sábado, 5 de novembro de 2016

Crítica do blog sobre a série da Netflix, The Crown

Claire Foy
Estreada dia 4 de novembro, a série The Crown, da Netflix mostra o requinte da sua produção de $100 milhões de dólares, criada por Peter Morgan, autor do filme A Rainha (The Queen) de 2006 e a peça da Broadway, The Audience, de 2013, ambos estralados por Helen Mirren.

The Crown (A Coroa) e sua primeira temporada é baseada mesmo em The Audience e focaliza os dias finais de George VI como Rei da Inglaterra, o casamento da sua filha mais velha, Elizabeth, com o futuro Príncipe Philip e as intrigas e relacionamentos da futura rainha com os primeiros ministros britânicos. A principal produtora é a Sony Pictures TV e o produtor executivo é Peter Morgan.

Os episódios são bem dirigidos e os atores que destaco são: Claire Foy como Elizabeth II (a Elizabeth I foi a filha de Henrique VIII e Ana Bolena), Jeremy Northam como Anthony Eden (futuro primeiro ministro após Churchill), Jared Harris como George VI (o conhecido personagem Lane de Mad Men), Vanessa Kirby, que faz uma sensual Princesa Margaret, Eileen Atkins, que faz a Rainha Mary, avó de Elizabeth, Ben Miller, como Peter Townsend, ajudante de George VI e Pip Torrens como Tommy Lascelles, secretário da Rainha.

John  Lithgow faz Churchill, mas não creio que um ator de 2 metros de altura e americano poderia fazer o famoso primeiro ministro inglês, não obstante os esforços e boa vontade do ator. Há sempre uma dificuldade para ele se curvar, para não aparentar ser muito alto. A escolha melhor teria sido o inglês, Gary OIdman, que, a propósito, vai interpretar Churchill em um filme a ser exibido em 2017.

Destaco a trilha sonora de Hans Zimmer e Rupert Gregson-Williams. A trilha foi gravada em um novo estúdio de gravação em Viena (Hans é alemão), onde Zimmer também gravou sua trilha para o filme Inferno de Ron Howard. Há um ar de Interestelar na trilha, uma de suas composições.

O único ponto negativo da série, sendo exibida pelo Netflix, é a sua dublagem, que parece ser aquela de Miami feita para as primeiras temporadas de Mad Men.
Uma pena que não escolheram o mesmo estúdio de dublagem e os dubladores da série Downton Abbey, uma das melhores dublagens já feita para uma série de TV.
A dublagem de Miami tem vozes desconhecidas e que soam como se fossem amadoras ou dubladores iniciantes.
Mas não deve ser isto que afaste ou desanime o espectador, que costuma ver séries e filmes dublados.
Assista legendado e não vai se decepcionar com The Crown.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.