrada no ano de 1763 em Londres, com o pano de fundo sendo a disputa de duas "casas de pensão" (mais conhecidos como bordéis), em uma época em que uma em cada cinco mulheres estava no ramo do sexo. Mas os prazeres aqui não são os da carne, pois Harlots já começa mostrando o que estão ali para fazer e não vão dourar a imagem depois disso.

O crédito vai para as criadores Moira Buffini e Alison Newman, que são basicamente as criadores, diretoras e quase as exclusivas produtoras por detrás de Harlots. Elas procuram fazer com a maior realidade possível.

Não é um negócio glamoroso, mesmo que as madames usem enormes perucas e ligas e façam negócios com a classe dominante.

O que Buffini, que escreveu os primeiros dois episódios - e Newman consegue com essa abordagem é um dar uma imagem de eficiência como um negócio qualquer. Harlots quer se carregada pelos personagens e focalizam madames rivais. Margaret Wells (Samantha Morton) e Lydia Quqley (Lesley Manville) em vez de monte de corpos nus e amor apaixonado.

Pode ser desapontador para alguns, que souberam que Lady Sybill de Downton Abbey vai interpretar uma prostituta. Mas é melhor para Jessica Brown Findlay como atriz, que ela possa trabalhar com ângulos mais importantes do seu papel como a filha mais velha de Morton, Charlotte, que foi vendida para a prostituição como uma pré-adolescente e agora ainda é considerada uma das cortesãs mais desejáveis da sociedade londrina.

Foto ao lado durante a apresentação da série: Da esquerda para direita: Debra Hayward, Alison Owen, Lesley Manville e Moira Buffini. 


Sexo como poder e oportunidade - frequentemente a única oportunidade - em 1763 é o que as mulheres por detrás de Harlots querem enfatizar. Morton, que faz um grande trabalho como a Madame Margaret, se esforça como louca para chegar ao mesmo nível da rival Lydia Quigley. Vendida por sua própria mãe para a prostituição aos 10 anos em troca de um par de sapatos, ela se orgulha de ter feito a vida sozinha depois de tudo, enquanto ainda esteja envergonhada e internamente torturada que ela tenha se tornado Charlotte uma prostituta e agora esteja recebendo ofertas pela virgindade da sua filha mais nova, Lucy (Eloise Smyth).

"Esta cidade é feita de nossa carne - todas as vigas, os tijolos. Nós vamos pegar a nossa parte," diz Margaret.

Algumas das inspirações para Harlots vem do guia de avaliações de prostitutas da época "Harris´s List of Covent Garden Ladies". A série, co-produzida com a ITV na Inglaterra, tenta ver o mundo como era realmente, não através da "visão masculina", como as criadoras dizem. Esta visão direta das próprias prostitutas do tempo do Rei George tende a colocar um novo frescor em um gênero desgastado.




Fonte: The Hollywood Reporter

Novo Lara Croft: Tomb Raider, agora com Alicia Vikander

Depois de mais de 15 anos do primeiro Lara Croft com Angelina Jolie, surge uma nova estória, agora interpretada pela atriz  Alicia Vikander (Ex_ Machina: Instinto Artificial).

O filme deve chegar em 2018. Veja imagem ao lado com atriz no papel de Lara Croft.

A estória agora não será mais da heroína em suas aventuras pelo mundo. Esta nova Croft vai em busca do pai desaparecido, começando pela localidade onde ultimamente foi visto: uma tumba na costa do Japão.

"Ela está tentando encontrar seu lugar no mundo e conecta seu futuro com seu passado," Vikander disse para a revista Vanity Fair sobre o perfil do seu novo personagem. "Ela é também bastante diferente dos outros personagens que eu já interpretei. É muito divertido entrar na cabeça da Lara. E o desafio de ser capaz de enfrentar os desafios físicos é um elemento deste projeto que me faz arrepiar."

Walton Goggins (que fará o vilão), Daniel Wu e Dominic West (The Affair) também estarão no elenco. Dominic provavelmente será o pai de Lara Croft.

A estreia está prevista para Março de 2018.

Fonte: THR

quinta-feira, 23 de março de 2017

Chefão da Disney fala sobre o novo Han Solo e o que acontece depois do Episódio 9

"Nós conversamos sobre o que poderia acontecer depois do Episódio 9. Sobre o que poderia ser uma década e meia de estórias de Star Wars," disse Bob Iger, o CEO da Disney durante uma entrevista na USC ma última semana.

Ele também confirmou que o "O Último Jedi" ou "Os Últimos Jedi" não terá mudanças em decorrência da morte de Carrie Fischer no último Dezembro.

"Quando compramos a Lucasfilm, nós queríamos fazer três filmes - Episódios 7, 8 e 9." disse Iger." Tivemos que lidar com a tragédia ao final de 2016. A Carrie vai estar no 8º. Não vamos mudar o Episódio 8º para lidar com o falecimento dela.  O seu desempenho permanece como está no 8º. Em Rogue One, houve um processo de digitalização de dois personagens. Não faremos isso agora com a Carrie."

Iger, que anunciou que vai estender seu período de Diretor Geral (CEO) até 2 de Julho de 2019, foi entrevistado por Willow Bay, recém nomeado chefe da cadeira da escola de Comunicações e Jornalismo da USC (Universidade do Sul da Califórnia)

O executivo também revelou um novo detalhes sobre o filme do jovem Han Solo, dizendo que o filme vai cobrir a idade de 18 a 24 anos do "errante" de Star Wars.

O "Último Jedi" estreia em 15 de Dezembro deste ano.

Han (interpretado por Alden Ehrenreich) vai conhecer Chewbacca (Joonas Suotamo) e juntos vão encontrar a nave deles, a Millennium Falcon. O filme "O Jovem Han Solo" também terá no elenco Donald Glover como o jovem Lando Calrissian, assim como Emilia Clarke, Woody Harrelson, fazendo o papel de um mentor e Thandie Newton. Phil Lord e Christopher Miller vão dirigir o filme, que deve estrear em Maio de 2018.



Fonte: THR

quarta-feira, 22 de março de 2017

Ian McKellen vai reprisar Gandalf no palco em Londres


A lenda do Senhor dos Anéis vai reaparecer em um espetáculo de um único ator: "Shakespeare, Tolkien, Outros e Você" em Julho de 2017.

Ian McKellen vai reprisar alguns dos seus papeis mais famosos - incluindo Gandalf .

Será no Park Theatre em Londres, onde a ator de cinema e teatro vai fazer a peça, apenas sozinho, em que vai relembrar momentos de sua carreira, que já tem cinco décadas, enquanto que também vai discutir seu trabalho com outros atores e diretores, oferecendo ao público a oportunidade de fazer perguntas e até participar em cima do palco. 

"Eu vou fazer a peça no Park Theatre para ajudar a levantar fundos para caridade," disse McKellen. 
"Há pouco tempo que o teatro se estabeleceu no mapa da cidade e como local para espetáculos, mas sem subsídio público para os principais custos, eles precisam de doações ao redor de £250,000 (US$311,000) todos os anos, para poder manter as portas abertas."

McKellen disse ainda que o dinheiro via ingressos para o espetáculo "Shakespeare, Tolkien, Outros e Você" vai poder trazer produções acessíveis para os próximos anos e e ajudar nos trabalhos do Park Theatre com a comunidade local."


Fonte: The Hollywood Reporter


terça-feira, 21 de março de 2017

Fox Animation vai adaptar "The Memory Thief" para um filme


A divisão de animação da Fox, a Fox Animation, está desenvolvendo o livro "The Memory Thief" como um filme de "live-action".

O filme será produzido por Adaptive Studios e a empresa 21 Laps de Shawn Levy
Nate Hopper e Rachel Yeung vai supervisionar pelo lado da Fox Animation.

"The Memory Thief", escrito por Bryce Moore, fala sobre os gêmeos de 12 anos, Benji e Kelly, que passeiam pela feira local da cidade, depois de testemunhar uma discussão de seus pais. Quando Benji se depara com um grupo de valentões, ele foge para uma tenda chamada o Empório da Memória, onde ele encontra um homem velho e estranho, que mostra a ele a memória viva de um piloto de um caça. Benji então percebe que a habilidade de apagar memórias poderia ajudar seus pais a pararem de brigar um com o outro. Ele depois aprende a manipular as memórias, mas esse poder tem um alto preço para sua família e sua própria mente.

A 21 Laps produziu  o filme " A Chegada", que foi indicado para oito prêmios da Academia, e a também a série "Stranger Things", que ganhou prêmios no SAG Awards. Além desse, também se incluem "Uma Noite no Museu", e "Tinha que ser ele?"

A 21 Laps está entrando na produção do suspense "The Darkest Minds", estrelado por Amandla Stenberg e Mandy Moore. É baseado no livro de Alexandra Bracken. A produtora também está desenvolvendo um filme sobre o livro best-seller de fantasia de Kendare Blake, "Three Dark Crowns", além de "Inconstant Moon", adaptado do romance de ficção científica de Larry Niven.

O próximo filme da Fox Animation é "Ferdinand", baseado no livro para crianças "The Story of Ferdinand", ou "Ferdinando, o Touro".



Fonte: Variety

terça-feira, 14 de março de 2017

Enquanto aguardamos a Temporada 7 de Game of Thrones, um resumo sobre Danaerys Targaryen



O site  The Hollywood Reporter traz um vídeo (acima) e um resumo sobre a personagem de Khaleesi, feita por Emilia Clarke. 

A série Game of Thrones contempla um mundo complexo, cheio de cidades com nomes e personagens estranhos, mas se há um nome que a maioria dos fãs sabe lembrar é este: Khaleesi, mesmo quando se tenta imitar Jorah Mormont (Iain Glen). 
O nome é um título que está em toda a cultura dos Dothraki, mas para simplificar, tendemos a associar o termo "khaleesi" com uma pessoa em especial: Daenerys Stormborn da Casa Targaryen. Há outros títulos para ela: Rainha dos Andals, Mãe dos Dragões, etc. A lista de títulos associados ao personagem de Emilia Clarke é extensa. 

Como Daenerys acabou com tantas honras? Algumas delas foram ganhas com o fogo, outras com sangue – mas toda elas começando pelo seu nascimento. Antes do início de GoT, Westeros era governada pela Casa Targaryen, uma dinastia poderosa, com raízes na Velha Valyria, uma civilização antiga e desaparecida, conhecida por sua afeição a dragões. Três daqueles mesmos animais, assim como três membros da linhagem Targaryen, conquistaram unificaram os Sete Reinos, sob seu domínio por cerca de três séculos atrás. E, de repente, o reino acabou.

Tudo bem, a queda da Casa Targaryen não foi assim tão rápida. Foi muito lenta para indivíduos como Rickard e Brandon Stark, brutalmente mortos ao comando do último governante targaryen, o Rei Louco Aerys. A morte deles, além de Rhaegar Targaryen sequestrar Lyanna Star, ocasionou a revolta de Robert, uma guerra que viu as Casas Stark, Baratheon, Lannister e outras unidas para derrubar o regime dos Targaryens. 

Após a guerra terminar, não havia sobrado mais Targaryens, exceto pelos filhos sobreviventes do Rei Louco, o petulante Viserys e sua irmã mais nova, Dany, vivendo em exílio do outro lado do Mar Estreito. 
Quando começa GoT, Viserys quer montar um exército para retomar seu trono de direito em Westeros. Para isso, ele força Dany a se casar com o selvagem Khal Drogo, a fim de fazer uma aliança com o povo Dothraki. Funciona, mas não como Viserys havia planejado. Dany se envolve com a cultura Dothraki, para sua própria surpresa, sem mencionar o choque por parte do seu irmão.
Frustrado por achar que não tinha mais o controle da situação, Viserys tenta desesperadamente forçar os Dothraki a partirem para Westeros.
Em vez disso, Khal Drogo assassina Viserys, derramando metal derretido sobre sua cabeça. Dany não só fica incomodada com isso, mas ela, na verdade, dispensa seu irmão com uma das mais declarações mais frias da série: “Ele não era um dragão. O fogo não pode matar um dragão.”

Depois da morte do seu irmão, ela aparece que quer se relaxar em sua nova vida como uma khaleesi, até que acontece a tragédia: Drogo morre de complicações de um ferimento e seu filho com Dany, ainda não nascido, morre também. Tudo graças à magia de uma bruxa vingativa. Daenerys responde como uma verdadeira Dothraki faria: ele mata a bruxa, queimando-a no meio do fogo da pira funerária de Drogo.

Dany também entra nas chamas, para provar a si mesma que é uma dragão... e emerge da pira na manhã seguinte, completamente nua e sem queimaduras. Além disso, ela fica sendo dona de três bebês dragões, os primeiros da espécie depois de anos, até mesmo antes do reinado do rei louco.
Junto com os dragões, Daenerys parte para uma aventura por Essos, viajando pelas cidades de Qarth, Astapor e Yunkai, queimando exércitos inteiros de inimigos pelo caminho. Ela faz alianças por conta própria, incluindo os soldados de elite , conhecidos como os guerreiros eunucos, mercenários conhecidos também como os Segundos Filhos e até com Tyrion Lannister (Peter Dinklage), que se torna um conselheiro de Dany nas temporadas mais recentes da série. 
Há altos e baixos durante a campanha militar da Rainha dos Dragões pelo continente, liberando escravos e até mesmo uma disputa com um pequeno grupo de guerreiros Dothraki. Mas ao final da temporada 6, Dany deixa Meereen sob mãos capazes, com vistas a buscar o mesmo prêmio que seu irmão queria: O Trono de Ferro.

É claro que, mesmo com um grande número de aliados (sem mencionar os três dragões), Daenerys vai ter bastante trabalho, ao passo que segue para Westeros. O Reio Louco estava morto, mas uma rainha louca agora domina King´s Landing: Cersei Lannister (Lena Headey), com muita munição à sua disposição. Vai haver muitos fogos quando a Targaryen e a Lannister se enfrentarem.

Mas ainda mais apressado está o Rei do Norte, Jon Snow (Kit Harington) ou devemos dizer Jon Targaryen? O final da temporada 6, finalmente, confirmou o antigo rumor de que Jon é, na verdade, o filho secreto de Lyanna e Rhaegar, o que significa que ele pode reclamar o Trono de Ferro. Vamos ver o que vai acontecer quando se encontrarem na temporada 7.


terça-feira, 7 de março de 2017

Ryan Gosling será Neil Armstrong em filme biográfico de Damien Chazelle

Ryan Gosling e Damien Chazelle
O estúdio Universal programou uma data próxima às premiações anuais para seu filme "First Man", estrelando Ryan Gosling como Neil Armstrong, com a direção de Damien Chazelle. O filme sobre a vida do astronauta deve estrear em Outubro de 2018.

O projeto já havia sido anunciado pelo estúdio ao final de Dezembro do ano passado. Chazelle vai dirigir o filme, baseado em roteiro de Josh Singer, ganhador do Oscar de melhor roteiro por "Spotlight"  (Spotlight: Segredos Revelados).

A Dreamworks Pictures vai co-financiar o filme.

O filme será baseado na biografia feita por James Hansen, "First Man: The Life of Neil A. Armstrong". E conta a história da missão da NASA em colocar um homem na Lua, durante os anos de 1961-1969.
Será contado na 1ª pessoa, explorando os sacrifícios e o custo - de Armstrong e dos EUA - em uma das mais perigosas missões espaciais da história. Armstrong faleceu em 2012, aos 82 anos.


Fonte: Variety


quarta-feira, 1 de março de 2017

O próximo filme de Martin Scorsese vai custar mais de 125 milhões de dólares

"The Irishman", com o possível título brasileiro, O Irlandês, o primeiro filme de Martin para a Netflix, vai ter um grande elenco: Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci, contando a vida real de Frank Sheeran, um funcionário do sindicato Teamsters (o maior sindicato americano, dos caminhoneiros), que confessou ter matado Jimmy Hoffa (um líder sindical).

Martin Scorsese disse publicamente em Londres, em 22 de fevereiro, que assistir um filme em casa não era a "melhor maneira." A ironia disso é que no dia anterior, apareceram notícias de que o diretor estava fechando um acordo com a Netflix para financiar seu novo filme, The Irishman.

As condições podem ter sido muito boas para resistir, visto que o filme seria muito caro e não seria mais feito pela Paramount, depois que o grande aliado de Scorsese, Brad Grey, saiu desse estúdio.

A Netflix concordou em 120 milhões de dólares para os direitos globais do filme, que deve custar entre $120  a $150 milhões de dólares. The Irishman vai usar tecnologia cara e de última geração, para fazer com que os três principais atores, De Niro, Al Pacino e Joe Pesci, possam aparecer no filme nas idades de 30, 50 e 70 anos, a fim de contar a vida real de Frank Sheeran.

De Niro deve ser Frank Sheeran e, pelo porte físico, Joe Pesci deve ser Jimmy Hoffa.

Antes que a filmagem comece, Scorsese e seus representantes vão ter que resolver uma série de acordos de vendas para exibição em outros países, que foram firmados antes do envolvimento com a Netflix.  Em 2016, a STX Entertainment fez um acordo de $50 milhões para direitos internacionais com o financista mexicano Gaston Pavlovich, um dos produtores do último filme de Scorsese, "Silêncio". A STX, por sua vez, vendeu os direitos para vários distribuidores estrangeiros. Agora, a STX provavelmente terá que ficar de lado ou mover uma ação.

Fontes afirmam que Scorsese está otimista e escreveu pessoalmente para o Diretor de Conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, assegurando que tudo deve ser resolvido.


Fonte: THR

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Lista Completa dos Premiados do Oscar 2017

Jimmy Kimmel e Warren Beatty

Abaixo segue a lista completa dos premiados do Oscar 2017:

MELHOR FILME

MOONLIGHT
Adele Romanski, Dede Gardner e Jeremy Kleiner, Produtores.

MELHOR ATRIZ

Emma Stone
La La Land

MELHOR ATOR

Casey Affleck
Manchester à Beira-Mar

MELHOR DIRETOR

LA LA LAND
Damien Chazelle

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

MOONLIGHT
Barry Jenkins; estória de Tarell Alvin McCraney

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

MANCHESTER BY THE SEA
Escrito por Kenneth Lonergan

MELHOR ATOR COADJUVANTE

MAHERSHALA ALI
Moonlight: Sob a Luz do Luar

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

VIOLA DAVIS
Fences (Um Limite entre Nós)

MELHOR FILME DE ANINAMAÇÃO

ZOOTOPIA
Byron Howard, Rich Moore e Clark Spencer

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

O APARTAMENTO (The Salesman)
Irã

MELHOR FOTOGRAFIA OU CINEMATOGRAFIA

LA LA LAND
Linus Sandgren

MELHOR EDIÇÃO OU MONTAGEM DE FILME

HACKSAW RIDGE
John Gilbert

MELHORES EFEITOS ESPECIAIS

MOGLI: O MENINO LOBO
Robert Legato, Adam Valdez, Andrew R. Jones e Dan Lemmon

MELHOR DESENHO DE PRODUÇÃO

LA LA LAND
David Wasco e Sandy Reynolds-Wasco

MELHOR MIXAGEM DE SOM

ATÉ O ÚLTIMO HOMEM (Hacksaw Ridge)
Kevin O’Connell, Andy Wright, Robert Mackenzie e Peter Grace

MELHOR EDIÇÃO DE SOM

A CHEGADA
Sylvain Bellemare

MELHOR FILME DOCUMENTÁRIO

O.J.: MADE IN AMERICA
Ezra Edelman e Caroline Waterlow

MELHOR FIGURINO

ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM
Colleen Atwood

MELHOR MAQUIAGEM

ESQUADRÃO SUICIDA
Alessandro Bertolazzi, Giorgio Gregorini e Christopher Nelson

MELHOR CANÇÃO

CITY OF STARS
de La La Land; Música de Justin Hurwitz; Letra de Benj Pasek e Justin Paul

MELHOR TRILHA SONORA

LA LA LAND
Justin Hurwitz

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

PIPER: DESCOBRINDO O MUNDO
Alan Barillaro e Marc Sondheimer

MELHOR CURTA

SING (MINDENKI)
Kristof Deák e Anna Udvardy

MELHOR CURTA DOCUMENTÁRIO

THE WHITE HELMETS
Orlando von Einsiedel e Joanna Natasegara


Fonte : Deadline

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Lista Completa de Premiados do César 2017

Isabelle Huppert

Lista completa de ganhadores do César:

MELHOR FILME
Elle

MELHOR ATOR
Gaspard Ulliel, It’s Only The End Of The World

MELHOR DIRETOR
Xavier Dolan, It’s Only The End Of The World

MELHOR ATRIZ
Isabelle Huppert, Elle

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Solveig Anspach, Jean-Luc Gaget, The Aquatic Effect

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Eu, Daniel Blake, dir: Ken Loach

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Deborah Lukumuena, Divines

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Céline Sciamma, Minha Vida de Abobrinha

MELHOR ATOR COADJUVANTE
James Thierrée, Chocolat

MELHOR CURTA – Empate
Maman(s), dir: Maïmouna Duocouré
Vers La Tendresse, dir: Alice Diop

MELHOR CINEMATOGRAFIA
Pascal Marti, Frantz

MELHOR ANIMAÇÃO
Minha Vida de Abobrinha, dir: Claude Barras

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
Celui Qui A Deux Ames, dir: Fabrice Luang-Vija

MELHOR EDIÇÃO
Xavier Dolan, It’s Only The End Of The World

MELHOR FILME ESTREANTE
Divines, dir: Houda Benyamina

MELHOR TRILHA SONORA
Ibrahim Maalouf, Dans Les Forêts De Sibérie

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Merci Patron!, dir: François Ruffin

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Jérémie D Lignol, Chocolat

MELHOR ATOR ESTREANTE
Niels Schneider, Diamant Noir

MELHOR SOM
Marc Engels, Fred Demolder, Sylvain Réty, Jean-Paul Hurier, L’Odyssée

MELHOR FIGURINO
Anaïs Romand, The Dancer

MELHOR ATRIZ ESTREANTE
Oulaya Amamra, Divines

Fonte: Deadline

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Diretor de "Quando Luzes se Apagam" pode ser Diretor de "Shazam!"

David F. Sandberg está em negociações com o estúdio New Line para ser diretor de "Shazam!", o personagem da DC Comics.

Sandberg, é o cineasta sueco que está por trás do próximo "Annabelle 2" e que estreou com o filme "Quando as Luzes se Apagam" (Lights out), que no ano passado, arrecadou $148 milhões de dólares para um orçamento de custo de $4.9 milhões.

Shazam, originalmente chamado de Capitão Marvel, apareceu pela primeira vez em 1940 no nº 2 do gibi Whiz Comics. A estória era sobre o adolescente Billy Batson, que se torna o super-herói quando ele pronuncia a palavra mágica "Shazam!". O nome é um acrônimo para seis deuses e heróis da antiguidade, assim como tendo os seus atributos: a força de Áries, o poder de Zeus, a coragem de Aquiles e a rapidez de Mercúrio.

Há uma outra versão, que parece mais convincente (na Wikipedia), de que os poderes do Capitão Marvel são oriundos de seis heróis lendários, que lhe concedem tais características — sendo eles, Salomão (sabedoria), Hércules (vasta força física), Atlas (resistência, invulnerabilidade), Zeus (poderes mágicos), Aquiles (coragem) e Mércurio (velocidade, capacidade de voo).

Mês passado, apareceram notícias de que Dwayne Johnson (esse cara deve ter um ótimo agente, está em tudo), que há muito tempo estava ligado ao projeto de interpretar o vilão de Shazam, Black Adam (ou Adão Negro), pode estrelar em um "spinoff" com esse personagem. A versão de Johnson seria colocá-lo como um anti-herói e não um vilão, espelhando as inovações em recentes tiras da DC Comics, por Geoff Johns.

O filme "Adão Negro" está sendo desenvolvido ao mesmo tempo que "Shazam!", que tem um roteiro de Henry Gayden.

Veja um site interessante sobre os inimigos do Capitão Marvel aqui: http://blogcombopop.com.br/10-maiores-inimigos-do-shazam/

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Como é fazer a contagem de votos no Oscar

Martha Ruiz e Brian Cullinan, auditores da PriceWaterhouse Coopers
Chegando perto da cerimônia do Oscar em 26/02, o site da Academia de Cinema mostra como são os bastidores da contagem da votação dos premiados ao Oscar.

Brian Cullinan e Martha Ruiz são sócios da empresa de auditoria PriceWaterhouse Coopers (PWC).

Eles são as duas únicas pessoas que sabem quem são os ganhadores do Oscar, antes de todo mundo.

Segue aqui uma entrevista com eles:

Como alguém chega a um cargo de auditor de votação como esse:
BC (Brian Cullinan): Tanto a Martha como eu somos baseados em Los Angeles, mas esse não é o principal critério, necessariamente. Ambos trabalhamos bastante com empresas de entretenimento. Minha experiência profissional é na área de controles internos e o da Martha em impostos. Quando meu antecessor se aposentou, ele me perguntou se eu gostaria de assumir o seu posto, e é claro que eu disse sim. Este será meu 4ª ano consecutivo e a Martha entrou no time, como outra parceira, alguns anos atrás.

MR (Martha Ruiz): Antes de me tornar um dos auditores da votação, eu participei como assessora na equipe por alguns anos. Assim, eu já tinha alguma experiência no processo geral e tive a sorte de me pedirem para participar da chefia.

BC: Este vai ser o 89º Prêmio da Academia e o 83º da PriceWaterhouse fazendo o processo de contagem.Durante todo esse tempo, nós tivemos dois sócios que lideraram o processo a fim garantir redundância em tudo que fazemos.
Nesses 83 anos em que estamos participando, eu sou o 13º sócio a fazer e a Martha é a 14ª.
Nós temos muita continuidade; mantemos as equipes o máximo que podemos.

Como foi a sua primeira experiência no Oscar?
BC: Eu já sabia do papel da PWC no Oscar, antes de de começar a trabalhar para a empresa há 32 anos. É surreal andar pelo tapete vermelho carregando as maletas com os envelopes dos vencedores, dando entrevistas para a imprensa mundial e estar junto com grandes atores, atrizes, produtores e diretores .
É um dos trabalhos mais legais que um contador pode ter.

MR: No meu primeiro ano, só caiu a ficha para mim apenas ao final da cerimônia, porque eu estava concentrada em ter certeza de que eu seguira todos os protocolos de controle. Eu me lembro distintamente, depois do último envelope ser dado ao apresentador, foi como um flashback - "Nossa, aquilo foi demais, foi muito emocionante." Mas eu estava focada em cada minuto da apresentação da cerimônia.

Como é que na entrega do último envelope?
MR: Logo que o último prêmio é anunciado, Brian e eu nos encontramos no palco e combinamos para tomar algum drinque rapidamente no Governors Ball (o jantar depois do Oscar).

BC: Algumas pessoas nos perguntam se estamos aliviados depois que é entregue o último envelope e a cerimônia se encerra, sugerindo que não temos mais segredos para guardar.
Na realidade, há vários segredos que mantemos para sempre. Alguns deles são: quem ficou em segundo lugar? Foi perto a disputa? Não respondemos nunca a essas perguntas. Assim, não termina com o último envelope.

Como é feito o processo de contagem dos votos?
MR: O processo de contagem dos votos ainda é muito manual. Embora os membros tenham a opção de votar online, nós convertemos esse voto em papel para fazer a tabulação. Nós dividimos a contagem entre os membros da nossa equipe, para que ninguém tenha uma porcentagem significante do total. Brian e eu depois juntamos tudo, para que sejamos os únicos a saberem a contagem total para cada uma das categorias. Idealmente, gostamos de ter tudo pronto vários dias antes da cerimônia. O último dia é quando Brian e eu começamos a memorizar os ganhadores de cada categoria e começamos a perguntar um para o outro.
Nós temos que ter certeza de que não haja nenhum nome dos ganhadores escrito em qualquer lugar.
É com esse procedimento extra que nos certificamos que realmente está apenas na nossa memória até esse ponto e para ter certeza de que tudo está preciso.

BC: A cerimônia será no final de fevereiro neste ano. Vamos provavelmente começar o trabalho do Oscar do próximo ano agora em março. É praticamente um trabalho de um ano inteiro. Alguns meses são mais tranquilos do que os outros, mas vai se acumulando até a chegada da cerimônia.

Qual o seu papel durante a cerimônia?
BC: Os produtores decidem a ordem da premiação. Cada um de nós dois tem um conjunto completo dos premiados nas maletas. Eu tenho todos os 24 envelopes na minha maleta. A Martha a mesma coisa. Nós ficamos em posições opostas do palco, logo fora da tela, pela noite inteira e entregamos o envelope respectivo para o apresentador. Não parece ser muito complicado, mas você tem que ter certeza que está dando o envelope certo ao apresentador.

A PWC já está envolvida com os Oscar por décadas. O que mudou em todos esses anos? E o que permaneceu o mesmo?
BC: Eu posso dizer com certeza que a visão do nosso papel permanece o mesmo. Ser preciso e ser confidencial. Nós checamos dezenas de vezes, recontamos e fazemos duplas verificações. Nós temos a nossa equipe para fazer voltar duas ou três vezes para ter certeza, e depois Martha e eu revisamos e recontamos para ter certeza que não há diferenças entre o que temos e o que eles tinham. Até aqui, nunca houve um problema.

MR: Eu acho que a votação online foi uma mudança positiva, porque você certamente vê mais membros da Academia podendo votar corretamente, antes que a votação termine. O que permaneceu o mesmo: os protocolos, os procedimentos e o quanto fazemos para assegurar a confidencialidade e integridade do processo.

Vocês têm um momento favorito do Oscar?
BC: Alguns anos atrás, quando Neil Patrick Harris foi o apresentador da cerimônia, ele fez as suas previsões no início da apresentação, depois colocou em nossa maleta e iria revelar ao final. A maleta estava fechada com chave. Nos ensaios, os diretores me disseram que meu papel era segurar e chave e depois, ao final da cerimônia, logo depois do Oscar de Melhor Filme ser anunciado, eu entraria no palco e daria a chave ao Neil, sem dizer nada.
Mas, ao final, e antes de eu entrar no palco, uns dos diretores do show veio até mim e colocou um microfone na minha lapela e uma bateria no meu bolso.
Ele me disse que Neil tinha mudado de ideia antes da cerimônia e quando eu estivesse lá, ele iria me fazer algumas perguntas. É claro que eu não tinha ideia sobre o que ele iria me perguntar. Eu tive dois minutos para pensar nisso, mas no final acabou dando tudo certo.

MR; No meu primeiro ano, estávamos tirando algumas fotos no tapete vermelho e fomos bombardeados de fotos por John Legend, porque ele viu a nossa maleta e queria fazer parte da foto. Tivemos alguns desses momentos, que aconteciam de tempos em tempos.
Quando Brian e eu andamos pelo tapete, as pessoas sabem quem nós somos, simplesmente porque estamos levando as maletas.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Mahershala Ali fará filme "Triple Frontier" em fronteira Brasil, Argentina e Paraguai

O conhecido ator Mahershala Ali, de Moonlight: Sob a Luz do Luar, vai se juntar a Tom Hardy e Channing Tatum em filme chamado "Triple Frontier", ou Fronteira Tripla.

J. C. Chandor, de "Margin Call: O Dia Antes do Fim",  vai dirigir o filme, com um roteiro de Mark Boal (A Hora Mais Escura). O filme, de ação e aventura, vai ser focalizado na fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai.

Até o momento, é um ótimo elenco para o projeto.

O projeto, que já esteve em planos desde 2009, será produzido por Charles Roven e Alex Gartner da Atlas Entertainment junto com Mark Boal.

Ali tem tido um grande ano. Além do seu trabalho notável em Moonlight, ele também aparece em "Hidden Figures" (Estrelas Além do Tempo) com Taraji P. Henson e Octavia Spencer. Também apareceu nas séries da Netflix, Luke Cage e House of Cards.

Também estrelou Roxanne Roxanne, que foi lançado no Festival Sundance em Janeiro.

Atualmente, está filmando "Alita: Battle Angel" com o diretor Robert Rodriguez e a atriz Jennifer Connely.




Fonte: THR

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Fox encomenda piloto de série médica para TV, "The Beast"

A Fox acaba de encomendar, segundo o site Deadline.com, um piloto para uma série médica para um ex-produtor executivo da série ER (Plantão Médico), Neal Baer, que também pratica medicina pediátrica.
A série vai se chamar "The Beast", se não mudarem depois que o piloto for aprovado.

Lançar um drama médico é uma prioridade para a Fox nesta temporada e é o segundo piloto do mesmo gênero que ela solicita para a rede, juntando-se a "The Resident".

Escrita por veteranos como Baer e Dawn DeNoon de "Law & Order", "The Beast" vai lidar com episódios de vida e morte. Literalmente. Em cada semana, haverá três casos médicos desafiadores. No final, dois dos pacientes vão viver e um vai morrer. A série vai focalizar o médico deles - e seu medo clínico da morte - que nunca desiste de enfrentar os desafios.

Como é um piloto, resta saber se será aprovado pela Fox para ser uma série recorrente.


Tom Hanks vai roteirizar e estrelar em novo filme de guerra, "Greyhound"

A Sony Pictures está adquirindo direitos internacionais para o filme "Greyhound", um drama na 2ª Guerra Mundial, que Tom Hanks está roteirizando e também irá estrelar, sendo a direção ficará a cargo de Aaron Schneider (diretor de "Segredos de um Funeral", de 2009). 

O sócio de Tom Hanks na produtora Playtone, Gary Goetzman, vai produzir.

Hanks, depois ser esnobado nas indicações ao último Oscar pelo seu papel em "Sully", vai interpretar Comandante George Krause. Esse filme novamente o coloca no comando de um navio, depois de "Capitão Philips".

Mas desta vez, será uma missão diferente. Krause é um oficial de carreira, que finalmente recebe o comando de um destróier da Marinha. Krause além de lutar contra seus inimigos, também luta contra suas próprias dúvidas e demônios pessoais, para provar que ele merece estar ali.

O título vem do nome do navio de guerra.

Esse filme está sendo totalmente financiado pela FilmNation, com um orçamento de custos na faixa dos $30 milhões de dólares.

Hanks adaptou o roteiro do livro "The Good Shepherd", O Bom Pastor aqui no Brasil, um
romance de C. S. Forester, um autor famoso pelos livros do capitão Horatio Hornblower e também pelo livro "The African Queen", A Rainha Africana, que foi adaptado em 1951 por John Huston em um filme com Humphrey Bogart e Katherine Hepburn.

Os últimos detalhes da aquisição do filme pela Sony estão em fase final, mas a produção deve iniciar em Maio, dando à Sony um grande filme para seus calendário de lançamentos de 2018.


Fonte: Deadline

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Babylon Berlin" : Como essa série alemã pode mudar a TV na Europa


"Parece que estamos vivendo em um período de pré-guerra," diz Henk Handloegten, diretor desse ambicioso drama, mostrando como estava a situação conturbada da Alemanha, antes da 2ª Guerra Mundial.

O mundo está pronto para Babylon Berlin?

A série de TV alemã, um drama envolvendo um crime, situado na Berlin do pré-guerra, é muito ambiciosa. Com um orçamento de $45 milhões, co--escrita e dirigida por Tom Tykwer (diretor de "Corra, Lola, Corra" e "Perfume: a História de um Assassino"), Achim von Borries e Henk Handloegten, a série pode se declarar como a série mais cara (de língua não inglesa) já feita para a TV. Se ela der certo, pode mudar como a Europa faz TV hoje em dia.

"Isso nunca foi feito antes," disse o produtor Jan Mojto, cuja produtora é uma das que está financiando Babylon Berlin com a rede pública alemã ARD e a a privada TV Group Sky e que está vendendo a série para o mundo todo."É um novo modelo de se criar televisão...mas é apenas um modelo, porque coisas medíocres e comuns não têm chance nesse mercado."

Comum é algo que Babylon Berlin certamente não é. Baseada na série de livros do escritor alemão Volker Kutscher, é uma estória sobre um crime com toques de Raymont Chandler, sobre um detetive alemão, Gereon Rath (interpretado por Volker Bruch), que é enviado a Berlim para investigar uma rede de pornografia, comandada pela Máfia russa. Tudo isso com o pano de fundo da Alemanha em 1929, com todos os seus problemas sociais e políticos, que iriam levar mais tarde à subida de Hitler ao poder.

"O truque é tentar criar um ambiente em que as pessoas na época não sabiam o que iria acontecer," diz Tykwer. "Ninguém em 1929 poderia ter imaginado o que a Alemanha iria se tornar."

Os paralelos para o mundo atual - a crise financeira e a ascensão de Donald Trump, assim como a dos partidos de direita por toda a Europa - são óbvios, mas, de acordo com os diretores, não são propositais.

"Nós começamos a trabalhar nessa série em 2013 e desta data em diante, o mundo começou a ficar parecido com o final dos anos 20," afirma Handloegten. "Nós tínhamos o paralelo entre a crise da bolsa de 1929 e a crise de 2009. Houve a crise do Euro, o aumento no populismo, o anseio por soluções simples e de um homem forte para assumir o comando. O mundo parecia estar acompanhando os nossos roteiros."

A ascensão dos nazistas, a devastação da 2ª Guerra já foi bastante mostrada em filmes e na TV.  Pouco se viu do período anterior, quando a democracia, na forma da idealista e cheia de erros da República de Weimar, ainda estava recente na Alemanha e o país em meio a uma revolução social, política e cultural.

"Os anos 20 foram tempos loucos, a sociedade não era conservadora e cuidadosa, mas sim experimental," diz von Borries. "Berlim era uma capital internacional, cosmopolita, atraindo jovens e artistas de todo o mundo, muito de como é hoje. Eles todos caminhavam juntos nas ruas de Berlim: comunistas, nazistas, feministas e homossexuais."

Essa enorme mistura de coisas novas e experimentais é o pano de fundo para Babylon Berlin, que segundo Tykwer, utilizou os romances de Kutscher como um ponto de partida para explorar o mundo da Berlim dos anos 20.

Fazer uma série como essa na Alemanha - os diretores frequentemente trabalhavam com 2 ou 3 unidades em paralelo - teria sido impossível há alguns anos. Um dos produtores executivos admite que, quando ouviu o projeto pela primeira vez, ele sabia que seria grande demais para apenas um canal alemão ser responsável.

Eles sabiam que a visão que Tom Tykwer tinha para a série seria muito, muito cara. Não conseguiriam fazer sozinhos. O que fez possível, foi a união de vários parceiros.

Pela qualidade do diretor e pelo investimento feito, podemos esperar uma excelente série, mesmo que seja falada em alemão, algo que costuma afastar o público tradicional.



Fonte: THR


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Jennifer Connely será uma vilã em um mangá para o cinema: "Alita: Battle Angel"

Christoph Waltz, Mahershala Ali e Ed Skrein estão outros possíveis atores do elenco.

"Alita: Battle Angel" é uma ambiciosa adaptação de James Cameron e Robert Rodriguez do popular mangá.

O filme está atualmente em produção no Texas com a atriz Rosa Salazar (foto ao lado), que fará o papel principal. Ela atuou em Maze Runner como Brenda.

Rodriguez deve dirigir, enquanto que Cameron e seu parceiro Jon Landay devem produzir o filme.Situado no século 26, o filme é sobre uma ciborg mulher (Salazar), que é descoberta em um depósito de sucatas por cientista. Sem a memória da sua vida anterior, exceto pelo seu treinamento em artes marciais, ela se torna uma caça-prêmios, em busca de criminosos. A estória de ação e aventura deve servir como pano de fundo para os temas da auto-descoberta e da busca do amor.

Jennifer Connely será uma das vilãs. Uau, e que linda vilã! 


A atriz, que ganhou um Oscar pelo sua atuação em no filme "Uma Menta Brilhante", de 2001, está atualmente filmando "Granite Mountain", junto com Jeff Bridges, que conta a história de bombeiros especialistas que pereceram, enquanto lutavam contra um enorme incêndio no Arizona.


Fonte: THR

Mortal Engines, novo filme de Peter Jackson

Hera Hilmar (foto ao lado) estará no elenco, como protagonista feminina, no filme "Mortal Engines", próximo filme de Peter Jackson como roteirista, baseado no livro do autor britânico Philip Reeve.

Os últimos trabalhos de Hilmar são "The Ottoman Lieutenant" e "The Oath" e esteve nas três temporadas da série Da Vinci´s Demons.

O filme "Mortal Engines" se situa em um mundo a milhares de anos no futuro. A Terra está desabitada e as suas cidades vagueiam pelo espaço em enormes mecanismos, devorando umas às outras em uma batalha sem fim, devido à falta de recursos disponíveis.
Em uma destas cidades, as Traction Cities, Tom Natsworthy se encontra com uma misteriosa jovem, que vai mudar o curso de sua vida para sempre.

Jackson e o co-autor Walsh estiveram envolvidos nesse projeto por vários anos. Eles co-escreveram o roteiro com a colaboradora de "Senhor dos Anéis", Philippa Boyens. A  Universal é das produtoras que está financiando o filme e que também será a distribuidora no mercado internacional. A produção está programada para começar na Nova Zelândia no próximo trimestre deste ano e o filme deve estrear em Dezembro de 2018.

Christian Rivers, que ganhou Oscar pelo trabalho de efeitos especiais do filme King Kong de Peter Jackson, vai dirigir o filme, depois de passar a maioria da sua carreira de 25 anos trabalhando junto com Jackson. Ele começou com artista de storyboards, depois indo para supervisão de efeitos especiais e finalmente como diretor assistente na trilogia de "The Hobbit"

Fonte: Deadline

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Emma Stone e Jonah Hill em "Maniac", nova série da Netflix

"Maniac", uma nova série da Netflix, estrelando Emma Stone e Jonah Hill, foi aprovada
para produção. Mas só começarão as filmagens em Agosto em Nova York.

Cary Fukunaga, conhecido pelos filmes "Beasts of No Nation", de 2015 e "Jane Eyre", de 2011, deve dirigir os 10 episódios iniciais de uma comédia de humor negro, baseada em uma série norueguesa de 2014, que foi vendida para a Netflix, apenas dias após ter sido retirada do ar em Março de 2016.

Muita coisa aconteceu desde então, com Emma entrando como atriz principal, famosa após todos esse prêmios por La La Land.

Stone e Hill se reuniram na semana passada para discutir a série, quando estiverem em Los Angeles, para a cerimônia do SAG Awards, que Stone ganhou por La La Land.
Cary Fukunaga

A premissa de "Maniac", adaptado para o mercado americano por Patrick Somerville, é de mundos de fantasia criados pelos personagens de Hill e Stone, que na vida real estão confinados em um sanatório.


O último trabalho de Fukunaga foi de dirigir todos os episódios de "True Detective" para a HBO, que foi estrelada por Matthew McConaughey e Woody Harrelson, que lhe rendeu um Emmy pela direção.




Fonte: Deadline