terça-feira, 25 de outubro de 2016

Pastoral Americana, 1º filme dirigido por Ewan McGregor, estreia no Brasil em 15/12/2016

Filme baseado no livro de Philip Roth,  American Pastoral, ganhador do Pulitzer em 1998,  marca a estreia de Ewan McGregor na direção.

Segundo a recepção do crítico Pete Hammond do site Deadline, o filme deve fazer o público comentar sobre ele após saírem das salas de cinema.

O elenco, que inclui Ewan McGregor também no papel principal, Jennifer Connely, Dakota Fanning e David Strathairn, está soberbo em um filme poderoso e importante sobre o que faz nós nos mantermos juntos e o que nos separa.


Segundo o crítico, não foi tarefa fácil para Ewan e o roteirista John Romano, transpor o livro para a tela. Mas assim como aconteceu com o filme Indignation (sem título no Brasil e com estreia para 3 de novembro), Pastoral é uma das mais bem sucedidas transposições para a tela do escritor. 

A estória começa nos anos 50, focada no que parece ser a relação idílica de um rapaz de um colégio, conhecido como Swede (o Sueco), interpretado por McGregor e a popular rainha da beleza, Dawn, interpretada por Jennifer Connely, com quem ele acaba se casando. Depois que a filha, Merry, nasce, parece que eles estão vivendo a vida de uma família perfeita. Até que Merry se tornar uma adolescente difícil (Fanning começar a interpretar a partir daqui) e radicalizada nos turbulentos anos 60 e a guerra do Vietnã. Ela é acusada de participar de ter colocado uma bomba no correio e loja da cidade, causando a morte do dono do local. Ela desaparece, preocupa os pais, cujas vidas nunca serão as mesmas. O Sueco não desiste de tentar achá-la - uma busca que há reviravoltas surpreendentes dentro da época da estória, mas que ainda traz reflexos até hoje.

McGregor consegue conduzir bem o filme dentro do difícil curso da estória e, ao mesmo tempo, tendo um bom desempenho no papel principal. Connely está ótima como sempre, como a esposa e mãe, cujo ideal de uma vida perfeita é arremessada longe pelos acontecimentos, que ela não conseguiu controlar. Fanning é a grande revelação aqui em um papel que ela nunca teve antes e que ela faz com grande profundidade e sutileza. O elenco de apoio tem David Strathairn, como o antigo companheiro de classe do Sueco e que narra a estória.

Veja o trailer legendado do filme abaixo.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.